Take-away | Aliança do Povo quer comissões mais baratas

A vice-presidente da Aliança do Povo de Instituição de Macau, Chan Peng Peng, defende que o Governo deve prestar mais atenção às dificuldades das pequenas e médias empresas (PME) e convencer as plataformas de take-away a cobrar comissões mais baixas.

Segundo o jornal Ou Mun, a responsável recordou que os pedidos de take-away são cada vez mais populares e que muitos comerciantes aderiram às plataformas para expandir vendas. No entanto, Chan Peng Peng citou queixas de comerciantes devido às comissões cobradas, que são consideradas demasiado altas. Chan indica que por cada transacção é cobrada uma comissão de cerca de 20 por cento.

A este peso no preço, sublinha a responsável, juntam-se muitas despesas adicionais, como o custo para comercializar na plataforma, distribuição, publicidade, cupões e actividades promocionais. Feitas as contas, a vice-presidente da associação indica que os proprietários dos restaurantes e lojas de takeaway podem pagar até 40 por cento em comissões.

Além disso, Chan Peng Peng apontou que as plataformas de take-away lançam frequentemente actividades promocionais, com preços mais reduzidos para os consumidores. Porém, o custo das promoções é suportado pelos comerciantes.

Dado que no contexto actual, é considerado inevitável a participação em promoções para os diferentes negócios, Chan Peng Peng indicou que a competição é cada vez mais feroz. A responsável recordou ainda os dados da Direcção dos Serviços de Estatística e Censos (DSEC), que apontavam para uma quebra do volume de negócios na restauração de 17,2 por cento em comparação com Fevereiro.

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários