Saúde | Detidas 15 pessoas envolvidas no escândalo de vacinas defeituosas

A polícia chinesa ordenou, na terça-feira, a detenção de quinze pessoas envolvidas no recente escândalo de vacinas defeituosas contra a raiva, incluindo a directora do laboratório Changchun Changsheng, acusada de falsificar registos de produção e inspecção. “O departamento de segurança pública do novo distrito de Changchun [noroeste da China] deteve 15 pessoas, incluindo a presidente e outras pessoas envolvidas no caso Changsheng”, de acordo com a emissora estatal CCTV.
Na semana passada, uma investigação da Administração de Alimentos e Medicamentos da China (CFDA), acusou a empresa de falsificar registos de produção de aproximadamente 113 mil vacinas contra raiva, além de distribuir mais de 250 mil doses defeituosas contra difteria, tétano e tosse convulsa. Em resposta, o primeiro-ministro chinês ordenou na segunda-feira uma série de investigações à indústria de vacinas chinesa. Em comunicado, Li Keqiang referiu que a Changchun Changsheng “violou uma linha moral”, num momento em que as autoridades lutam para restaurar a fé pública na regulamentação de segurança.
No mesmo dia, Xi Jinping repudiou as práticas “chocantes” da empresa e exigiu uma investigação profunda do caso.
A raiva é endémica em algumas áreas da China.

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários