Taça GT | BMW confirma regresso a Macau

A BMW Motorsport é o primeiro construtor a confirmar a presença na Taça do Mundo FIA de GT – Taça GT Macau da 66ª edição do Grande Prémio de Macau. Os campeões em título vão defender a coroa, depois do ano passado terem sido os últimos confirmar a participação na prova e com uma representação limitada a um carro só.

“A Taça do Mundo FIA de GT no Circuito da Guia é sempre uma fantástica conclusão para a nossa temporada internacional de corridas de GT”, disse ao HM Jens Marquardt, o director da BMW Motorsport. “Temos muito boas memórias deste circuito citadino. Temos vindo a celebrar sucessos aqui há várias décadas. Como em 2018, quando o Augusto Farfus e a BMW Team Schnitzer obtiveram a vitória.”

Apesar de ter confirmado a participação, a BMW Motorsport ainda não decidiu quantos M6 GT3 enviará à RAEM, com que equipas e com que pilotos. A única certeza, após a dominadora exibição do ano transacto, é mesmo a vontade de triunfar.

“Este ano pretendemos regressar e assim que aí estivermos vamos ser caçados. E essa é precisamente a posição em que queres estar no automobilismo”, afirma Marquardt.

A BMW foi uma das marcas que nos últimos anos lamentou o facto do Grande Prémio de Macau coincidir com o fim-de-semana da prova do Campeonato do Mundo FIA de Endurance (WEC) em Xangai, algo que a FIA decidiu mudar para este ano, alterando a data da prova chinesa.

Sem toque lusófono

Augusto Farfus, o único piloto lusófono a conquistar a Corrida da Guia e a Taça GT Macau, será sem dúvida uma ausência sentida no campo da marca de Munique. O piloto brasileiro, que apesar de manter ligações à BMW Motorsport, assinou um contrato para representar a Hyundai na Taça do Mundo FIA de Carros de Turismo (WTCR) em 2019.

Nos últimos anos, o regulamento do Grande Prémio de Macau não permite que os pilotos participem em mais de uma corrida do evento e se nada de extraordinário acontecer, a presença de Farfus no Circuito da Guia em 2019 será mesmo para defender as cores do construtor sul-coreano.

A BMW Motorsport conta nos seus quadros com outro piloto lusófono com currículo entre nós. Depois de ter vencido o Grande Prémio de Macau de Fórmula 3, António Félix da Costa afirmou que gostaria de vencer na RAEM, mas desta vez para conduzir na corrida de GT. O piloto português tem estado ao serviço da marca no Campeonato FIA de Fórmula E, de carros eléctricos, sendo por isso pouco provável que seja chamado para conduzir um BMW M6 GT3 oficiais no mês de Novembro.

Adeus Charly

A família da BMW Motorsport sofreu na pretérita semana um rude golpe com o falecimento por doença súbita do lendário Charly Lamm, aos 63 anos. O Chefe de Equipa da Schnitzer foi o arquitecto de vários triunfos internacionais da BMW nas corridas de Turismos e GT, incluindo treze vitórias na Corrida da Guia e uma na Taça GT Macau.

Sem pretensiosismo, sempre disponível para conversar com a imprensa e abraçar o carinho dos fãs, Charly Lamm tinha-se despedido do seu cargo na BMW Team Schnitzer na pretérita edição do Grande Prémio, tendo Farfus e a marca germânica lhe dedicado o triunfo na Taça do Mundo FIA de GT.

“A minha história pessoal com o Circuito Guia começou em 1980, quando vencemos Hans-Joachim Stuck num BMW 320 Group 5. Ainda era um estudante na altura”, disse o alemão no passado mês de Novembro. “Esta vitória nos GT foi um sonho tornado realidade. Macau é um local mágico. Ganhar aqui é sempre o momento alto no ano. Experienciei muitos momentos fantásticos na minha carreira e a vitória de hoje foi definitivamente um deles.”

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários