PARTILHAR
Foto: D.R.

O grupo chinês HNA, accionista indirecto da TAP, anunciou ontem a venda de dois lotes residenciais em Hong Kong por 2.000 milhões de dólares, numa altura em que enfrenta graves problemas de liquidez.

Ambos os lotes, vendidos à imobiliária Henderson Land, situam-se no terreno outrora ocupado pelo aeroporto de Hong Kong. Em Novembro de 2016, o HNA adquiriu quatro edifícios naquele terreno, por 27.200 milhões de dólares de Hong Kong. Os dois lotes vendidos equivalem a 17% do total, segundo detalha a empresa num comunicado enviado à bolsa de Hong Kong. A venda faz parte do plano do grupo de vender ativos próprios e das suas subsidiárias, visando enfrentar uma grave crise de liquidez.

Alguns bancos chineses denunciaram já as dificuldades de subsidiárias do grupo em saldar as suas dívidas, depois de nos últimos anos o HNA ter investido um total de 33 mil milhões de euros além-fronteiras. Em Portugal, a empresa detém indirectamente cerca de 20% do capital da TAP, através de uma participação de 13% na Azul (companhia do brasileiro David Neelman que integra a Atlantic Gateway) e uma participação de 7% na Atlantic Gateway.

O HNA é um dos principais visados das advertências das autoridades chinesas para “investimentos irracionais” no estrangeiro, que podem acarretar riscos para o sistema financeiro chinês. No final de Novembro de 2017, as dívidas do grupo ascendiam a 637.500 milhões de yuan. No mesmo mês, o grupo emitiu títulos a 363 dias, no mercado de dívida, com uma elevada taxa, de 8,87%. No final de janeiro passado, a agência de ‘rating’ Standard & Poor’s baixou a nota da dívida do grupo de B+ para B, no nível “lixo”. A HNA foi fundada em 1993 e tem sede em Haikou, capital da província de Hainan.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here