Peritos discutem restauração da maior estátua de Buda de pedra do mundo

A maior estátua de Buda de pedra do mundo, o Buda Gigante de Leshan, precisa de uma reparação, uma vez mais. Menos de três anos após a conclusão do último restauro em grande escala – o sétimo em mais de um século – a estátua de 71 metros de altura nos arredores da cidade de Leshan, no sudoeste da província de Sichuan, já apresenta o nariz negro e a cara suja. Além disso, partes do peito, abdómen, mãos e pernas do Buda estão agora cobertas de musgo e outras plantas, dando-lhe uma aparência completamente diferente daquela que foi reparada recentemente em Abril de 2019.

Durante o fim-de-semana, Leshan organizou um seminário em que peritos chineses discutiram um novo plano de restauro da estátua. Desta vez, porém, em vez de dar ao Buda outra remodelação, decidiram abordar a raiz da sua degradação, para dar à escultura longos anos de saúde.

A estátua de Buda, esculpida num penhasco na montanha Le e com vista para três rios convergentes, foi construída durante um período de 90 anos, a partir de 713 durante a Dinastia Tang (618-907).

“O seminário marcou uma mudança significativa da nossa abordagem de ‘curar os sintomas’ para ‘curar a doença enquanto cura os sintomas'”, disse Zhan Changfa, antigo vice-presidente da Academia Chinesa do Património Cultural (CACH). Os especialistas chegaram ao consenso de que entre muitos outros factores, os danos causados pela água, chuva e humidade foram os que mais contribuíram para a degradação.

“Antes de mais, precisamos de abordar o problema dos danos causados pela água, caso contrário, qualquer lifting não passaria de uma medida provisória”, disse Huang Kezhong, um investigador da CACH, ao seminário através de uma ligação vídeo de Pequim.

Os peritos no seminário concordaram que a abordagem dos danos causados pela água envolve uma abordagem multifacetada que abrange áreas como o levantamento geológico, monitorização e avaliação, investigação de materiais e restauração ambiental.

Zhan apontou algumas questões críticas para um planeamento sistemático e soluções passo a passo, que incluem — Onde estão as fissuras internas? Como lidar com as intempéries? Que materiais são melhores para serem utilizados na reparação? Deve ser construído um toldo? Deve ser colocado um limite no número de turistas?

Zhan acrescentou que, dadas as condições naturais e geográficas da localização da estátua de Buda, o plano de restauração visa “melhor saúde, menos doenças fatais, e idealmente uma longevidade” para o Buda, em vez de encontrar uma cura para tudo.

Wang Yi, chefe da Administração do Património Cultural da Província de Sichuan, disse que peritos do país e do estrangeiro irão conduzir uma cooperação aprofundada e investigação multidisciplinar sobre a protecção do gigantesco Buda. O Buda de Leshan foi inscrito na lista do Património Cultural Mundial da UNESCO em 1996.

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários