FIA só aceita profissionais para a Taça do Mundo de GT

Apesar da polémica em torno da última edição, a Taça do Mundo FIA de GT irá continuar a ser disputada no Circuito da Guia em 2017 por decisão da Federação Internacional do Automóvel (FIA). Contudo, desta vez, os pilotos amadores serão impedidos de tomar parte na prova, o que era uma das condições de alguns construtores envolvidos nesta corrida para continuarem a visitar a RAEM.

Para além de ter confirmado a continuidade da prova nas ruas de Macau, a FIA anunciou que esta só estará aberta a pilotos profissionais. Isto é, apenas pilotos classificados pela FIA como “Ouro” ou “Platina”, segundo a classificação oficial de pilotos da entidade federativa, serão autorizados a estar à partida. Esta medida irá afastar vários pilotos asiáticos que habitualmente competem nas diversas competições de GT e que tinham como momento alto da temporada a participação no Grande Prémio de Macau. Curiosamente, nenhuma das interrupções da corrida de má memória do ano passado foi causada por pilotos amadores ou menos experientes.

Esta resolução limita também a participação de pilotos do território na corrida. Presentemente apenas André Couto, que nos dois últimos anos escolheu a Taça do Mundo FIA de GT para estar à partida do Grande Prémio de Macau, cumpre actualmente os critérios mínimos para alinhar na corrida.

Com o intuito de aumentar o prestígio da prova, apenas viaturas de fábrica ou apoiadas pelos construtores serão aceites à partida, sendo que os construtores não terão que pagar inscrição, ao contrário dos anos anteriores. A FIA aponta para uma grelha de partida de 18 a 25 (número máximo) carros. Como período de inscrições só agora abriu, nenhum construtor apresentou os seus planos para a prova. Todavia, é esperada a presença de equipas da Audi, BMW, Mercedes-Benz e Porsche.

Outras medidas

Para combater as interrupções e tentar diminuir ao máximo o tempo de recuperação das viaturas acidentadas, serão instituídas medidas no regulamento técnico da prova, assim como haverá à disposição novo equipamento para esse propósito. O procedimento de recomeço, após eventuais interrupções nas duas corridas da taça mundial, passará de 10 para 5 minutos. Outras medidas de segurança serão igualmente implementadas no circuito, como modificações nos correctores e melhor uso das barreiras de segurança Tecpro.

A prova patrocinada novamente este ano pela Sociedade de Jogos de Macau será composta por duas sessões de treinos-livres, uma qualificação de 30 minutos e uma corrida de qualificação de 12 voltas (ou 60 minutos) no sábado. A Corrida Principal, no domingo, será constituída por 18 voltas (ou 75 minutos).
A primeira edição da Taça do Mundo FIA de GT, realizada em 2015, foi ganha pelo alemão Maro Engel em Mercedes-Benz. O ano passado foi o belga Laurens Vanthoor quem triunfou, apesar do seu Audi R8 LMS ter terminado com as quatro rodas para o ar.

SRO continua ao leme

Também já é sabido que a reputada empresa francesa SRO Organization, que entre outros campeonatos, organiza as Blancpain GT Series na Europa e Ásia, vai continuar, pelo terceiro ano consecutivo, a assistir a Associação Geral Automóvel de Macau-China (AAMC) no que respeita à coordenação da participação de equipas e pilotos estrangeiros.

Mantendo a tradição de anos anteriores, a Praça do Tap Seac acolherá, no fim-de-semana que antecede o evento, a exposição de supercarros, com a presença das viaturas que vão estar à partida da Taça do Mundo FIA de GT.

As inscrições para esta corrida terminam no dia 31 de Agosto, mas os concorrentes só serão oficialmente dados a conhecer mais tarde no ano.

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários