Turismo | Esperada média diária de 40 mil visitantes em 2023

Helena de Senna Fernandes, directora da Direcção dos Serviços de Turismo (DST), disse esperar que este ano o território venha a receber uma média diária de 40 mil turistas, mas que a plena recuperação em matéria de visitantes só deverá fazer-se sentir após o período do Ano Novo Chinês.

Segundo o canal chinês da Rádio Macau, a dirigente mostrou-se satisfeita com os números do turismo oriundo de Hong Kong, uma vez que houve apenas menos 25 por cento dos turistas por comparação a igual período de 2019.

Relativamente à taxa de ocupação hoteleira, foi de 90 por cento em três dos sete dias de feriados. Mesmo com um aumento dos preços dos quartos, por noite, em 50 por cento face a igual período do ano passado, regista-se ainda uma quebra face aos valores praticados por comparação a 2019.

Helena de Senna Fernandes admitiu que a falta de recursos humanos e as mudanças de funcionamento nos hotéis que recebiam pessoas em quarentena veio afectar o fornecimento de quartos em Macau, uma situação que só deverá voltar à normalidade após o período das festividades.

31 Jan 2023

Ano Novo Lunar | Hotéis cheios, mas Governo deixa alertas

Helena de Senna Fernandes, directora da Direcção dos Serviços de Turismo (DST), adiantou ontem, à margem de um evento público, que grande parte dos quartos de hotel já estão reservados para os dias de Ano Novo Chinês.

No entanto, segundo a TDM Rádio Macau, a governante deixou o alerta para que os hotéis não trabalhem com plataformas digitais de marcação de quartos de hotel que estão a cobrar cerca de 70 mil dólares de Hong Kong por quarto em algumas reservas.

“Vemos que há plataformas online que vendem quartos de hotel por 70 mil dólares de Hong Kong por quarto, que não se situam no Cotai. Alertamos para que os hotéis discutam com essas plataformas, porque achamos que os valores não estão dentro do normal. Sei que há muito hotéis que estão atentos a isso e, de facto, algumas plataformas corrigiram essa situação. Alertamos para que os hotéis não trabalhem com as plataformas que não querem colaborar.”

Helena de Senna Fernandes disse ainda esperar cerca de 80 mil pessoas durante as tradicionais paradas do Ano Novo Chinês. “Mesmo no ano passado vi as ruas cheias de pessoas e penso que não há possibilidade de aumentar muito mais o número de pessoas. Queremos que as pessoas da Grande Baía assistam às paradas, embora seja sempre difícil aumentar o espaço.”

19 Jan 2023

Turismo | Autoridades cautelosas com Semana Dourada

Maria Helena de Senna Fernandes reconheceu que as expectativas do Governo para a Semana Dourada são “um pouco conservadoras”, devido ao impacto da pandemia e à exigência de testes com a validade de dois dias

 

A directora dos Serviços de Turismo, Maria Helena de Senna Fernandes, admitiu que o Governo tem expectativas “um pouco conservadoras” para o número de visitantes durante a Semana Dourada. Em declarações prestadas ontem, a directora não adiantou um número, mas deixou a esperança de que o número de visitantes vá aumentado com o passar dos dias.

De acordo com as explicações, citadas pelo jornal Ou Mun, o Governo não espera que haja um grande crescimento do número de visitantes durante os feriados, ao contrário do que acontecia antes da pandemia. Em causa, está a situação pandémica, que pode fazer com que a qualquer altura surja mais restrições de circulação.

Outro dos motivos para as previsões conservadoras, é o facto de os turistas necessitarem de um teste de ácido nucleico com a validade de 48 horas para circularem entre Macau e Zhuhai. Várias vozes em Macau pedem que o prazo seja aumentado para sete dias. Contudo, na última vez que esta medida foi tomada, em menos de uma semana, surgiu o surto de 18 de Junho. No entanto, segundo o Governo, não há provas que indiquem que o surto teve origem no Interior.

Também ontem, não foi feita qualquer previsão sobre a taxa de ocupação média dos hotéis para o período da Semana Dourada.

Trabalho de casa

A directora dos Serviços de Turismo abordou também as declarações de Huang Liuquan, vice-director do Gabinete para os Assuntos de Hong Kong e Macau do Conselho de Estado. Durante uma conferência do Departamento de Propaganda do Comité Central do Partido Comunista da China, na terça-feira, foi deixada a promessa que o Interior iria estudar medidas para apoiar Macau.

Sobre este assunto, Maria Helena de Senna Fernandes admitiu não ter qualquer informação, mas destacou que as autoridades locais têm de se focar no seu trabalho e promover bem Macau como um destino de turismo.
Entre Janeiro e Agosto entraram no território 3.806.263 visitantes, menos 25,8 por cento, face ao período homólogo do ano transacto. Os números de excursionistas (2.341.772) e de turistas (1.464.491) caíram 6,5 por cento e 44,2 por cento, respectivamente.

22 Set 2022

Turismo | Autoridades imploram por mais visitantes para relançar economia

Maria Helena de Senna Fernandes reconhece que Macau está a sofrer com o novo normal e admite que são precisos “desesperadamente” mais turistas. Por outro lado, deixou o aviso: sem visitantes, os “tempos vão continuar a ser muito difíceis”

 

Macau precisa de mais visitantes, mas o regresso de excursões vindas da China ainda está longe, apesar de 80 por cento da população estar vacinada contra a covid-19, reconhece a responsável pela Direcção dos Serviços de Turismo (DST).

“No ano passado estivemos muito perto de retomar as excursões organizadas, mas infelizmente nessa altura houve uns pequenos surtos em Macau”, disse Maria Helena de Senna Fernandes, na sexta-feira, à agência Lusa.

Desde Outubro que a região não regista quaisquer casos locais de covid-19, mas o Interior registou na sexta-feira mais de mil infecções locais, pela primeira vez em dois anos. “Continuamos a tentar retomar as excursões, mas ainda estamos algo distantes dessa meta”, afirmou Senna Fernandes.

O Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus anunciou na quinta-feira que mais de 547 mil pessoas – mais de 80 por cento da população de Macau – já recebeu pelo menos uma dose de uma vacina contra a covid-19.

Senna Fernandes garantiu que o Governo central não estabeleceu qualquer meta de vacinação para a retoma das excursões. “Temos de ser pacientes e continuar a demonstrar que Macau é uma cidade segura”, disse a directora da DST, após um seminário sobre o futuro do turismo na região após a pandemia.

Staycation não é solução

Durante o seminário, a responsável pelo turismo admitiu que Macau “precisa desesperadamente de mais visitantes, de uma forma mais estável e sustentável, sem os altos e baixos causados pelos surtos” de covid-19.

As medidas tomadas para encorajar residentes locais a ficaram em hotéis locais “não são uma solução a longo prazo”, reconheceu.

“Se não conseguirmos retomar outros sectores de turismo, os tempos vão continuar a ser muito difíceis”, confessou Senna Fernandes.

A directora da DST lembrou que as agências de viagens e os guias turísticos estão há dois anos praticamente sem trabalhar e que, devido à baixa taxa de ocupação, “é hoje possível ficar num hotel cinco estrelas por 100 patacas”.

Em 2022, a região vai realizar eventos de promoção turística em Wuhan, Changsha, Qingdao, Zhengzhou, Tianjin e Xiamen, seis cidades da China continental “com voos ou ligação por comboio de alta velocidade a Macau”, explicou a responsável.

Em Maio vai acontecer a segunda Gala de Drones de Macau, com 880 drones. “A primeira edição, em Dezembro, tinha só 300, por isso vamos poder passar de padrões a duas dimensões para três dimensões”, disse Senna Fernandes.

Pelo contrário, a edição deste ano do Fórum de Economia de Turismo Global – que foi cancelado em 2021 – deverá passar de 27 e 28 de Abril para Junho, devido à vaga de infecções por covid-19 em Hong Kong, acrescentou a directora da DST.

14 Mar 2022

Turismo | Excursões locais dependem do aval dos Serviços de Saúde

O plano de excursões locais só será reactivado após a autorização dos Serviços de Saúde. Segundo Helena de Senna Fernandes o regresso do programa incluirá actividades diárias. A responsável estima que Macau receberá entre 20 a 30 mil visitantes diários durante a Semana Dourada

 

A directora dos Serviços de Turismo, Helena de Senna Fernandes revelou na passada sexta-feira que a retoma do plano de excursões locais “Passeios, Gastronomia e estadia para Residentes de Macau” está dependente da autorização dos Serviços de Saúde (SSM).

À TDM-Canal Macau, a responsável afirmou também que, assim que a retoma do plano for aprovada pelas autoridades de saúde, as excursões locais serão reactivadas numa base diária, para que seja possível colmatar os prejuízos que resultaram do novo surto de covid-19 registado no início de Agosto em Macau.

Além disso, lembrou Senna Fernandes, nem todos os residentes de Macau estão ocupados durante a semana e essa é uma situação que pode ser aproveitada. “Sabemos que nem todos os residentes de Macau trabalham ou estudam.

