Theodore Racing | Foco total em Macau

A Theodore Racing vai cingir esta temporada o seu programa desportivo ao Grande Prémio de Macau, depois de nas últimas épocas ter estado presente nos Campeonatos FIA de Fórmula 3 e de Fórmula 2 em parceria com a equipa italiana Prema Powerteam

 

“Para 2020, o foco da Theodore Racing é Macau, enquanto examinamos oportunidades em todo o desporto motorizado para 2021 e depois”, explicou Teddy Yip Jr ao HM, ele que ressuscitou o nome da equipa do seu pai no final de 2013.

A opção de reduzir o seu programa desportivo este ano não surgiu devido aos acontecimentos provocados pela propagação da covid-19, apesar de Teddy Yip Jr reconhecer que tomou esta decisão mais ou menos na mesma altura. “Julgo que a OMS declarou a pandemia um dia, talvez dois, antes do Grande Prémio da Austrália ser cancelado. Ficou claro nesse ponto que a interrupção na temporada regular seria dramática”, explicou o sobrinho de Stanley Ho.

Tal como o seu pai, que manteve a Theodore Racing no activo desde 1978 a 1992, Teddy Yip Jr sempre teve um gosto especial pelas corridas de monolugares. Embora tenha descartado por várias vezes um regresso à Fórmula 1 da equipa, devido aos elevados custos, quanto a projectos futuros, Teddy Yip Jr admitiu por diversas vezes um especial interesse pelo campeonato japonês Super Formula (ex-Fórmula Nippon).

A SJM Prema Theodore Racing inscreveu três carros na edição transacta do Grande Prémio de Macau de Fórmula 3 – Taça do Mundo de Fórmula 3 da FIA. A equipa que se tinha sagrado campeã de Fórmula 3, com Robert Shwartzman, e que tinha dois pilotos favoritos à vitória ficou aquém das expectativas em termos de resultados, tendo Marcus Armstrong sido o melhor dos carros vermelhos e brancos ao terminar no oitavo lugar, depois de Shwartzman ter abandonado com um furo logo nos primeiros metros da croddia.

Calendário complicado

Segundo apurou o HM, os carros de Fórmula 3 encontram-se todos ainda no Bahrein. Depois do Grande Prémio de Macau do ano passado, os monolugares e material das equipas regressou à Europa, tendo sido transportado para o país do Médio Oriente para os primeiros testes oficiais do campeonato no início de Março. A primeira prova da temporada deveria ter decorrido no Circuito Internacional do Bahrein quinze dias depois, mas a rápida propagação da COVID-19 adiou a corrida e até agora impediu o regresso dos membros das equipas ao pequeno país do Golfo Pérsico para empacotar o material e enviá-lo para a Europa.

O Campeonato FIA de Fórmula 3, categoria que corre nos mesmos fins-de-semana da Fórmula 1, está neste momento sem um calendário, nem as equipas e pilotos sabem sequer quando, e em que moldes, arrancará a nova temporada. A primeira das nove provas previstas poderá ser no circuito de Spielberg, na Áustria, no primeiro fim-de-semana de Julho, visto que as autoridades austríacas não se importam de realizar o Grande Prémio de Fórmula 1 do seu país nessa data, logo que se realize à porta fechada.

A competição deveria terminar em Setembro, na Rússia, para dar tempo às equipas para preparar a visita ao Circuito da Guia, algo que agora é difícil perceber se é viável. Na teoria, a Taça do Mundo de Fórmula 3 da FIA deveria ser a última prova do ano, sendo realizada após o término do campeonato. Questionada pelo HM sobre se o futuro calendário do campeonato está a ser feito tendo em consideração o Grande Prémio, fonte oficial da FIA clarificou que neste momento é impossível dar uma resposta concreta, pois a federação internacional está a trabalhar com todos os promotores locais para encontrar uma solução para recomeçar o desporto sem colocar a saúde dos intervenientes em causa.

20 Abr 2020

Automobilismo | Teddy Yip Jr quer recuperar o título da F3 do GP

 

Para todos os efeitos, o sobrinho de Stanley Ho promete um ataque à Taça do Mundo FIA de Fórmula 3 condizente com a tradição do nome que carrega. “O Grande Prémio de Macau é sempre o nosso evento mais importante. Contem connosco”, disse Teddy Yip Jr ao HM, deixando uma promessa: “Nós teremos uma equipa de pilotos muito forte. Não posso dizer agora qual será, mas será com certeza uma das mais fortes equipas de pilotos que já tivemos.”
A Theodore Racing irá novamente marcar presença no Circuito da Guia em parceria com a Prema Powerteam, a mesma equipa italiana por quem André Couto conduziu várias temporadas no início da sua carreira internacional nos monolugares. A parceria entre a Theodore Racing e a Prema Powerteam, que deu os primeiros passos em 2013, tem este ano sido sentida nos palcos europeus do automobilismo no Campeonato FIA de Fórmula 2, no Campeonato da Europa FIA de Fórmula 3 e ainda nos campeonatos italiano e germânico de Fórmula 4.
Fundada nos anos 1970 por Teddy Yip Snr, a Theodore Racing foi presença assídua no Grande Prémio até 1992, regressando em estilo em 2013, vencendo a prova de Fórmula 3, quando esta comemorou a sua 30ª edição, com o inglês Alex Lynn. O sueco Felix Rosenqvist deu o oitavo triunfo no Grande Prémio à Theodore Racing em 2015, mas nos dois últimos anos a “equipa da casa” viu-se suplantada pelas rivais. Este ano, Yip Jr quer voltar às vitórias no território, apesar do próprio admitir que às vezes “para vencer em Macau precisas mais que ter o melhor carro e o melhor piloto.”
Este ano a Theodore Racing conta com um plantel de luxo na Fórmula 3 europeia, onde se inclui Mick Schumacher, o filho de Michael Schumacher e que há duas semanas venceu a sua primeira corrida na categoria, o estónio Ralf Aron, que subiu ao pódio em Macau em 2017, o neo-zelandês Marcus Armstrong, piloto da academia de jovens pilotos da Scuderia Ferrari, o russo Robert Shwartzman, apoiado pela SMP Racing do banqueiro russo Boris Rotenberg, e ainda a esperança chinesa GuanYu Zhou, também ele protegido pela casa de Maranello.
A esperança chinesa
GuanYu Zhou é pelo segundo ano consecutivo um dos pilotos da Theodore Racing na epopeia europeia e com quem Teddy Yip Jr não esconde que gostaria de contar em Novembro no Circuito da Guia. O piloto de 19 anos ainda não tem o bilhete para a RAEM, mas, em conversa com o HM, deixou claro que “que o objectivo é regressar a Macau”. “Estou naturalmente em negociações, mas de momento a minha concentração está no Campeonato Europeu FIA de Fórmula 3 onde estou a lutar pelo título”, acrescentou o piloto.
O oitavo classificado da prova do ano transacto gostou da sua primeira experiência entre nós, pois “correr em Macau é definitivamente um dos eventos especiais, o lugar perfeito para estar na temporada. É diferente das corridas normais do campeonato, já que todos vão para Macau para vencer porque é um evento singular.”
Nunca houve um piloto chinês a vencer o Grande Prémio de Macau e o actual quarto classificado no europeu de F3 sabe a importância que poderá ter se conseguir ser o primeiro. Todavia, o piloto natural de Xangai admite que Macau não é um circuito condescendente, apesar de se sentir cá quase como em casa.
“Macau é perto da minha casa em Xangai, portanto costumo ter vários amigos que me vêm apoiar. O traçado do circuito é realmente difícil para os pilotos. É um dos circuitos mais difíceis que alguma vez corri, com a segunda secção, com muitas curvas, curvas cegas. Tens de estar muito confortável nesta pista e na primeira secção tens de travar para a Curva do Hotel Lisboa, que é muito irregular e fácil de bloquear as rodas”, afirma o jovem chinês.
A 65ª edição do Grande Prémio de Macau será organizada de 15 a 18 de Novembro e os bilhetes para o público já se encontram disponíveis para venda. As listas de participantes deverão ser dadas a conhecer ao público no mês de Outubro, como é tradição.

 

 

7 Ago 2018

Theodore Racing aponta à nona vitória no Grande Prémio

A Theodore Racing apresentou ontem a equipa que vai competir no Grande Prémio de Macau de Fórmula 3 e cujo objectivo passa pela conquista da vitória, que escapa à formação há dois anos. Numa cerimónia que decorreu no Grand Hotel Lisboa, devido às ligações históricas entre a equipa e a operadora SJM, principal patrocinador da formação, as metas foram apontadas pelo director da equipa Teddy Yip Jr.

“Em 2015 estabelecemos um novo recorde de vitórias, com um total de oito, que foi memorável. Agora acreditamos que estamos em boa-forma para voltar a conquistar o título”, disse Teddy Yip, ontem, na apresentação.

Este ano a equipa vai correr com os pilotos Maximillian Günther, Mick Schumacher, filho do ex-campeão mundial de Fórmula 1, Callum Illot e Guanyu Zhou.

Günther é um dos grandes favoritos, depois de ter terminado em terceiro lugar o Campeonato Europeu de Fórmula 3. “Esta prova é a jóia da coroa para todos os pilotos que querem chegar à Fórmula 1. Tive uma boa época, com um terceiro lugar na Europa e o meu objectivo é continuar a demonstrar a minha boa-forma aqui”, afirmou o alemão.

Por sua vez, Mick Schumacher recordou que é um estreante, o que traz sempre dificuldades acrescidas, mas que vai aproveitar a oportunidade para continuar a aprender e evoluir como piloto. A vitória não seria inédita para a família Schumacher, uma vez que Michael venceu em Macau em 1990. No entanto, na época de estreia o piloto acabou por desistir.

“Posso dizer, de forma honesta, que me sinto muito entusiasmado por ter a oportunidade de participar no Grande Prémio de Macau, um evento que faz parte da História e cheio de tradição”, apontou Mick Schumacher.

15 Nov 2017

Juri Vips venceu Campeonato Alemão de Fórmula 4

Formação financiada por Teddy Yip Jr, filho do ex-parceiro de Stanley Ho, viu Juri Vips sagrar-se campeão de pilotos, naquele que foi mais um título a juntar ao trinfo na classificação por equipas.

Juri Vips, estónio da Prema Theodore Racing, sagrou-se o vencedor máximo do Campeonato Alemão de Fórmula 4, no fim-de-semana, em Hockenheim, depois de levar de vencida o colega de equipa, Marcus Armstrong, e Felipe Drugovich, brasileiro da Van Amersfoort Racing. O triunfo permitiu à Prema Theodore Racing, financiada por Teddy Yip Jr, fechar a época de 2017 com chave de ouro, depois de já ter garantido, há duas semanas, o campeonato por equipas.
Na última das três corridas da época, Vips ainda apanhou um susto, quando o colega de equipa se qualificou no primeiro lugar. Contudo, durante a prova, Artem Petrov (Van Amersfoort) foi mais forte, venceu, e acabou com o sonho de Marcus Armstrong. Assim, as contas ficaram seladas com uma diferença de 4,5 pontos, a favor de Vips, que foi terceiro nesta prova.
“É incrível – que sentimento fantástico. O trabalho dos últimos meses deu bons resultados. Estou tão feliz que até vou dançar no pódio”, disse Vips, depois de se ter sagrado campeão.
Por sua vez, Teddy Yip realçou os esforços do estónio: “O Juri [Vips] provou que merece ser campeão e que é um dos pilotos mais talentosos desta geração. Merece ser acompanhado nos próximos anos”, apontou.

Luta até ao fim

À entrada para a ronda de Hockenheim estava três pilotos na luta pelo título: Marcus Armstrong, com 212 pontos, Juri Vips, com 210,5, ambos da Theodore Racing, e o brasileiro Drugovich, com 190,5 pontos, da Van Amersfoort Racing.
Apesar da vantagem, o fim-de-semana não começou bem para a Theodore. A primeira sessão de qualificação ficou marcada por vários incidentes e Vips e Armstrong viram-se impedidos de fazerem voltas lançadas.
Já o brasileiro conseguiu um tempo que lhe permitiu arrancar do segundo lugar da grelha. Uma posição que Drugovich capitalizou da melhor maneira, ao vencer a primeira corrida do fim-de-semana. Vips e Armstrong recuperaram dos 14.º e 20.º lugares até 8.º e 10.º, respectivamente.
Na segunda corrida, a situação encaminhou-se para uma vitória da Theodore. Apesar de arrancar novamente do 2.º lugar, Drugovich teve problemas técnicos e teve de abortar a partida. O brasileiro foi obrigado a partir de último e acabou mesmo por desistir, dizendo adeus ao sonho.
Vips e Armstrong voltaram a mostrar a superioridade do monolugar da equipa e recuperaram de 14.º e 24.º, em que tinham arrancado, até 6.º e 9.º, respectivamente. O alemão Lirim Zendeli, da ADAC Berlin-Brandenburg, foi o vencedor da segunda das três corridas do fim-de-semana.
Finalmente, no domingo, o campeonato ficou resolvido a favor de Juri Vips, que terminou a corrida no 3.º lugar, posição em que tinha arrancado. Armstrong foi penalizado por não ter conseguido, diante de Petrov, a vitória que lhe teria valido o título, sendo segundo.
“Foi um fim-de-semana duro. Perder um campeonato por uma margem tão pequena nunca é fácil”, desabafou, no final, Armstrong.

26 Set 2017

Fórmula 4 Alemã | Prema Theodore vence campeonato de equipas

A Prema Theodore Racing, financiada por Teddy Yip Jr – filho do antigo parceiro de negócios de Stanley Ho, Teddy Yip – garantiu o título de equipas do Campeonato Alemão de Fórmula 4 pelo segundo ano consecutivo, no passado fim-de-semana.  À partida para a sexta ronda da competição, no circuito de Saschsenring, uma vantagem de mais de 100 pontos permitia a equipa correr sem grande pressão. Os pilotos da formação, Marcus Armstrong e Juri Vips, não vacilaram e a questão ficou arrumada com três pódios, em outras tantas corridas.

“Vencer o Campeonato Alemão de Fórmula 4 é uma verdadeira prova de velocidade e consistência dos nossos pilotos. Fico muito feliz por ver o trabalho do director de equipa René Rosin e dos nossos rapazes recompensado, após o esforço que fizeram semana após semana”, afirmou Teddy Yip Jr, em comunicado.

Em relação aos resultados das corridas, na prova inaugural do fim-de-semana, o australiano Marcus Armstrong conseguiu um terceiro lugar, com o estónio Juri Vips a ser quinto. O vencedor da prova foi o alemão Julian Hanses, da formação US Racing.

Na segunda corrida, Armstrong subiu ao segundo lugar do pódio, naquele que seria o melhor resultado do fim-de-semana da formação. No pólo oposto, Vips teve a pior prestação das três corridas, não indo além do sétimo posto. Este foi um resultado que penalizou o estónio, que assim perdeu a liderança do campeonato de pilotos para o colega de equipa. Nesta prova, o vencedor foi o suíço Fabio Scherer, também da US Racing.

Finalmente na última prova de domingo, Vips ficou em quarto, à frente de Armstrong, que foi sexto, mas já não conseguiu recuperar a liderança do campeonato. Apesar da vitória do brasileiro Felipe Drugovich, da Van Amersfoort Racing, foi a Prema Theodore Racing que abriu o champanhe, com a conquista do campeonato por equipas.

“A equipa está de parabéns pela vitória conquistada, principalmente por ser a segunda vez em dois anos que este feito é alcançado”, disse Marcus Armstrong no final.

Luta intensa pelo título de pilotos

No próximo fim-de-semana o campeonato desloca-se ao mítico circuito Hockenheim, onde vai ser conhecido o vencedor do título por pilotos. Na luta estão Marcus Armstrong, com 212 pontos, Juri Vips, com 210,5, e o brasileiro Drugovich, mais atrás com 190,5 pontos.

“Não foi um fim-de-semana tolamente positivo, porque não tive um desempenho ao nível do que sou capaz de fazer. Esse facto custou-me a liderança do campeonato, mas não estamos muito longe da liderança. Vai ser uma luta muito intensa em Hockenheim”, previu Vips.

“Vai ser um fim-de-semana muito muito interessante, principalmente agora que estamos na liderança”, disse por sua vez, Armstrong.

 

Pela pátria, correr, correr

O Instituto do Desporto e a Associação de Atletismo de Macau vão organizar uma corrida para celebrar o dia da Implementação da República Popular da China, a 1 de Outubro, que vai ter o nome “Correndo em Comemoração do Dia Nacional”. A iniciativa serve igualmente para assinalar o Dia Mundial da Marcha, que é promovido pela Associação Internacional de Desporto para Todos, conhecida como TAFISA, na sigla inglesa. O evento tem uma prova de corrida e outra de maratona, sendo que vão ser distribuídos prémios para os dez melhores classificados, nas categorias masculina e feminina. Na marcha, as cinco equipas com o maior número de atletas a concluírem a prova vão ter direito a uma taça. As inscrições começaram ontem, têm um custo de cinco patacas, e prolongam-se até 24 de Setembro, com o boletim da inscrição a ter de ser entregue no Pavilhão Polidesportivo Tap Seac, na Recepção do Centro Desportivo Tamagnini Barbosa e na Recepção do Quintal Desportivo do Centro Desportivo Olímpico.

19 Set 2017

Automobilismo | Theodore Racing mantém parceria com a Prema

A Theodore Racing, a equipa criada pelo empresário de Macau Teddy Yip nos anos de 1970 e que chegou mesmo a chegar à Fórmula 1, voltará este ano a estar representada nos principais circuitos mundiais.

Sem ambições de chegar à Fórmula 1, por agora, Teddy Yip Jr, que em 2013 ressuscitou a nome da equipa fundada pelo seu pai, manterá este ano a parceria que tem com a equipa italiana e ex-vencedora do Grande Prémio de Macau de Fórmula 3, a Prema PowerTeam. “Desde que começamos no 60º Grande Prémio de Macau com a parceria entre a Theodore e a Prema, esta continuou de força em força”, explicou Yip JR ao HM.

“O ano passado a parceria cresceu de forma a incluir a temporada do Campeonato da Europa FIA de Fórmula 3, assim como a GP2 (agora chamada Fórmula 2) e os campeonatos ADAC (Alemanha) e italianos de Fórmula 4”. Este ano o programa da equipa italiana concentra-se nos mesmos campeonatos e o nome da Theodore Racing aparecerá associado a pilotos tão conhecidos como Mick Schumacher, filho de Michael Schumacher, ou Guanyu Zhou, o piloto chinês protegido da Scuderia Ferrari, na Fórmula 3, ou então o brasileiro Enzo Fittipaldi, neto de Emerson Fittipaldi, na Fórmula 4.

“Foi na base do projecto do ano passado que construímos o projecto deste ano. Esperamos continuar o nosso sucesso em conjunto por muito tempo no futuro”, elucida o empresário do território que persuadiu a BBIN, um fornecedor de software para iGaming, a apostar neste projecto, após um primeiro investimento no Grande Prémio de Macau de 2016.

Expansão asiática

Por agora o sobrinho de Stanley Ho não tem um plano definido para uma presença mais forte na Ásia, com a excepção da participação habitual no Grande Prémio de Macau. Contudo, Yip Jr tem seguido de perto a evolução do desporto no continente e não fecha as portas a uma possível presença a curto ou médio prazo.

“A expansão à Ásia é certamente um objectivo para a Theodore. Com as suas raízes firmemente plantadas em Macau, apenas faz sentido para a Theodore um regresso à Ásia com um programa a tempo-inteiro”, diz, sem no entanto esclarecer que a grande dúvida “é saber em que campeonato e quando”. As competições mais profissionalizadas do Japão são obviamente uma atracção, mas Yip Jr está atento a todas as oportunidades: “Eu disse anteriormente quanto gostaria de participar no campeonato japonês Super Fórmula, mas não é só isso. Vejo boas oportunidades nas corridas de GT, assim como nas categorias de monolugares na Ásia, como por exemplo a Fórmula 4”.

Em Macau é para vencer

Apesar da Prema PowerTeam não ter ainda definido em que moldes irá participar em Novembro no Grande Prémio de Macau, é certo e seguro que a formação transalpina se irá deslocar à RAEM com os seus Dallara-Mercedes, pintados com as cores da Theodore Racing e os melhores pilotos disponíveis. E o objectivo será novamente vencer, um prazer que o português António Félix da Costa roubou à equipa favorita o ano passado.

“Como sempre, nós esperamos atingir o primeiro lugar do pódio”, afirma sem receio Yip Jr. “Trabalhamos para sermos a equipa melhor preparada no terreno, o que com um pouco de sorte irá trazer-nos resultados. Porém, como sabem, nas corridas não há garantias.  Sendo o Circuito da Guia o que é, o que eu posso garantir é que os fãs terão um fim-de-semana de corridas excitante…”

5 Mai 2017