GP | Conhecido o número de vagas para os pilotos locais

AAssociação Geral Automóvel de Macau China (AAMC) publicou um boletim no início da semana, na sua página electrónica, com o número de vagas para os pilotos locais para as corridas Taça de Carros de Turismo de Macau – CTM e Macau Road Sport Challenge da 62ª edição do Grande Prémio de Macau. A exemplo do ano passado foram abertas 40 vagas no total para as duas corridas, mas com uma distribuição diferente.
Sendo assim, depois de disputadas as duas jornadas duplas de apuramento no Circuito Internacional de Zhuhai, 24 dos 27 concorrentes que disputaram as quatro corridas da categoria “AAMC Challenge” vão ter entrada directa na Taça de Carros de Turismo de Macau – CTM. Quer isto dizer que todos os macaenses e portugueses que participaram na competição foram apurados, incluindo aqueles que passaram por maiores dificuldades nos dois eventos realizados na pista permanente da cidade chinesa adjacente à RAEM, como Hélder Rosa ou Rui Valente.
Com uma grelha de partida que contempla 36 viaturas, os restantes participantes virão do Campeonato de Hong Kong de Carros de Turismo (HKTCC), que este ano contou apenas com oito concorrentes, a que se juntarão alguns convidados da China continental e, provavelmente, de outras paragens do continente asiático.

Estrelas de fora

Dado o maior interesse global que existe na categoria Road Sport, o número de vagas disponíveis para os pilotos locais foi de apenas 16, duas menos que em 2014, o que, por agora, deixa de fora vários nomes sonantes da categoria.
O vencedor por quatro ocasiões e recordista de vitórias na Corrida Macau Road Sport Challenge, Sun Tit Fan, não conseguiu o apuramento automático, assim como o ex-campeão de Macau da categoria Un Wai Kai, o português Sérgio Lacerda ou o veterano macaense Belmiro Aguiar. Estes terão que esperar por desistências ou por pilotos que optem por alinhar noutras corridas do extenso programa do Grande Prémio, para ter acesso à prova principal da temporada.
Aqueles que não participarem também não estarão habilitados ao subsídio a pilotos locais participantes nas corridas no exterior em 2016. Entretanto, segundo o regulamento da Corrida da Guia de Macau 2.0T – Suncity Grupo, dada a natureza da prova, os pilotos de Macau e Hong Kong que queiram participar necessitam de convite por parte da AAMC.
O 62º Grande Prémio de Macau realiza-se entre os dias 19 e 22 de Novembro deste ano e as inscrições para as duas corridas aqui mencionadas deverão abrir em breve.

6 Ago 2015

Filipe Souza conquistou o título da classe AAMC Challenge

Omacaense Filipe Clemente Souza sagrou-se campeão de carros de turismo de Macau na classe “AAMC Challenge”, tendo bastado uma vitória na categoria na primeira das duas corridas do passado fim-de-semana no circuito permanente de Zhuhai. Aqui ao lado disputou-se a segunda e derradeira jornada dupla do Campeonato de Carros de Turismo de Macau (MTCS, na sigla inglesa) e decisória no que respeita ao apuramento dos pilotos locais para a Taça de Carros de Turismo de Macau – CTM e Corrida Macau Road Sport Challenge do 62º Grande Prémio de Macau. O facto dos pilotos desconhecerem o número de entradas directas para o Grande Prémio e um boletim meteorológico que prometia chuva, o que viria a não se materializar, trouxe a esta jornada um clima de incerteza suplementar. Depois de ter vencido uma corrida no fim-de-semana de Junho, Filipe Clemente Souza (Chevrolet Cruze) estava disposto a repetir a proeza e logo no sábado obteve a pole-position para a primeira corrida, com meio segundo de avanço sobre o segundo classificado. O piloto do Macau David Group Racing Team fez um bom arranque, mas viu-se pressionado nas duas primeiras voltas por Cheong Chi Hou (Peugeot RCZ), que viria a ser o segundo classificado à frente de Chao Chon In (MINI). Assim que se livrou do seu rival, Souza caminhou autoritariamente para o seu segundo triunfo do ano. “Estou agradecido à minha equipa pelo trabalho árduo e aos meus patrocinadores por tornarem isto possível”, disse o piloto macaense. O fim-de-semana de Souza só não foi mais perfeito, porque na terceira volta da segunda corrida, quando liderava, acabou por ser atirado para fora por Chou Keng Kuan (Peugeot RCZ) que haveria por vencer o último embate da época. Outro macaense esteve em evidência no fim-de-semana. Álvaro Mourato (Peugeot RCZ) deu finalmente um ar da sua graça na segunda corrida. Após ter sido o quarto na qualificação matinal de domingo, o macaense foi o terceiro classificado nesta segunda corrida do “AAMC Challenge”, apenas atrás de Chou e de Cheong Chi Hou. Celio Alves Dias (MINI) e Eurico de Jesus (Ford Fiesta), 8ª na segunda corrida e 10º na primeira, foram os outros pilotos de matriz portuguesa a entrarem no “Top-10” numa grelha de partida composta por 25 viaturas. Hélder Rosa (Peugeot RCZ) arrecadou um 17º e um 15º lugares, enquanto Rui Valente (MINI) voltou novamente a passar por dificuldades com a sua viatura, sendo que o 19º e o 17º lugares não correspondem ao verdadeiro andamento de um dos mais experientes pilotos do território.

Roadsport à medida de Leong

Leong Ian Veng (Mitsubishi) foi novamente o homem em destaque na “AAMC Road Sport Challenge”, ao realizar a pole-position para ambas as corridas, triunfando à segunda. Leong poderia ter protagonizado uma fácil dobradinha, mas, quando liderava folgadamente a primeira corrida, na penúltima das 12 voltas ao traçado da cidade vizinha adjacente a Macau, entrou nas boxes com dificuldades na caixa-de-velocidades e acabou por dar de bandeja a vitória a Lei Kit Meng (Nissan GT-R). O ex-piloto de Fórmula 3 esteve muito mais forte este fim-de-semana, somando à vitória de Sábado um segundo lugar na corrida de domingo. Wong Ka Hong (Mitsubishi Evo10) e Lam Kam San (Mitsubishi Evo7) completaram o pódio na primeira corrida, ao passo que Billy Lo (Mitsubishi Evo7) foi o terceiro classificado na segunda corrida. No que respeita ao três nomes portugueses em prova, solucionados os problemas de motor, Luciano Castilho Lameiras (Mitsubishi Evo8) selou o apuramento com um 9º e um 12º lugar. Após ter desistido no sábado, devido a um problema na caixa-de-velocidades, Sérgio Lacerda (Nissan Z33), sem equipamento para ombrear com os mais rápidos da categoria, conseguiu um 14º lugar na segunda corrida. Com um carro também claramente inferior à concorrência e ainda com problemas de motor, Belmiro Aguiar (Mitsubishi Evo7) foi o 20º colocado na primeira corrida e abandonou na segunda, o que poderá colocar em risco a participação do veterano piloto do território na sua prova mais querida.

Às cambalhotas

Tal como no primeiro fim-de-semana do “Festival de Corridas de Macau”, realizaram-se dentro do programa mais três corridas de qualificação para a “Taça Lotus de Celebridades”. Sem acrescentar qualquer interesse desportivo ao fim-de-semana, estas três corridas ficaram marcadas pelo aparatoso acidente de Christine Kuo. Felizmente a actriz de Hong Kong saiu ilesa após o seu Lotus Elise ter dado umas “cambalhotas” na curva de entrada para a recta da meta.

* com Cheung Chi Wai

30 Jul 2015

Bianchi correu duas vezes em Macau. Avô ganhou na Guia

AFórmula 1 e o automobilismo em geral estão de luto. Vinte e um anos depois de Ayrton Senna, um piloto de Fórmula 1 sucumbiu por lesões causadas por um acidente em pista. Jules Bianchi partiu após nove meses de agonia, quando tinha apenas vinte e cinco anos e estava predestinado a um volante na Scuderia Ferrari em 2016.  
O jovem francês foi vítima de um infeliz incidente durante o Grande Prémio do Japão, em Outubro do ano passado, ficando em estado comatoso desde então. O nome Bianchi faz obrigatoriamente parte da história do Grande Prémio de Macau. Houve um Bianchi a vencer no Circuito da Guia, mas curiosamente não foi Jules, mas sim Mauro. Mauro Bianchi, avô de Jules, venceu o Grande Prémio do território em 1966, para dois anos depois, nas 24 Horas de Le Mans e ao volante de um Alpine, ter ficado bastante marcado fisicamente por um acidente que acabou por colocar um ponto final prematuro na sua carreira.
Jules correu no Circuito da Guia em 2008 e 2009 na prova de Fórmula 3. Já na altura o francês estava extremamente bem cotado na praça e era considerado como um dos melhores da sua geração, sendo a sua carreira gerida por Nicolas Todt, filho do presidente da FIA Jean Todt. Por isso mesmo, e pelos triunfos que arrematou em corridas de Fórmula 3 na Europa, Bianchi sempre teve um estatuto de favorito nas provas em que participou entre nós. Depois de uma estreia discreta em 2008, onde foi 9º classificado na Corrida Principal, após ter sido uma das vítimas da carambola da Corrida de Qualificação, o piloto francês era um dos grandes favoritos à vitória em 2009.

A melhor do mundo

“Macau é a melhor corrida de Fórmula 3 do mundo. Depois de ter vencido o Masters de F3 e a Euro Series, quero mesmo vencer Macau agora”, disse Bianchi, que já estava na órbita da Scuderia Ferrari, aos jornalistas na quinta-feira do 56º Grande Prémio de Macau, em 2009.
Jules também não esquecia o feito do avô 44 anos depois. “Ele venceu aqui e se eu vencer será especial para mim, porque vencer depois do meu avô o ter feito terá um significado especial”.
Contudo, a roleta de Macau ditou outra sorte. Bianchi esteve em destaque na qualificação, andou depressa como lhe competia, marcando até o melhor tempo. Mas quatro pilotos queixaram-se aos comissários desportivos, o que lhe valeu uma penalização de cinco lugares para a grelha de partida da Corrida de Qualificação, aquela que se disputa no sábado à tarde. E foi no sábado que Bianchi perdeu definitivamente a hipótese de repetir o feito do avô no Circuito da Guia. Um acidente na travagem para a subida de São Francisco com Edoardo Mortara, que curiosamente seria o vencedor da edição de 2009, selou o destino do fim-de-semana. O francês, que há época já tinha um contrato para subir à antecâmara da Fórmula 1, a GP2 Series, depois de uma paragem nas boxes para reparação no Dallara-Mercedes, ainda voltaria à corrida para terminar no 21º lugar.
No domingo, sem hipóteses de ambicionar um lugar no pódio, Bianchi conduziu pela última vez no Circuito da Guia, terminando na 10ª posição. Em comunicado, no fim-de-semana, a Federação Internacional do Automóvel (FIA) lembrou que o desporto motorizado “perdeu um dos maiores talentos desta geração de pilotos “, mas foi Bruno Senna, sobrinho de Ayrton e também piloto, quem tocou na ferida: “Espero que tenhamos aprendido mais uma lição para evitar outras tragédias assim no futuro”.

27 Jul 2015

Jovem piloto de Macau Andy Chang voltou a competir

Wing Ching Chang, ou Andy Chang, como é conhecido no mundo automobilístico internacional, regressou no passado fim-de-semana à competição. O jovem piloto da RAEM que, desde da estreia no Grande Prémio de Macau de Fórmula 3 o ano passado, andava afastado das pistas, participou na prova do Campeonato da Europa FIA de Fórmula 3, que no fim-de-semana se disputou em Zandvoort, na Holanda.
Arredado da competição automóvel ao mais alto nível devido à falta de apoios para participar na temporada completa do competitivo europeu da especialidade, Chang juntou-se à equipa inglesa Fortec Motorsport para fazer o restante da temporada no lugar que até aqui pertencia ao chinês Cao Hongwei, sendo presença quase garantida na corrida de final de ano nas ruas de Macau.
Num fim-de-semana composto por três corridas, entre 34 concorrentes, Chang partiu para a primeira corrida do 32º lugar para subir doze posições durante a acidentada corrida e terminar no “top-20” da classificação. Na segunda corrida, marcada pela intervenção do “Safety-Car” em duas ocasiões, o piloto do território foi o 26º da geral, quatro posições acima do seu lugar de partida. Por fim, na derradeira corrida no sempre difícil traçado holandês, o piloto de 18 anos que reside em Oxford, terminou novamente no 26º posto. formula 3
O Campeonato da Europa FIA de Fórmula 3 regressa no primeiro fim-de-semana de Agosto a Spielberg, na Áustria, e depois segue para Portugal, para uma ronda no Autódromo do Algarve. Entretanto, Chang está esta semana na Alemanha com a sua equipa a testar um Fórmula Renault 2.0 no circuito de Nurburgring para preparar a prova de Setembro no mítico circuito germânico.
Entretanto, as inscrições para o Grande Prémio de Macau de Fórmula 3 – Suncity Grupo – Taça Intercontinental de F3 da FIA arrancam em Agosto. O director do Departamento do Circuito de Campeonatos e Secretário Geral Desportivo da FIA, Frederic Bertrand, afirmou na Conferência de Imprensa de apresentação do evento realizada em Abril que a Fórmula 3 teve sempre um enorme sucesso em Macau e, hoje, a categoria está muito forte no Japão, como na Europa.
Bertrand disse ainda acreditar que a Taça Intercontinental de F3 da FIA irá, uma vez mais, atrair uma lista de inscritos forte e as corridas serão um espectáculo fabuloso. O 62º Grande Prémio de Macau realiza-se entre os dias 19 e 22 de Novembro deste ano.

19 Jul 2015

Parceria com franceses para a Taça do Mundo FIA de GT

A Associação Geral Automóvel de Macau – China (AAMC), entidade promotora da primeira edição da Taça do Mundo FIA de GT, escolheu a empresa francesa SRO Motorsports Group para coordenar todo o trabalho operacional desta corrida que decorrerá no fim-de-semana da 62ª edição do Grande Prémio de Macau. A SRO é a empresa que organiza os campeonatos de carros de GT com maior sucesso a nível mundial, onde se destacam as séries Blancpain e os campeonatos nacionais de França e Inglaterra. A empresa do ex-piloto e empresário francês Stéphane Ratel foi também responsável pelo defunto Campeonato do Mundo FIA GT1 até 2012 e este ano conseguiu os direitos para organizar as 12 horas de Sepang, na Malásia. Com apenas cinco meses até ao evento do Circuito da Guia, a prioridade da SRO será trabalhar para conseguir o objectivo da FIA e do AAMC para que cada construtor automóvel inscreva três carros na prova.
As entidades federativas esperam persuadir sete construtores a alinhar neste desafio, isto num ano em que vários construtores lançaram novos carros de competição para o mercado. Como a grelha de partida da corrida de GT estará este ano limitada a 28 carros, caso o objectivo da FIA e do AAMC seja atingidos, as restantes sete inscrições estão destinadas a pilotos do campeonato asiático da especialidade ou a pilotos locais. gt carros
Sobre esta parceria, Chong Coc Veng, o presidente da AAMC, disse em comunicado que “nós estamos muito contentes por trabalhar em conjunto com a SRO e com o apoio do Governo de Macau e da FIA nós esperamos criar uma excitante e cheia de sucesso Taça do Mundo FIA de GT em Macau.” Por sua vez, Stéphane Ratel, CEO e Fundador da SRO Motorsports Group, afirmou estar “muito satisfeito por coordenar e trabalhar em conjunto com a AAMC em fazer a edição inaugural da Taça do Mundo FIA de GT o sucesso que merece. É também uma honra e um prazer para a SRO trabalhar num evento da FIA outra vez”.
A Taça do Mundo FIA de GT era um velho desígnio da federação internacional que até aqui não tinha conseguido encontrar um promotor adequado para a prova. A Comissão do Grande Prémio de Macau vinha a realizar desde 2007 a Taça GT Macau, prova que reunia a elite asiática e alguns ilustres convidados de renome mundial, o que motivou a FIA a endereçar um convite a Macau. O transporte subsidiado da Europa até à RAEM e outras condições que não são do conhecimento público terão facilitado um acordo e que irá incluir no programa do evento do território não uma, mas duas corridas, uma no sábado e outra no domingo.

7 Jul 2015

Zhuhai recebeu as primeiras provas de apuramento para o GP Macau

OCircuito Internacional de Zhuhai acolheu o primeiro dos dois Festivais de Corridas de Macau de 2015, evento que contemplou as duas primeiras jornadas duplas do Campeonato de Macau de Carros de Turismo nas categorias AAMC Challenge e Macau Road Sport Challenge. Esta é a competição que apurará os pilotos locais para as corridas de suporte do 62º Grande Prémio de Macau.
Seis anos depois da última visita da caravana das corridas de carros de turismo da RAEM ao circuito que foi imaginado para um dia organizar o primeiro Grande Prémio da China de Fórmula 1, assistiram-se a boas corridas, principalmente as de sábado, que mereciam outra atenção e público nas bancadas. Pilotos e máquinas foram postos à prova num fim-de-semana extremamente duro devido às altas temperaturas que se fizeram sentir nos três dias do evento e que tiveram reflexos negativos nas mecânicas das viaturas. Incólume a qualquer contratempo, Leong Ian Veng (Mitsubishi Evo9) venceu as duas corridas da categoria Road Sport Challenge. O piloto da Macau David Racing Team apenas viu o seu domínio beliscado quando na primeira corrida o antigo campeão Sun Tit Fan (Mitsubishi Evo9) pareceu capaz de ter uma palavra a dizer na luta pelo triunfo.
Depois de um mau arranque, Wong Wan Long (Mitsubishi Evo10) acabou mesmo por herdar a segunda posição, ao passo que Lam Kam San (Mitsubishi Evo7) fechou o “top-3”. Na segunda corrida, Leong largou do primeiro lugar e teve 12 tranquilas voltas à frente do pelotão, terminando à frente de Lei Kit Meng (Nissan GTR), que na primeira corrida chegou a estar na luta por um lugar no pódio até um problema o ter atrasado irremediavelmente, e Billy Lo (Mitsubishi Evo7). Esta foi uma jornada terrível para os pilotos de matriz portuguesa, sem excepção. Sérgio Lacerda (Nissan Z33), Belmiro Aguiar (Mitsubishi Evo7) e Luciano Lameiras (Mitsubishi Evo8) quedaram-se por posições secundárias devido a problemas mecânicos de diversa ordem nas suas viaturas.

Vitórias macaenses

O equilíbrio foi maior na classe AAMC Challenge, porém o macaense Filipe Souza (Chevrolet Cruze) destacou-se entre os demais. Também ele a correr pela equipa Macau David Racing Team, Souza foi “pole-position” para a primeira corrida, que não venceu, apesar de ter liderado até aos momentos finais.
A corrida de sábado, talvez a mais animada do fim-de-semana, ficou também marcada pelo acidente ainda nas primeiras voltas entre Jerónimo Badaraco (Chevrolet Cruze) e Patrick Chan (Peugeot RCZ), tendo o macaense, que haveria de ter um domingo mais positivo, sido abalroado violentamente para fora na Curva 4 pelo seu adversário. A corrida teve ainda a intervenção do “Safety-Car” nas últimas voltas, juntando o pelotão, o que atrapalhou de certa maneira Souza, que ao mesmo tempo se viu a braços com um problema electrónico no seu Chevy nas voltas finais.
Num final emocionante, em que a vitória só se decidiu nos últimos metros, Célio Alves Dias (MINI Cooper), Chao Chong In (MINI Cooper) e Souza cortaram a linha de chegada por esta ordem separados por apenas meio segundo. Partindo novamente da “pole-position” para o segundo confronto, no domingo, Souza liderou desta vez de fio-a-pavio, obtendo uma vitória merecida. Cheong Chi Hou (Peugeot), que foi uma das revelações do fim-de-semana, tendo colocado Souza sempre sob pressão em ambas as corridas, e Dias completaram as posições de honra, depois de Kevin Tse (Chevrolet Cruze), quarto na primeira corrida, e que parecia capaz de subir ao pódio desta vez, ter desistido com um princípio de incêndio na sua viatura. O português Rui Valente teve um fim-de-semana recheado de problemas no seu MINI, o mesmo tendo acontecido com Hélder Rosa, cujo Peugeot RCZ branco se recusou a cooperar. Organizado pela Associação Geral Automóvel de Macau-China, o segundo Festival de Corridas de Macau está marcado para 25 a 26 de Julho, novamente no circuito permanente da cidade chinesa adjacente a Macau.

2 Jul 2015

Pilotos do WTCC interessados em voltar à Corrida da Guia

Tiago Monteiro, Rob Huff, Tom Coronel e Yvan Muller são alguns dos nomes que nos habituamos a ouvir nas notícias no mês de Novembro. Por dez anos consecutivos, o Campeonato do Mundo FIA de Carros de Turismo (WTCC) visitou Macau e alguns destes senhores, todos eles conceituados pilotos de carros de turismo, fizeram parte do quotidiano da semana do Grande Prémio.

Contudo, o WTCC despediu-se no final de 2014 do Circuito da Guia e este ano a principal corrida de turismo, cujos regulamentos abrem a porta ao novo conceito de carros de turismo TCR, terá outros intervenientes. A boa notícia é que o WTCC viu-se obrigado a mudar de data da sua última corrida no Qatar, que coincidia com o Grande Prémio do território, permitindo agora aos pilotos do mundial de carros de turismo participarem na “Corrida da Guia de Macau 2.0T – Suncity Grupo”. E o interesse existe.

“Mesmo que o WTCC não volte, não quer dizer que eu não venha cá! Tenho de arranjar alguma coisa para vir a Macau. Há muitas corridas por aí…”, disse Tiago Monteiro ao HM no passado mês de Novembro, enquanto acrescentava que esta decisão vai depender da Honda. “Só tenho 38 anos e vencer em Macau é sempre uma esperança”, relembrou o português.

Monteiro é piloto oficial da Honda no WTCC e foi a sua equipa, a italiana JAS Motorsport, quem construiu e é responsável pelo desenvolvimento dos Honda Civic do novo campeonato TCR International Series.

Ambição de vencer

Esta semana, ao saber das alterações do calendário do WTCC, também Rob Huff mostrou interesse em regressar à RAEM. “Sou o piloto de carros de turismo com mais vitórias [no Circuito da Guia] e gostaria de tentar estender esse recorde” disse Huff ao portal TouringCarTimes.com.

O vencedor de sete corridas do WTCC no Circuito da Guia lembra que há “obviamente mais oportunidades” de voltar agora em carros de turismo e disse acreditar nesta hipótese para regressar à sua “pista favorita”. O piloto britânico está confiante que terá ofertas para voltar à prova, porém terá ainda que ter a autorização do construtor automóvel russo Lada, com quem tem contrato no WTCC e que não está envolvido no TCR.

O regulamento da “Corrida da Guia de Macau 2.0T – Suncity Grupo” ainda não está acessível, no entanto, de acordo com Chong Coc Veng, Coordenador da Subcomissão Desportiva da Comissão do Grande Prémio de Macau, este ano, “a Corrida da Guia será realizada sob os regulamentos de carros 2.0T. Muitas marcas e modelos estarão aptas a competir, incluindo as que participam no TCR”. O responsável acredita que se pode esperar “esperar uma competição acérrima, o que já é habitual na Corrida da Guia”.

25 Jun 2015