SMG garantem continuidade da qualidade dos serviços

O director dos Serviços Meteorológicos e Geofísicos (SMG), Leong Weng Kun, garantiu ontem que o corte orçamental a ser imposto pelo Governo no sector público em 2021, não vai afectar a qualidade dos serviços meteorológicos. Contudo, o responsável admitiu a necessidade de reduzir despesas de outra forma, acrescentando que os cortes podem mesmo ultrapassar a exigência do Executivo.

“Estamos a planear fazer um ajustamento tendo em conta um corte superior a dez por cento. Por isso, talvez haja necessidade de prescindir de alguns equipamentos e reduzir a forma como executamos algumas operações, mas prometemos que não vamos diminuir a qualidade dos nossos serviços por causa do corte orçamental”, sublinhou Leong Weng Kun, por ocasião da apresentação e funcionamento do novo Centro de Vigilância Meteorológica dos SMG.

Ficou ainda a garantia de que nenhuma das 13 estações automáticas de controlo meteorológico será removida. Sobre os recursos humanos, apesar de a gestão não ser autónoma do Governo, o director dos SMG assegurou que o número de pessoal é “estável”, não prevendo contratações nos próximos dois anos.

No evento, Leong Weng Kun, vincou ainda a necessidade de promover conhecimentos relacionados com a meteorologia, para que seja mais fácil a população compreender as decisões tomadas, sobretudo, quando a impervisibilidade é uma constante.

“Estamos a fazer o nosso melhor para promover (…) algum do nosso conhecimento, porque achamos que, se os cidadãos e os media souberem mais, vão perceber as nossas dificuldades. As previsões meteorológicas têm um certo grau de imprevisibilidade que não podemos controlar (…), ao ponto de podermos falhar as nossas previsões e desiludir a população”, explicou.

Exemplo desse conhecimento foi transmitido ontem, com a apresentação do sistema actualização do mapa de trajectória de tempestade tropical, que permite indicar a posição e o caminho actual, passado e estimativo da ocorrência.

Ainda não acabou

Quando questionado sobre se é normal que apenas tenha ocorrido uma tempestade tropical até agora, Leong Weng Kun lembrou que ainda faltam mais de dois meses para acabar a época dos tufões e mantém a previsão feita no final de Março.

“Já tivemos a primeira ocorrência a meio de Junho e prevemos para este ano entre quatro a seis tempestades tropicais (…) em que, pelo menos um deles, será um tufão severo. É difícil dizer se é ou não normal que só tenha ocorrido um tufão, pois ainda estamos a meio de Julho e ainda faltam os meses de Agosto e Setembro”, apontou.

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários