Don L – “Morra bem, Viva rápido”

“Morra bem, viva rápido”

Morra bem, viva rápido
Morra bem, viva…

Não é a vitória que cê quer? Então brinda
Peça, lute com fé, irmão, viva
É, esse mundo tem mulheres tão lindas
Quero-as, tudo em pérolas, filma
Rosas em Jeri, férias em Pipa
É sim, no estilo né, fé? Vida
É esse mundo tem cores tão vivas
Por que teus sonhos são todos tom cinza?
E eu ofereço rimas tipo Chandon
Tão bom, El Don, Babylon champion
Se é essa a noite, e eu não tenho nem trinta
Inda…

Ouço aquela voz: Don, viva!
Ninguém explica, a Fénix brilha
Vê em Hiroshima, as flores tão vivas
E eu pensando que ia naquele dia
Um, dois, urhhhhh, respira!

Pronto pra morrer, eu tava na ativa
Eu sei, deveria dar valor à vida
Deveria ter um bom valor aqui, má
Tipo cem mil, ia dar valor à minha
Pensando n’onde eu posso chegar
Com as jóias dessa vitrine que eu não posso comprar
Ainda, as jóia de topázio azul combina
Com as roda cromo e o carro azul piscina
Faço meu negócio virar
Os dólar espera a mim, primo, e eu não posso esperar
Eu uso meu cigarro, minha nicotina
Misturo com o trago, minha cafeína
Uma dose de Dreher nos meus neurónios
E eu procuro idéias que expulsem meus demónios
E é, eu quero algo que venda tipo gasolina
E não me tenha treta tipo cocaína
E a 120 na avenida, eu vi a modelo sorrindo pra mim
O outdoor brilha, cê não entende a fita?
Nóis tudo vive pra morrer, mas luta pela vida!

Morra bem, Viva rápido

Como vai ser?
Ei guerreiro, sinta como vai ser
Você não tem agora mas crê
Vai chegar a hora e a vitória vai ter
Como vai ser? Cê imagina
Tudo de bom
Já lhe brilha
Tudo que eu cito no som
E espera por você negô

Don L

LUANDA COZETTI, NORTON DAIELLO

20 Jan 2020

Don L – "Morra bem, Viva rápido"

“Morra bem, viva rápido”

Morra bem, viva rápido
Morra bem, viva…
Não é a vitória que cê quer? Então brinda
Peça, lute com fé, irmão, viva
É, esse mundo tem mulheres tão lindas
Quero-as, tudo em pérolas, filma
Rosas em Jeri, férias em Pipa
É sim, no estilo né, fé? Vida
É esse mundo tem cores tão vivas
Por que teus sonhos são todos tom cinza?
E eu ofereço rimas tipo Chandon
Tão bom, El Don, Babylon champion
Se é essa a noite, e eu não tenho nem trinta
Inda…
Ouço aquela voz: Don, viva!
Ninguém explica, a Fénix brilha
Vê em Hiroshima, as flores tão vivas
E eu pensando que ia naquele dia
Um, dois, urhhhhh, respira!
Pronto pra morrer, eu tava na ativa
Eu sei, deveria dar valor à vida
Deveria ter um bom valor aqui, má
Tipo cem mil, ia dar valor à minha
Pensando n’onde eu posso chegar
Com as jóias dessa vitrine que eu não posso comprar
Ainda, as jóia de topázio azul combina
Com as roda cromo e o carro azul piscina
Faço meu negócio virar
Os dólar espera a mim, primo, e eu não posso esperar
Eu uso meu cigarro, minha nicotina
Misturo com o trago, minha cafeína
Uma dose de Dreher nos meus neurónios
E eu procuro idéias que expulsem meus demónios
E é, eu quero algo que venda tipo gasolina
E não me tenha treta tipo cocaína
E a 120 na avenida, eu vi a modelo sorrindo pra mim
O outdoor brilha, cê não entende a fita?
Nóis tudo vive pra morrer, mas luta pela vida!
Morra bem, Viva rápido
Como vai ser?
Ei guerreiro, sinta como vai ser
Você não tem agora mas crê
Vai chegar a hora e a vitória vai ter
Como vai ser? Cê imagina
Tudo de bom
Já lhe brilha
Tudo que eu cito no som
E espera por você negô

Don L

LUANDA COZETTI, NORTON DAIELLO

20 Jan 2020

Couple Coffee – “Conversa de Botequim”

“Conversa de Botequim”

Seu garçom, faça o favor de me trazer depressa
Uma boa média que não seja requentada
Um pão bem quente com manteiga à beça,
Um guardanapo e um copo d’água bem gelada
Feche a porta da direita com muito cuidado
Que eu não estou disposto a ficar exposto ao sol
Vá perguntar ao seu freguês do lado
Qual foi o resultado do futebol

Se você ficar limpando a mesa
Não me levanto e nem pago a despesa
Vá pedir ao seu patrão uma caneta, um tinteiro
Um envelope e um cartão
Não se esqueça de me dar palitos
E um cigarro pra espantar mosquitos
Vá dizer ao charuteiro, que me empreste umas revistas
Um isqueiro e um cinzeiro

Seu garçom, faça o favor de me trazer depressa
Uma boa média que não seja requentada
Um pão bem quente com manteiga à beça,
Um guardanapo e um copo d’água bem gelada
Feche a porta da direita com muito cuidado
Que eu não estou disposto a ficar exposto ao sol
Vá perguntar ao seu freguês do lado
Qual foi o resultado do futebol

Telefone ao menos uma vez para 34-4333
E ordene ao seu Osório
Que me mande um guarda-chuva
Aqui pro nosso escritório
Seu garçom me empreste algum dinheiro
Que eu deixei o meu com o bicheiro
Vá dizer ao seu gerente
Que pendure essa despesa no cabide ali em frente
[Noel Rosa, 1935[/small>

Couple Coffee

LUANDA COZETTI, NORTON DAIELLO

28 Out 2019

Couple Coffee – "Conversa de Botequim"

“Conversa de Botequim”

Seu garçom, faça o favor de me trazer depressa
Uma boa média que não seja requentada
Um pão bem quente com manteiga à beça,
Um guardanapo e um copo d’água bem gelada
Feche a porta da direita com muito cuidado
Que eu não estou disposto a ficar exposto ao sol
Vá perguntar ao seu freguês do lado
Qual foi o resultado do futebol
Se você ficar limpando a mesa
Não me levanto e nem pago a despesa
Vá pedir ao seu patrão uma caneta, um tinteiro
Um envelope e um cartão
Não se esqueça de me dar palitos
E um cigarro pra espantar mosquitos
Vá dizer ao charuteiro, que me empreste umas revistas
Um isqueiro e um cinzeiro
Seu garçom, faça o favor de me trazer depressa
Uma boa média que não seja requentada
Um pão bem quente com manteiga à beça,
Um guardanapo e um copo d’água bem gelada
Feche a porta da direita com muito cuidado
Que eu não estou disposto a ficar exposto ao sol
Vá perguntar ao seu freguês do lado
Qual foi o resultado do futebol
Telefone ao menos uma vez para 34-4333
E ordene ao seu Osório
Que me mande um guarda-chuva
Aqui pro nosso escritório
Seu garçom me empreste algum dinheiro
Que eu deixei o meu com o bicheiro
Vá dizer ao seu gerente
Que pendure essa despesa no cabide ali em frente
[Noel Rosa, 1935[/small>

Couple Coffee

LUANDA COZETTI, NORTON DAIELLO

28 Out 2019

Morreu João Gilberto, o “pai” da Bossa Nova

O cantor e compositor brasileiro João Gilberto, considerado um dos pais da Bossa Nova, morreu este sábado no Rio de Janeiro, aos 88 anos, informou um dos filhos do artista. O compositor morreu em sua casa, no Rio de Janeiro, revelou o seu filho João Marcelo Gilberto, citado pelos media brasileiros.

Na sua página na rede social Facebook, o filho recordou o percurso do músico e compositor. “O meu pai morreu. A luta dele foi nobre, tentou manter a dignidade à luz da perda de sua soberania. Agradeço à minha família (meu lado da família) por estar lá para ele, e Gustavo por ser um amigo de verdade para nós, e cuidar dele como um de nós. Por fim, gostaria de agradecer a Maria do Céu por estar ao seu lado até o final. Ela era sua verdadeira amiga e companheira”.

O sucesso de João Gilberto chegou com o álbum “Chega de Saudade”, gravado em 1959. Uma canção que, apesar de composta por Vinicius de Moraes e musicada por António Carlos Jobim, outros mestres da Bossa Nova, acabaria por ficar na memória de muitos devido à interpretação peculiar de João Gilberto, que influenciaria novas gerações de músicos, como foi o caso de Chico Buarque ou Caetano Veloso. Álbuns como “O amor, o sorriso e a flor”, de 1960 e “João Gilberto”, de 1961, iriam cimentar esse papel, nunca perdido, de pai da Bossa Nova. Em 2015, a revista Rolling Stone Brasil considerou-o o segundo melhor músico de todos os tempos, um lugar que apenas foi ultrapassado apenas por Tom Jobim.

Caetano Veloso, que se encontra em Portugal, disse à RTP sobre a morte do mestre: “Acabei de saber que o João morreu, para mim isso é importante de mais, toma conta da minha cabeça inteira. João é para mim o maior artista brasileiro, sob todos os pontos de vista, não só na música popular, para mim, na história da minha vida, é o maior artista do mundo. Ele foi muito mais que uma inspiração, foi uma revelação”.

7 Jul 2019

Teto Preto – “Gasolina”

“Gasolina”

Gasolina, gasolina neles
Gasolina, gasolina neles
Gasolina, gasolina neles
Gasolina neles
Gasolina, gasolina neles

Quando eu voltei para El Dourado
Não sei se antes ou depois
Quando eu vi a paisagem mutável, a natureza
A mesma gente perdida em sua infinita grandeza
Eu trazia uma forte amargura dos encontros perdidos
E outra vez me perdia no fundo dos meus sentidos
Eu não acreditava em sonhos, em mais nada
Apenas a carne me ardia
E eu não me encontrava
Apenas a carne me ardia

Gasolina, gasolina neles
Gasolina neles
Gasolina, gasolina neles
Gasolina neles
Gasolina, gasolina neles
Gasolina neles
Gasolina, gasolina neles

Eu sou o pão vivo que desceu do céu
E quem comer deste pão para sempre viverá
E esse, esse é o meu sangue
Eu andarei por aí
Pela vida a fundo
E quem come da minha carne e bebe do meu sangue
permanece em mim e eu nele

Gasolina, gasolina neles
Gasolina, gasolina neles
Gasolina neles
Gasolina, gasolina neles
Gasolina, gasolina neles
Gasolina neles!

Eu sou uma metralhadora em estado de graça

Teto Preto

ZOPELAR, ANGELA CARNEOSO, BICA

6 Jun 2019

Hierofante Púrpura – “Lânguida Luz”

“Lânguida Luz”

Essa força que me toma
é de um Deus
que nasceu
dentro da flor

Desabrochou em mim
e se fez assim
lânguida cor

Uma mistura branca
castanho
e laranja
cheirei
devaneei
nas curvas daquela fumaça azul
que me completou
me completou
completo!

Eu cogumelo
fui sapo
fui lobo
via Lua
vi Sol
eu fui eu fui
eu vi eu vi
eu fui no topo da colina de pedras

Magnéticas pedras.

Hierofante Púrpura

5 Dez 2018

Bárbara Eugenia e Tatá Aeroplano – “Dos Pés”

“Dos Pés”

O vento leva para tão longe
Bem distante
Aqui tão perto
Muito perto
Estão seus pés e só
Tenho pés, tenho dedos
Tenho plantas
Tenho planos

Minha vida
Onde foi
Minha memória
Não te peço nenhum risco
Nenhum giz
Só o seu amor

Nas ruas passeiam os pés
Os pés que pisoteiam o asfalto não são meus
Não são meus, nem são seus
Os seus andam com os meus
Curvas retas e até ladeiras

O nosso andar vai junto
Porque os meus pés são os seus
E os seus estão nos meus
Pés.

Barbara Eugenia e Tatá Aeroplano

31 Mai 2017

Apanhador Só – “Mordido”

“Mordido”

Essa balela aqui não vai colar
não tá tão fácil assim pra convencer
esse teu papo de querer crescer
a parceria, jogo aberto e tal
não cola mais, já deu pra perceber
que se alguém sai ganhando aqui é tu
aqui tem peito pra identificar
que ao contrário do teu lá lá lá
negócio aí não é nada mais do que nãnã e meter no nosso

O teu esquema sempre foi lograr
criar uma imagem boa pra vender
na captura do nosso querer
tá conseguindo é nos provocar
toma cuidado pra não se perder
que aqui na espera tão querendo um
um só, que sirva pra exemplificar
que volte vivo pra poder contar
como é que fecha assim lacrado, interditado, aqui o nosso

Apanhador Só

ALEXANDRE KUMPINSKI, LORENZO FLACH< FOCA, FELIPE ZANCANARO, FERNÃO AGRA, DIEGO POLONI

25 Mar 2017

Marcelo Camelo – “Tudo o que você quiser”

“Tudo o que você quiser”

Tudo o que você quiser
Tempo de recomeçar
Solidão eu já vivi
Na cidade que não volta

Todo o meu amor até
Impossível de se dar
Tarde de ser andada a pé
Na cidade que não volta

Hoje eu vim pelo mar
Naveguei de volta
Só passei pra falar
Que eu não vi resposta

Tudo o que você quiser
Tempo de recomeçar
Coração no seu lugar
Na cidade que não volta

Hoje eu vim pelo mar
Naveguei sem volta
Mas passei pra falar
Que eu não vi resposta

Marcelo Camelo

13 Mar 2017

Autoramas – “Quando a polícia chegar”

“Quando a polícia chegar”

Odeio segunda
Não gosto de terça
Melhoro na quarta
Sorrio na quinta
Gargalho na sexta
E subo na mesa

Ali começo a dançar
E só vou parar
Quando a polícia chegar

Acabou a cerveja
Alguém foi comprar
Aumente o volume
Ainda tem gelo
E o uísque barato
Saiu de controle

E não tem como voltar
Só vamos parar
Quando a polícia chegar

E começo a dançar
E só vou parar
Quando a polícia chegar

Acabou a cerveja
Alguém foi comprar
Aumente o volume
Ainda tem gelo
e o uísque barato
Saiu de controle

E não tem como voltar
Só vamos parar
Quando a polícia chegar

Quando a polícia chegar
Quando a polícia chegar
Quando a polícia chegar
Quando a polícia chegar

Autoramas

8 Ago 2016

Céu – “Perfume do Invisível”

“Perfume do Invisível”

No dia em que eu me tornei invisível
Passei um café preto ao teu lado
Fumei desajustado um cigarro
Vesti a sua camiseta ao contrário
Aguei as plantas que ali secavam
Por isso o cheiro impregnava

O seu juízo
O meu juízo
Invisível
E o mundo a meu favor
Para me despir
E ser quem eu sou
Logo que o perfume do invisível
Te inebriou
Você me viu
E o mundo também
E o que tava quietinho ali
Se mostrou, meu bem…

Céu

16 Abr 2016

Thiago Pethit – “1992”

“1992”

Se você quiser me encontrar
Na noite mais escura
Eu estarei na rua
Como um rebelde noir
Com minha calça gasta
Enquanto o sol se afasta

Eu sei que assim como eu
Você faz do escuro seu lugar seguro
Venha como você quiser
E seja como é, um anti-herói qualquer

I still smell beer and leather
Running under your sweater
C’mon c’mon
como quiser
C’mon c’mon como você é

Venha se esconder por aqui
E só sair com a lua correndo no rua
I’ve got lust for youth
C’mon c’mon
como quiser
C’mon c’mon como você é
C’mon c’mon c’mon c’mon come on

Thiago Pethit

16 Mar 2016