Tenista Gonçalo Oliveira apura-se para a segunda ronda do ‘challenger’ de Anning

O tenista português Gonçalo Oliveira apurou-se hoje para a segunda ronda do torneio ‘challenger’ de Anning, na China, ao bater o chinês Zihao Xia em dois rápidos ‘sets’.

O número quatro nacional, 295.º classificado da hierarquia da ATP, impôs-se pelos parciais de 6-2 e 6-0 frente a Xia, 357.º do mundo, num embate disputado em terra batida, que durou 58 minutos.

Depois de três derrotas em rondas inaugurais nos torneios de Saint Brieuc (França), Alicante (Espanha) e Taipé (Taiwan), Gonçalo Oliveira, de 24 anos, reencontrou-se com os triunfos e vai defrontar na segunda eliminatória outro tenista chinês, Ze Zhang, 16.º cabeça de série e 215.º do ‘ranking’ mundial.

15 Abr 2019

Tenista britânico Andy Murray anuncia abandono da carreira este ano

O tenista britânico Andy Murray anunciou que se vai retirar dos campos este ano e admitiu que o Open da Austrália pode até ser seu último torneio por causa da lesão na anca que lhe prejudicou a carreira.

Murray, de 31 anos, que chegou a ser número um do mundo no ranking ATP, disse numa conferência de imprensa que tem treinado com o objectivo principal de fazer uma última participação em Wimbledon, onde venceu por duas vezes. O escocês, emocionado, chegou mesmo a abandonar a sala a chorar, mas regressou para afirmar não tinha certeza sobre o tempo que poderia ainda jogar.

“Eu vou jogar [na Austrália]. Ainda posso jogar a um nível – não ao nível que eu estou satisfeito. (…) Mas também, não é só isso. A dor é demasiada”, lamentou.

O tricampeão de torneios do Grand Slam vai disputar a sua primeira partida no Open da Austrália contra o número 23 do ranking, Roberto Bautista, numa prova em que foi finalista vencido em cinco ocasiões. Murray foi submetido a uma cirurgia à anca em Janeiro de 2018. Depois de duas breves tentativas para regressar, jogou apenas 12 partidas no ano passado.

O tenista voltou aos campos em Brisbane na semana passada, onde venceu sua partida de estreia, mas perdeu na segunda ronda para Daniil Medvedev, mostrando óbvias dificuldades para se movimentar.

Murray teve uma carreira de sucesso, acabando com prolongados períodos sem vitórias nos Grand Slam para os britânicos, quando venceu o Open dos Estados Unidos em 2012 e Wimbledon no ano seguinte, tornando-se no único jogador a ganhar medalhas de ouro consecutivas nas Olimpíadas.

O Britânico fez parte do grupo de quatro tenistas masculinos que dominaram num mesmo período os grandes torneios mundiais, com Roger Federer, Rafael Nadal e Novak Djokovic.

Agora, será provavelmente o mais novo deles aposentar-se. Aos 37 anos, Federer está na Austrália para tentar conquistar o título pelo terceiro ano consecutivo e pela sétima vez no geral. Aos 31 anos, Djokovic, no topo do ranking ATP, procura conquistar o sétimo título australiano. Nadal, de 32 anos, número dois do ranking, está confiante em prolongar a sua carreira por mais alguns anos.

Murray, que chegou a seis finais em torneios de Grand Slam, contabiliza 663 vitórias e 190 derrotas, que resultaram na conquista de 45 títulos, entre eles os de Wimbledon (2013 e 2016), Open dos Estados Unidos (2012), bem como em duas medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos (2012 e 2016).

11 Jan 2019

Bielorrussa Aryna Sabalenka conquista torneio de ténis de Shenzhen

A jovem tenista bielorrussa Aryna Sabalenka, de 20 anos, conquistou ontem o terceiro torneio WTA da sua carreira, ao bater na final de Shenzhen, na China, a norte-americana Alison Riske.

Sabalenka, 13.ª jogadora mundial e primeira cabeça de série, superiorizou-se a Riske, 62.ª, em três ‘sets’, pelos parciais de 4-6, 7-6 (7-2) e 6-3, em duas horas e 11 minutos.

As duas jogadoras também disputaram ontem as meias-finais, com Sabalenka a superar a anfitriã Wang Yafan, 70.ª da tabela WTA, por 6-2 e 6-1 e Riske a beneficiar do abandono da russa Vera Zvonareva, 109.ª, quando vencia por 6-0 e 1-0.

6 Jan 2019

João Sousa eliminado no ‘qualifying’ do Masters 1000 de Xangai

O tenista português João Sousa ficou hoje fora do quadro principal do torneio Masters 1000 de Xangai, na China, ao perder na última ronda do ‘qualifying’ com o francês Benoit Paire, por 6-7 (4-7), 6-4 e 6-4.

