IC | Canhão desenterrado no Porto Interior deve ser britânico

Uma análise preliminar revela que o canhão desenterrado esta semana no Porto Interior tem “textura, design e parte da estrutura” semelhante “aos canhões de antecarga britânicos Blomefield de meados do século XIX, que actualmente se podem ver em várias fortalezas de Macau”.

As conclusões partiram da análise encomendada pelo Instituto Cultural (IC) a uma equipa composta por académicos da Universidade de Ciência e Tecnologia de Macau e do Instituto de História da China da Academia Chinesa de Ciências Sociais.

Para já, tudo indica que foi movido para o Porto Interior para ser armazenado, depois de ter sido comprado e, posteriormente, enterrado devido à construção de aterros nesta zona. Outro dos mistérios a apurar prende-se com o período passou a ficar no subsolo do território. “Com base no estudo de mapas antigos e do Cadastro das Vias Públicas de Macau, que ilustram a evolução dos aterros no Porto Interior”, a equipa de investigação conclui que terá sido entre 1889 e 1933

O IC informa ainda que a análise concluiu que o canhão foi fabricado no exterior e chegou a Macau por “via de uma deslocação militar ou por via comercial”. Além disso, o objecto tem valor histórico importante para o estudo da história da fundição de canhões, do comércio e da construção de fortalezas em Macau.

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários