Voleibol | China, Sérvia, Tailândia e Polónia confirmadas na ronda de Macau

China, Sérvia, Tailândia e Polónia sãs as selecções que vão participar na ronda de Macau da Liga das Nações de Voleibol Feminino, competição com a chancela da Federação Internacional de Voleibol (FIVB) que substituiu o anterior Grande Prémio Mundial. O torneio foi apresentado ontem e vai decorrer no Fórum de Macau entre 22 e 24 de Maio.

Na apresentação da competição, o director do Instituto do Desporto, Pun Weng Kun, deixou o desejo que as quatro formações participantes se exibam ao melhor nível e que proporcionem um espectáculo de grande de qualidade às pessoas que se desloquem ao pavilhão.

Já Philip Cheng, director da operadora Galaxy – o principal patrocinador do evento – considera que é uma honra para Macau estar presente na primeira edição da Liga das Nações e que o evento desportivo seja bem recebido por parte da população. Foi também ontem assinado o contrato de patrocínio, com a operadora a passar um cheque no valor de quatro milhões de patacas.

Os bilhetes para o torneio começam a ser vendidos a 2 de Abril, pelas 11h nas lojas Circle K e têm um custo de 150 patacas. No caso das compras online, se o bilhete for para os três dias da competição tem um desconto de 30 por cento.

29 Mar 2018

Voleibol Feminino | Grande Prémio Mundial arranca

Pela 19ª vez algumas das melhores equipas do mundo chegam a Macau para o Grande Prémio Mundial da FIVB. Mas, desta vez, existe o atractivo especial de estarmos em ano Olímpico. Ou seja, para as equipas este torneio servirá como rampa de lançamento para os Jogos esperando-se embates de primeiro nível, com o Brasil a procurar a terceira medalha de ouro consecutiva

Das quatro equipas presentes na perna de Macau este ano, apenas a Bélgica não estará no Jogos Olímpicos.
A equipa Brasileira, a grande vencedora do Grande Prémio Mundial da FIVB, oito vezes campeã, entre as quais três consecutivas, será a principal atracção logo seguida China, mas esta pelo facto de jogar em casa, pois apenas venceu uma única vez, em 2003.
Além disso, o Brasil é também bicampeão Olímpico esperando-se que este ano, pelo facto de jogar em casa, consiga a terceira medalha de ouro consecutiva.
Para o técnico Zé Roberto o Grand Prix, é mesmo ideal para dar ritmo a todas as jogadoras. “A ideia é ir mudando”, diz, adiantando ainda que “também teremos uma ideia de como estão as outras selecções, para encontrarmos os melhores caminhos para os Jogos Olímpicos”.
Até à estreia Olímpica contra os Camarões, a 6 de Agosto, Zé Roberto espera estar com a selecção “a 100%”, tanto no aspecto físico como no ritmo de jogo das suas atletas. “O que preocupa sempre é o sistema defensivo. Essa relação bloqueio e defesa precisa de estar apurada, porque é o que faz a diferença numa equipa. Precisamos de volume de jogo.”

Apelo asiático

Desde a primeira edição realizada em 1993 até 2011, já aconteceram dezanove edições do Grande Prémio Mundial da FIVB, tendo as primeiras ocorrido na Ásia Oriental, o que se deve à existência, nesta zona do mundo, de um enorme mercado da modalidade com inúmeros espectadores, assim como patrocinadores que financiam o evento. Pouco a pouco, os torneios da fase preliminar começaram a realizar-se na Europa e no continente americano, tendo as grandes finais sido realizadas, em 2003, pela primeira vez em Itália.
Em termos de estatuto, o Grande Prémio Mundial da FIVB não tem a importância dos três grandes torneios internacionais que se realizam de quatro em quatro anos (a Taça Mundial, o Campeonato Mundial e os Jogos Olímpicos). Oferece, porém, um prémio pecuniário muito mais volumoso do que os outros três. Sendo um torneio de natureza puramente comercial, o Grande Prémio Mundial decide a lista para a participação nas finais mediante os resultados dos torneios da fase preliminar realizados nas diferentes cidades. A equipa vendedora das finais obtém o título de campeã. Sendo assim, a equipa que conquista o ouro neste torneio normalmente não é considerada a campeã mundial. O Grande Prémio Mundial da FIVB contribui principalmente para a promoção do voleibol feminino à escala mundial.
Macau organiza este evento desde 1994, excepto nos anos de 2003 e 2004. As finais também já por aqui passaram nos anos de 2001 e 2011.

17 Jun 2016