O número um português, que ocupa o 43.º posto no ‘ranking’ mundial, perdeu após uma hora de 58 minutos de encontro.

O vimaranense, segundo cabeça de série da fase de qualificação, salvou o seu serviço várias vezes na primeira partida, evitando inclusivamente um ‘set-point’ quando Paire vencia por 6-5, e acabou por se superiorizar no jogo de desempate.

Nos dois ‘sets’ seguintes, João Sousa nunca conseguiu ameaçar o serviço de Paire, enquanto o francês, antigo jogador do ‘top-15’ mundial e atual 63.º, conseguiu um ‘break’ em cada um deles, o suficiente para vencer o encontro e conseguir uma vaga quadro principal.

João Sousa procurava a sua quinta participação no Masters 1000 de Xangai, onde nunca conseguiu ultrapassar a primeira eliminatória.

7 Out 2018

João Sousa eliminado na primeira ronda do torneio de ténis de Pequim

O tenista português João Sousa, 43.º do ‘ranking’ mundial, foi ontem eliminado na primeira ronda do torneio de Pequim, na China, em piso duro, ao perder com o russo Andrey Rublev, 68.º da hierarquia.

O número 1 nacional cedeu em dois ‘sets’, pelos parciais de 6-0 e 6-4, em apenas uma hora e sete minutos.

João Sousa foi completamente dominado no primeiro ‘set’ e no segundo sofreu um ‘break’ logo no terceiro jogo e não mais recuperou, tendo o primeiro e único ponto para quebrar o serviço ao adversário já no 10.º jogo.

O tenista luso não conseguiu, porém, concretizá-lo e fazer o 5-5, com o russo a vencer, então, três pontos consecutivos e a selar a vitória.

João Sousa admite incapacidade de superar “altíssimo nível” de Andrey Rublev
O tenista português João Sousa admitiu ter sido incapaz de contrariar o “altíssimo nível” demonstrado pelo russo Andrey Rublev na partida que ditou a sua eliminação na primeira ronda do torneio de Pequim.

“Não consegui vencer, o Andrey fez um encontro muito bom, aqui as condições de jogo eram-lhe muito favoráveis e a verdade é que fez um encontro muito bom, não tive qualquer hipótese para contrariar o estilo de jogo dele, muito forte. Conseguiu jogar a um altíssimo nível e eu, sinceramente, não consegui encontrar esse antídoto para fazer frente a esse bom nível dele. Daí a vitória contundente por parte dele”, disse, em mensagem divulgada pela assessoria de imprensa do jogador.

O número um português cedeu em dois ‘sets’ frente ao 68.º da hierarquia, pelos parciais de 6-0 e 6-4, em apenas uma hora e sete minutos. “Agora é preparar da melhor maneira o próximo torneio em Xangai, onde vou disputar o ‘qualifying’ para tentar voltar a esse bom nível e tentar fazer bons encontros lá”, disse.

3 Out 2018

Ténis | João Sousa nos quartos de final em Chengdu

O tenista português João Sousa, sétimo cabeça de série, qualificou-se ontem para os quartos de final do torneio de Chengdu, na China, ao vencer o canadiano Vasek Pospisil, em três ‘sets’.

O número um português perdeu o primeiro parcial frente a Pospisil, 86.º do mundo, e esteve em desvantagem por 5-2 no terceiro, mas acabou por vencer o encontro, por 6-7 (4-7), 6-4 e 7-6 (7-0), após duas horas e 51 minutos.

“Estou muito contente com esta vitória, pela maneira como lutei e como consegui dar a volta a um encontro muito exigente, tanto a nível físico, como mental”, disse João Sousa, em declarações à sua assessoria de comunicação.

O tenista português, 50.º do ‘ranking’ mundial, apenas cedeu um jogo de serviço em todo o encontro, que o deixou a perder por 4-2 no terceiro ‘set’, mas conseguiu devolver o ‘break’ quando o canadiano servia para vencer.

“Acreditei sempre que podia dar a volta. Consegui salvar duas bolas de encontro [numa altura em que já tinha recuperado de 5-2 para 5-4] e acabei por vencer no ‘tie-break’, que foi só num sentido, para mim”, assinalou João Sousa, vencedor do desempate por 7-0.

Nos quartos de final, João Sousa vai defrontar o tunisino Malek Jaziri, 63.º classificado da hierarquia mundial, que surpreendeu o francês Adrian Mannarino, 33.º e quarto cabeça de série, ao impor-se em apenas dois ‘sets’, por 6-3 e 7-6 (7-5).

Após o quarto triunfo em outros tantos encontros frente a Pospisil, o número um nacional qualificou-se para as meias-finais da prova de pares, ao lado do argentino Guido Pella, graças ao triunfo por 7-6 (7-1) e 6-3 sobre os indianos Sriram Balaji e Rohan Bopanna.

27 Set 2018

Taça Davis / Ténis: Portugal joga na Ucrânia pela permanência no Grupo I

A selecção portuguesa de ténis defronta a Ucrânia na primeira eliminatória do ‘play off’ do Grupo I da Zona Europa/África da Taça Davis, num encontro em Bucha, nos arredores de Kiev, entre amanhã e sábado.

Depois de ter sido beneficiada com um ‘bye’ na primeira ronda e ter cedido perante a Suécia (3-2), na segunda jornada em abril, Portugal vai agora disputar com a Ucrânia a permanência no Grupo I da Zona Europa/África, no piso rápido do Campa Tennis Club, a superfície escolhida pelos anfitriões.

A equipa vencedora garante automaticamente a permanência no Grupo I, enquanto a seleção derrotada terá ainda mais uma ronda de ‘play off’, no caso diante da África do Sul, para tentar evitar a descida de Divisão.

“Jogar fora ou em casa na Taça Davis tem sempre um papel preponderante e nós temos o nosso historial que nos diz precisamente isso. Esperamos dois dias bastante difíceis. Vai ser duro, mas nós viemos para ganhar”, afirmou o capitão da seleção nacional, Nuno Marques, em declarações à Lusa.

Em 2017, Portugal recebeu e impôs-se à formação ucraniana nos ‘courts’ de terra batida do Clube Internacional de Foot-Ball (CIF), em Lisboa, mas na próxima eliminatória, “além do encontro ser fora e no piso escolhido pelo adversário”, o que “é uma vantagem”, Nuno Marques defende que vai encontrar uma equipa reforçada.

“A Ucrânia está bem mais forte. Têm o Sergiy Stakhovsky, que é um jogador bastante experiente, bom em singulares e que já ganhou ao João [Sousa] em Wimbledon este ano, e têm ainda o Illya Marchenko, além do Denys Molchanov, que está no top-80 de pares. Vão jogar com uma equipa bastante diferente daquela que jogou no CIF”, destaca.

A defender as cores nacionais vão estar João Sousa, 49.º do ‘ranking’ individual ATP, Pedro Sousa (144.º), Gastão Elias (154.º) e João Domingues (218.º) no confronto com Sergiy Stakhovsky (142.º), Illya Marchenko (337.º), Denys Molchanov (77.º ‘ranking’ pares ATP) e o estreante de 17 anos, Pavel Shumeiko, orientados pelo capitão Andrei Medvedev.

Apesar das teóricas vantagens de jogar em casa e na superfície preferida, “embora num campo lento dentro dos pisos rápidos e ‘outdoor’, o que é do agrado” dos portugueses, Nuno Marques revela não ter certeza se “atribuiria o favoritismo à Ucrânia” na próxima eliminatória. “Acho que se jogarmos bem, temos muito boas possibilidades de ganhar e esse é o objetivo”.

Favorável às pretensões de Portugal, além de uma equipa com melhor classificação no ‘ranking’ mundial, são ainda as recentes conquistas de João Sousa, que se tornou no primeiro português a jogar os oitavos de final de um Grand Slam, no US Open, e de Pedro Sousa no Circuito ATP Challenger, que segundo o capitão português dão ainda maior motivação à equipa.

“Estamos muito contentes. O João fez um excelente torneio no US Open e o Pedro ganhou recentemente o Pullach Challenger, apesar de ter sido em terra batida”, elogiou.

12 Set 2018

Federação Internacional de Ténis apoia árbitro português Carlos Ramos

A Federação Internacional de Ténis (ITF) respaldou ontem a atuação do árbitro Carlos Ramos no incidente protagonizado pela norte-americana Serena Williams, na final feminina do Open dos Estados Unidos. Em comunicado, a ITF destaca o trajecto e a correra atuação do árbitro português, face à atitude daquela tenista, na final que veio a perder ante a japonesa Naomi Osaka.

“Carlos Ramos é um dos árbitros mais experientes e respeitados no ténis. As decisões (…) estavam de acordo com as regras pertinentes e foram reafirmadas com a decisão da organização do US Open em multar Serena Williams pelas três ofensas que fez”, refere o comunicado.

De acordo com a ITF, “é compreensível que este incidente grave e lamentável deva provocar um debate”.

“Ao mesmo tempo, é importante recordar que o senhor Ramos assumiu as suas funções como funcionário de acordo com o regulamento correspondente e atuou sempre com profissionalismo e integridade”, reforçou a ITF.

Serena Williams, recordista de títulos em Grand Slams (com 23), provocou um incidente polémico na final feminina, protestando de forma intensa e reiterada e insultou mesmo Carlos Ramos, a quem chamou “ladrão e mentiroso”.

No sábado, a japonesa Naomi Osaka conquistou o seu primeiro título do ‘Grand Slam’, ao vencer Serena Williams por 6-2 e 6-4, na final do Open dos Estados Unidos.

11 Set 2018

US Open | Serena Williams multada em 17.000 dólares

A tenista norte-americana Serena Williams foi multada em 17.000 dólares, depois de ter recebido três advertências do árbitro português Carlos Ramos na final do US Open, frente à japonesa Naomi Osaka.

A informação foi divulgada hoje pela organização do torneio norte-americano, quarto e último Grand Slam de 2018, no relatório de sanções aplicadas às tenistas que infringiram as regras, o que no caso de Williams passou por chamar “ladrão” a Carlos Ramos.

A norte-americana recebeu três advertências do árbitro português: por ‘coaching’ (receber instruções do treinador), por ter partido uma raqueta, que deu origem a um ponto de penalidade, e abuso de linguagem, do qual resultou num jogo de penalidade.

Osaka venceu o encontro em dois ‘sets’, pelos parciais de 6-2 e 6-4, conquistando, aos 20 anos, o primeiro título do Grand Slam frente a veterana Williams, de 36 anos, que se tinha imposto em Nova Iorque (1999, 2002, 2008, 2012, 2013 e 2014).

WTA pede igual tratamento para homens e mulheres no ténis

Entretanto, a Associação de Ténis Feminino (WTA) pediu igual tratamento para todos os competidores e treinadores dos circuitos de ambos os sexos, após o incidente na final do Open dos Estados Unidos.

“A WTA acredita que não deve haver diferença nos padrões de tolerância proporcionados às emoções expressas por homens e mulheres e estamos comprometidos em trabalhar com o desporto para garantir que não haja discriminação. Não acreditamos que isso tenha sido feito sábado à noite”, disse Steve Simon, diretor-geral do organismo.

Na final com Naomi Osaka, a norte-americana Serena Williams foi punida com três violações de conduta pelo árbitro português Carlos Ramos, num jogo vencido pela jovem nipónica por esclarecedores 6-2 e 6-4.

Serena Williams agrediu verbalmente o árbitro, chamando-o de “mentiroso e ladrão”, por este a punir por ter recebido instruções da bancada – o treinador de Serena confirmou que o fez, embora diga que a sua pupila não o ouviu – e acusou-o de “sexismo”.

A Pro Tour feminina solidarizou-se também. O campeão masculino, o sérvio Novak Djokovic, igualmente castigado no passado pelo juiz luso, entende que o castigo não deveria ter sido tão duro.

“Podia ter sido diferente, mas não mudou o rumo da partida”. Na minha opinião talvez tenha sido desnecessário. Todos temos as nossas emoções, principalmente quanto lutamos por um título do Grand Slam”, disse.

Ainda assim, o terceiro jogador do ranking discorda que haja tratamento diferente dos árbitros para homens e mulheres. “Não vejo as coisas da mesma forma do senhor (Steve) Simon. Realmente não. Acho que homens e mulheres são tratados desta ou daquela forma dependendo da situação. É difícil generalizar as coisas, realmente. Acho que não é necessário haver este debate”, concluiu.

10 Set 2018

Djokovic sobe ao terceiro lugar no ‘ranking’ ATP e João Sousa reentra no top 50

O tenista sérvio Novak Djokovic, vencedor do US Open, no domingo, subiu ao terceiro lugar do ‘ranking’ mundial, classificação em que o português João Sousa progrediu 19 lugares, sendo agora 49.º.

Se a Djokovic valeu o título no quarto ‘major’ da temporada para se situar nos três primeiros, atrás de Rafael Nadal e Roger Federer, Sousa regressa ao top-50, depois de ter sido o primeiro tenista português a atingir os oitavos de final de um Grand Slam.

O português, que tem como melhor registo na hierarquia mundial um 28.º lugar, em maio de 2016, foi eliminado na competição nova-iorquina por Djokovic, 6-3, 6-4, 6-3.

No domingo, na final, o tenista sérvio bateu o argentino Juan Martín Del Potro, por 6-3, 7-6(4) e 6-3, garantindo pela terceira vez na sua história um triunfo em Flushing Meadows e a 14.ª vitória num torneio do Grand Slam.

Djokovic, que chegou em 2018 a sair dos 20 primeiros da classificação, devido a lesão, igualou Pete Sampras no número de ‘majors’ 14, tendo apenas diante de si Roger Federer (20) e Rafael Nadal (17).

Na classificação ATP, hoje divulgada, destaque igualmente para a subida do japonês Kei Nishikori, semifinalista vencido em Nova Iorque, do 19.º para o 12.º lugar.

Em femininos, o quarto e último torneio do Grand Slam da época permitiu a entrada no top-10 da campeã, Naomi Osaka, a primeira japonesa a vencer um ‘major’, depois de bater na final a norte-americana Serena Williams.

Osaka ocupa agora o sétimo lugar, enquanto Serena Williams, que ainda recupera no ‘ranking’ depois de ter sido mãe no último ano, subiu dez posições e é 16.ª classificada.

Na liderança continua a romena Simona Halep, seguida pela dinamarquesa Caroline Wozniacki, e agora pela alemã Angelique Kerber, com a norte-americana Sloane Stephens a cair para o nono lugar.

10 Set 2018

US Open | Osaka vence ídolo Serena Williams para conquistar primeiro ‘major’

A japonesa Naomi Osaka conquistou no sábado o primeiro título do Grand Slam, ao vencer a norte-americana e hexacampeã Serena Williams na final do US Open em ténis, último ‘major’ da temporada.

Aos 20 anos, a número 19 no ‘ranking’ mundial entrou no Arthur Ashe Stadium nervosa, como admitiu na curta entrevista prévia à final, mas determinada a fazer frente ao seu ídolo Serena Williams, a quem acabou por vencer, em dois ‘sets’ por 6-2 e 6-4, para conquistar o troféu.

Num encontro polémico, e dominado desde início pela jovem nipónica, as atenções estiveram, contundo, centradas no árbitro português Carlos Ramos e na norte-americana, que recebeu três advertências. A primeira por ‘coaching’, seguida de abuso de raqueta (que deu origem a um ponto de penalidade) e ainda abuso de linguagem, que resultou num jogo de penalidade.

Serena Williams, 26.ª do mundo, não foi capaz de aceitar a primeira advertência, por ter recebido indicações do treinador Patrick Mouratoglou, e reagiu, logo após o segundo ‘warning’, defendendo não ser ‘batoteira’, ao mesmo tempo que acusou o árbitro de estar a roubar-lhe um ponto.

“Estás a ofender o meu caráter e deves-me um pedido de desculpas. És um mentiroso. Nunca mais vais arbitrar um encontro meu na vida. Pede-me desculpa. Tu roubaste-me um ponto e és um ladrão também”, disparou, recebendo de Carlos Ramos o castigo de um jogo de penalidade, passando Osaka a liderar o segundo ‘set’ por 5-3.

Apesar da controvérsia e breve interrupção do encontro, ainda com a chamada do supervisor ao ‘court’, a jogadora nipónica não perdeu a concentração e fechou a vitória sem grandes celebrações, não evitando as lágrimas uma vez nos braços de Serena Williams que, apesar de perturbada, não hesitou em confortar a nova campeã do US Open.

Enquanto Serena Williams disputou a 31.ª final de um ‘major’ e nona em Flushing Meadows, onde ganhou seis vezes e perdeu três, Naomi Osaka tornou-se na primeira japonesa a marcar presença no derradeiro encontro de um torneio do Grand Slam e primeira a conquistar um ‘major’ na Era Open (desde 1968).

Graças ao triunfo, Osaka, que só tinha vencido o torneio de de Indian Wells, angariou cerca de três milhões de euros, mais do que havia somado em toda a curta carreira, e vai tornar-se número sete da hierquia WTA.

9 Set 2018

Nadal nas meias-finais depois de vencer Dominic Thiem do US Open

O tenista Rafael Nadal apurou-se hoje para as meias-finais do Open dos Estados Unidos, ao derrotar o austríaco Dominic Thiem, depois de uma luta de quatro horas e meia para vencer os cinco sets por 0-6, 6-4, 7-5, 6-7 (4/7), 7-6 (7/5).

Os dois tenistas disputaram a partida mais longa da edição deste ano do US Open, último ‘major’ da temporada.

O maiorquino, n.º 1 mundial e que procura o quarto troféu em Flushing Meadows (Nova Iorque) e o 18.º no Grand Slam, vai enfrentar o n.º 3 do mundo, Juan Martin Del Potro, para disputar um lugar na final, como há um ano.

5 Set 2018

Ténis | João Sousa segue para os quartos de final do torneio de Antália

O tenista português João Sousa, sexto cabeça de série, qualificou-se para os quartos de final do torneio de Antália, ao impor-se ao bósnio Mirza Basic em três ‘sets’, em encontro da segunda ronda da prova turca.
Sousa, que ocupa o 47.º lugar do ‘ranking’ mundial, perdeu o primeiro parcial frente ao 78.º classificado da hierarquia, no ‘tie-break’, por 7-6 (7-1), mas venceu os dois seguintes, ambos por 6-4, fechando o encontro após 2h30 horas.
“Estou muito contente pela vitória. Foi um encontro muito duro a nível físico e a nível mental. Foi um encontro muito disputado com algumas quebras de serviço. O primeiro ‘set’ decidiu-se nos detalhes e no segundo consegui entrar muito bem e fiz um ‘break’ logo a abrir e ainda consegui fazer outro e venci a jogar a um bom nível. No terceiro ‘set’ também fui superior, dispus de dois ‘breaks’ e depois servi bem para fechar o encontro”, disse, à sua assessoria de imprensa.
O tenista português, que na ronda inaugural tinha batido o alemão Florian Mayer, vai defrontar nos quartos de final o francês Adrian Mannarino, número 24 do mundo e primeiro pré-designado, que afastou o lituano Ricardas Berankis, por 6-4 e 7-5. “É mais um jogador muito difícil, que gosta deste tipo de superfícies. Vai ser um encontro muito exigente. Agora é descansar e preparar o encontro da melhor forma”, afirmou.

Par ou ímpar
João Sousa jogou ainda em pares, ao lado do espanhol Guillermo García-López, perdendo com o checo Roman Jebavy e o chileno Julio Peralta, por 7-6 (7-5), 3-6, 10-6. “Infelizmente não conseguimos vencer. Tanto eu como o Guillermo notámos algum desgaste físico, mas que não serve de desculpa. Penso que eles jogaram um bom encontro. Conseguimos jogar a um bom nível, mas eles foram melhores”, assumiu.

29 Jun 2018

Estoril Open: João Sousa e mais dois portugueses tentam chegar à segunda ronda

O tenista português João Sousa vai tentar hoje vencer pela primeira vez um encontro no ‘novo’ Estoril Open, num dia em que João Domingues, vindo da qualificação, e o convidado Frederico Silva também vão estar em acção.

Desde que o único torneio português no circuito ATP se mudou para o Clube de Ténis do Estoril, em 2015, o número um português soma três desaires na estreia e tenta agora quebrar a malapata.

Contudo, a tarefa do atual número 68 mundial não deverá ser fácil, uma vez que vai defrontar um dos jovens valores do ténis mundial, o russo Daniil Medvedev, 50.º do ‘ranking’ e oitavo cabeça de série.

Frederico Silva, que foi brindado com um convite da organização, também se estreia hoje frente ao espanhol Ricardo Ojeda Lara, ‘carrasco’ de João Monteiro na última ronda do ‘qualifying’.

Depois de passar a qualificação, João Domingues, 207.º do mundo, vai tentar chegar pelo segundo ano consecutivo à segunda ronda, defrontando o italiano Simone Bolelli, 153.º.

Recente finalista do torneio de Barcelona, onde apenas perdeu para o espanhol Rafael Nadal, o grego Stefano Tsitsipas estreia no Estoril frente ao espanhol Pablo Andujar.

O segundo dia do Estoril Open terá ainda em destaque a presença de um antigo número um mundial, o australiano Lleyton Hewitt, que deixou mais uma vez a reforma para jogar pares ao lado do jovem compatriota Alex de Minaur.

A dupla australiana vai encontrar os segundos cabeças de série, o sul-africano Raven Klaasen e o neozelandês Michael Venus.

No último encontro no Court Central, os portugueses Gastão Elias e Pedro Sousa defrontam o israelita Jonathan Erlich e o norte-americano Scott Lipsky, que já venceu por cinco vezes torneios de pares em Portugal.

1 Mai 2018

“China GT” | Ávila vai conduzir um Aston Martin

Rodolfo Ávila vai fazer a sua estreia este fim-de-semana no Campeonato da China de GT. O piloto português de Macau recebeu um convite de última hora por parte da equipa chinesa ZIA FEA Racing, para conduzir um Aston Martin Vantage GT4 na quarta prova do campeonato, que se disputa este fim-de-semana no Circuito Internacional de Xangai.
Esta não será a primeira vez que Ávila irá alinhar numa corrida destinada a viaturas da categoria GT4. Em Agosto, durante o fim-de-semana da prova do Campeonato da China de Carros de Turismo (CTCC) em Xangai, o piloto da RAEM teve a oportunidade de partilhar a condução de um KTM X-Bow GT4 com o piloto local He Yang nas duas corridas pontuáveis para o campeonato GT Masters – competição rival do Campeonato da China de GT – conquistando um pódio na segunda corrida. Contudo, esta será a primeira vez que Ávila irá guiar em situação de corrida um Aston Martin e representar aquela que é a primeira equipa de automobilismo profissional da cidade de Zhengzhou, a capital da província chinesa de Henan.
“Não conheço a equipa e a primeira vez que vou conduzir um Aston Martin vai ser amanhã nas sessões de treinos-livres. O meu companheiro de equipa é um Gentleman Driver que está a dar os primeiros passos neste desporto, portanto as minhas ambições em termos de resultados para este fim-de-semana são limitadas”, referiu Ávila ao HM. O piloto oficial da SAIC Volkswagen no CTCC vai participar nesta prova, acima de tudo, “para me divertir e pela experiência”, esperando que o seu companheiro de equipa, Yang Zhyhi, “possa beneficiar da possibilidade de ter um piloto mais rápido como referência, ajudando-o a evoluir como piloto”.

Dois vezes dois

Para além do Aston Martin Vantage, que dá nas vistas pelo ruidoso motor V8 de 4.7 litros, na categoria GT4, que engloba os carros de Grande Turismo de competição mais próximos das versão de estrada, estão viaturas tão diversas como o Lotus Evora, KTM X-Bow ou o McLaren 570S.
O fim-de-semana é composto por duas sessões de qualificação e por duas corridas, uma no sábado, outra no domingo, de uma hora cada, e com troca obrigatória de piloto.
Recorde-se que André Couto vinha a participar esta temporada neste mesmo campeonato, mas inserido na categoria GT3 com um Nissan GT-R, até ao grave acidente no Circuito Internacional Zhuhai no passado mês de Julho. Ao contrário do que acontece em vários outros campeonatos, os carros da categoria GT3 e GT4 correm em corridas separadas no campeonato chinês da especialidade.

Râguebi | Portugal na final do World Rugby U20 Trophy

Portugal qualificou-se pela primeira vez para a final do Troféu Mundial de Râguebi de sub-20, a decorrer no Uruguai, ao derrotar as Ilhas Fiji na quarta-feira, por 16-13. Depois de ter vencido o Uruguai, por 20-18, e Hong Kong, por 31-24, Portugal assegurou o primeiro lugar do Grupo B com o triunfo sobre as Ilhas Fiji e apurou-se para a final, na qual vai defrontar o Japão, no domingo. A selecção portuguesa, representante da Europa no World Rugby U20 Trophy – torneio mundial de segundo escalão -, mostrou-se à altura do desafio, com um ensaio de Francisco Vassalo e respectiva conversão de Jorge Abecassis, que bateu com êxito três pontapés de penalidade.
Caso a equipa lusa vença os nipónicos, que também ganharam os três jogos do Grupo A, alcançará um feito inédito assegurando pela primeira vez a presença no World Rugby U20 Championship, que será disputado na Escócia, em 2018. A World Rugby U20 Championship é a divisão de elite no escalão sub-20, em que apenas competem as 12 melhores selecções do mundo.

US Open | Del Potro ‘despacha’ Federer e marca encontro com Nadal

O argentino Juan Martin Del Potro, 28.º jogador mundial, afastou quarta-feira Roger Federer, terceiro, do Open dos Estados Unidos e da liderança do ‘ranking’, ao bater o suíço nos quartos de final do último ‘Grand Slam’ do ano. Perante o jogador frente ao qual conquistou a edição 2009 da prova, Del Potro superiorizar-se pela sexta vez, em 22 embates, desta feita por 7-5, 3-6, 7-6 (10-8) e 6-4, em 2:51 horas e após salvar quarto ‘set points’ no ‘tie break’ do terceiro parcial. “Fiz o meu melhor jogo do torneio e penso que mereci esta vitória”, disse Juan Martin Del Potro, que na eliminatória anterior salvou dois ‘match points’ face ao austríaco Dominic Thiem, para vencer o embate em cinco ‘sets’. Nas meias-finais, Del Potro vai encontrar o espanhol Rafael Nadal, líder do ‘ranking’ mundial, que superou nos ‘quartos’ o russo Andrey Rublev, 53.º da hierarquia, e procura o terceiro título no US Open, após as vitórias em 2010 e 2013.

8 Set 2017

I Liga | Sporting vence Aves. Setúbal e Moreirense empatam

O Sporting iniciou domingo com uma vitória em casa do recém-promovido Desportivo das Aves, por 2-0, a I Liga do futebol português, enquanto Vitória de Setúbal e Moreirense não foram além de um empate 1-1, no Bonfim.

O pontapé de saída para a I Liga de 2017/18 foi dado pelo ‘leão’ William Carvalho e o primeiro golo foi apontado 23 minutos após o apito inicial no Estádio do Desportivo das Aves por Gelson Martins, que colocou o Sporting em vantagem

Já na segunda parte, aos 75 minutos, Gelson Martins voltou a marcar e fixou o resultado final em 2-0 favorável ao Sporting, que com os primeiros três pontos somados, e quando faltam disputar sete jogos, é o primeiro líder da I Liga de 2017/18.

O Sporting surgiu renovado, com o treinador Jorge Jesus a integrar no ‘onze’ titular Fábio Coentrão (ex-Real Madrid), o francês Jérémy Mathieu (ex-FC Barcelona), o italiano Cristiano Piccini (ex-Bétis), o argentino Marcos Acuña (ex-Racing Club) e Bruno Fernandes (ex-Sampdoria).

O recém-promovido Desportivo das Aves também fez uma equipa nova para a I Liga, mantendo apenas Alexandre Guedes e o brasileiro Cláudio Falcão, e surgiu na recepção ao Sporting com nove caras novas, que contratou ao Desportivo de Chaves (4), Nacional (3) e Moreirense (2).

Empate no sado

No Bonfim, o Vitória de Setúbal, com apenas três reforços no ‘onze’ – Tomas Podstawski (ex-FC Porto), João Teixeira (ex-Nottingham Forest, Inglaterra) e Willyan (ex-Nacional) – chegou à vantagem por Edinho (1-0), aos 13 minutos.

O Vitória de Setúbal ficou reduzido a dez unidades por expulsão de Vasco Fernandes, aos 71 minutos, que se tornou no primeiro jogador a ver o cartão vermelho em 2017/18, por ter ‘atropelado’ o venezuelano Jhonder Cadiz, quando seguia para a baliza.

Em vantagem numérica, a equipa minhota procurou empurrar os sadinos e conseguiu chegar ao empate pelo também venezuelano Ronaldo Pena, aos 83 minutos, a uma recarga a um primeiro remate de André Micael, defendido por Pedro Trigueira, na sequência de um canto.

O renovado Moreirense, que manteve apenas duas caras da última época na equipa inicial, o ganês Boateng e André Micael, acabou por ser premiado com a conquista de um ponto na deslocação ao Estádio do Bonfim.

A primeira jornada da I Liga, que se arrasta por cinco dias, prossegue segunda-feira com o Portimonense-Boavista, Feirense-Tondela e Rio Ave-Belenenses, na terça-feira com o Marítimo-Paços de Ferreira, na quarta-feira com FC Porto-Estoril-Praia e Benfica-Sporting de Braga e termina quinta-feira com o Vitória de Guimarães-Desportivo de Chaves.

Ténis | Pedro Sousa sobe 17 lugares no ‘ranking’

Pedro Sousa, que venceu no domingo o ‘challenger’ de Liberec, na República Checa, reforçou a condição de número dois português, fixando-se ontem no 126.º lugar do ‘ranking’ mundial, a sua melhor posição de sempre. Enquanto Pedro Sousa, que conquistou o segundo ‘challenger’ na carreira, deu um ‘salto’ de 17 posições, João Sousa, que no sábado perdeu a final do torneio de Kitzbuhel, Áustria, recuperou 11lugares na classificação do circuito e surge às portas do top-50, na 51.ª posição. O topo da tabela não sofreu mexidas entre a elite dos dez melhores. A classificação continua a ser liderada pelo britânico Andy Murray, seguido de perto pelo espanhol Rafael Nadal. Em femininos, e tal como sucede na tabela masculina, não houve ‘mexidas’ nos lugares cimeiros da classificação, que continua a ser comandada pela checa Karolina Pliskova, seguida da romena Simona Halep. A portuguesa Mighelle Larcher de Brito subiu cinco ‘degraus’ na lista, aparecendo na posição 315.

Supertaça Europeia | Cristiano Ronaldo nos convocados do Real Madrid

O internacional português Cristiano Ronaldo está entre os convocados do Real Madrid para a Supertaça Europeia de futebol, que os espanhóis disputam na terça-feira com o Manchester United, de José Mourinho, foi ontem anunciado. A lista dos ‘merengues’ integra todos os jogadores à disposição do técnico francês Zinedine Zidane, com a equipa a disputar o primeiro de seis títulos da temporada – poderá ainda ganhar a Supertaça de Espanha, a Liga espanhola, a Taça do Rei, a Liga dos Campeões e o Mundial de Clubes. O ‘astro’ português era uma das incógnitas dos campeões europeus, uma vez que cumpriu apenas dois treinos depois de 37 dias de férias, na sequência da participação com Portugal na Taça das Confederações. O Real Madrid viajou ontem para a capital da Macedónia, Skopje, onde na terça-feira, pelas 19:45, disputa com o Manchester United, treinado por José Mourinho, a Supertaça Europeia, no Estádio Nacional Filipe II.

Paris | Neymar “deslumbrado com o tributo” na Torre Eiffel

O futebolista brasileiro Neymar, nova contratação do Paris Saint-Germain, disse ontem ter ficado “deslumbrado” com o tributo feito na Torre Eiffel, que se iluminou com as cores do clube francês antes da sua apresentação aos adeptos. Num vídeo colocado nas suas contas em redes sociais, durante a madrugada de ontem, o internacional brasileiro, que se transferiu do FC Barcelona pela verba recorde de 222 milhões de euros, mostrou-se “muito emocionado” pela homenagem. “O sentimento é fantástico, é um sonho. A minha família e eu estamos deslumbrados com este tributo”, acrescentou o avançado de 25 anos, ao lado de imagens que mostram o monumento da capital francesa iluminada de vermelho e azul, as cores do clube, além de mensagens a receber o brasileiro. O novo dono da camisola ‘10’ dos parisienses, vice-campeões franceses, não jogou no sábado, na primeira jornada da ‘Ligue 1’, frente ao Amiens (2-0), devido a um atraso no Certificado Internacional de Transferência (CIT).

8 Ago 2017