Por isso, podem participar, durante os dias úteis, nos roteiros. Alguns, por exemplo, poderão mesmo participar nos populares cruzeiros de barco, depois do trabalho. Esta modalidade pode conferir mais margem ao sector do turismo, para apoiar os negócios. Vamos contactar todos os participantes e inquirir sobre a possibilidade de cancelar a respectiva vaga ou escolher outra”, apontou.

Segundo a TDM-Canal Macau, o interregno do programa de excursões locais durante um mês, terá afectado cerca de 10.000 participantes.

Garimpeiros a postos

Questionada sobre as previsões de entrada de turistas em Macau durante a Semana Dourada de Outubro, Maria Helena de Senna Fernandes apontou que são esperados entre 20 e 30 mil visitantes por dia.
A pensar nos feriados de Outubro e para atrair mais visitantes, a responsável avançou que, no imediato, a prioridade passa por restabelecer a confiança dos turistas do Interior da China.

“Desde o dia 18 de Agosto, depois de Macau aliviar gradualmente as restrições implementadas por causa da pandemia, temos trabalhado no sentido de consolidar a confiança dos turistas do Continente no turismo de Macau e de estabelecer uma imagem de turismo saudável e seguro, a pensar na semana de 1 de Outubro. Esperamos que durante a Semana Dourada possamos voltar a ter visitantes entre os 20 mil e os 30 mil ou até mais de 30 mil, nalguns dias. Para o sector do turismo vai ser uma grande ajuda”, sublinhou Helena de Senna Fernandes.

Recorde-se que, depois do novo surto de covid-19 em Macau, o número de turistas caiu 47 por cento e a ocupação hoteleira caiu de 63 para 35 por cento, em relação a Julho.

6 Set 2021

DST | Encerrado Centro de Promoção e Informação Turística em Lisboa

O Governo de Macau decidiu encerrar o Centro de Promoção e Informação Turística de Macau em Lisboa “tendo em conta a racionalização de quadros e simplificação administrativa”, disse ontem a directora dos Serviços de Turismo.

O Centro é um projecto do Executivo “cuja intenção original foi estabelecida para o curto prazo, mas que foi prolongada por muito anos”, afirmou à Lusa Maria Helena de Senna Fernandes.

“Tendo em conta a racionalização de quadros e simplificação administrativa do Governo da RAEM e a existência da Delegação Económica e Comercial de Macau, em Lisboa” foi decidido agora extinguir o Centro, acrescentou a responsável, à margem da conferência de imprensa sobre a segunda fase do programa “Passeios, gastronomia e estadia para residentes de Macau”.

O Centro de Promoção e Informação Turística de Macau em Portugal foi estabelecido em 2005, de acordo com o despacho do primeiro Chefe do Executivo da RAEM, Edmund Ho.

A Direcção dos Serviços de Turismo de Macau mantém uma representação em Londres, sendo “uma delegação para promover turismo, mas não um órgão do Governo da RAEM como [era] o Centro de Promoção em Portugal”, explicou. Londres “é como as delegações em Hong Kong, Malásia, Japão”, entre outras, em que são contratadas empresas locais ou são adquiridos serviços destas empresas “através de concursos públicos, a nível internacional, para fazer promoção no país, pelo que não são um órgão externo do Governo da RAEM”, indicou.

17 Jun 2021

Passaporte de vacinação pode ajudar turismo, diz Helena de Senna Fernandes

A directora dos Serviços de Turismo (DST), Maria Helena de Senna Fernandes, considerou ontem que o passaporte de vacinação criado pela China pode ser um contributo importante para revitalizar o Turismo de Macau.

Citada pelo portal GGR Asia, a responsável defende que o chamado “Código de Saúde contra a Epidemia, versão internacional”, que permite mostrar além-fronteiras os certificados de vacinação e os resultados dos testes contra a covid-19, “vai ser uma grande tendência no futuro”. “Se um sistema for largamente implementado e reconhecido, isso traz confiança a todos e reaviva o turismo”, disse Helena de Senna Fernandes.

De acordo com a mesma fonte, a directora dos Serviços de Turismo referiu também que Macau aguarda ainda por orientações concretas das autoridades do Interior da China sobre a aplicação do passaporte de vacinação no território.

Segundo informações divulgadas na terça-feira pelas autoridades chinesas, o “Código de Saúde contra a Epidemia, versão internacional” é um miniprograma que pode ser aberto por meio da aplicação móvel WeChat. Aí, os utilizadores devem indicar o país que pretendem visitar ou a partir de onde retornam.
O sistema ainda não permite a visualização dos resultados da vacinação e está restrito aos cidadãos chineses.

11 Mar 2021