Óscares | As grandes apostas também passam por aqui

“O IFFAM está posicionado de forma perfeita em termos de timing para os Óscares”, as palavras foram ditas ao HM por Mike Goodridge, que assume pelo terceiro ano consecutivo, o cargo de Director Artístico do Festival de Cinema de Macau. Alargando o espectro para além da competição internacional do IFFAM, e tendo em conta que filmes como “Shape of the Water” e “Greenbook”, que figuravam no cartaz de edições passadas do festival, acabaram mesmo por ser galardoados com o Óscar de melhor filme, existem também este ano, segundo Mike Goodridge, algumas obras com aspirações legítimas a uma nomeação, ou mesmo até, a alcançar uma vitória nos Óscares.
O primeiro destaque vai directamente para o filme de abertura, “Jojo Rabbit”. Realizado pelo neo-zelandês Taika Waititi, Jojo Rabbit conta a história de uma criança que luta contra o nazismo alemão e que tem um amigo imaginário chamado Adolf Hitler. Segundo o director artístico do IFFAM, Taika Waititi “conseguiu fazer algo magnífico”, pois é um filme “capaz de pôr qualquer um a rir desalmadamente, enquanto aborda um tema trágico que é Segunda Grande Guerra Mundial”.
Outra obra em destaque é “Dark Waters”. Realizado por Todd Haynes e integrado na secção de Apresentações especiais do IFFAM, conta uma história arrepiante de um advogado que entra num processo judicial com um gigante da indústria química chamado DuPont, que acabou por encobrir alguns factos hediondos. Mark Ruffalo e Anne Hathaway fazem parte do elenco deste filme. “É extraordinário, adorei Dark Waters”, disse Mike Goodridge ao HM.

Mais palpites

Também apontado por Mike Goodridge “à conversa dos Óscares” é o novo filme de Terrence Malik, “A Hidden Life”, que conta a história verídica de um casal austríaco, que se recusa a prestar vassalagem ao regime de Adolf Hitler após a anexação da Áustria. “É um filme sobre princípios, honra, fé e espiritualidade, e fala de tudo isto numa altura em que o mundo tem dificuldade em reconhecer essas qualidades”, partilhou o director artístico do IFFAM.
Em português, mereceu ainda destaque o filme brasileiro “The Invisible Life of Eurídice Gusmão”, realizado Karim Aïnouz. Para Mike Goodridge esta é uma das obras que podem vir a ser nomeadas para a categoria de “Melhor Filme Estrangeiro”.
Por fim, temos também “Judy”, com Renée Zellweger no papel de Judy Garland. “Ela está simplesmente magnífica. Sinceramente não imagino que Renée Zellweger não vença o Óscar de melhor actriz”, acredita Mike Goodridge.

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários