PARTILHAR

Os membros do Conselho do Património Cultural estão contra o projecto dos Serviços de Assuntos de Tráfego (DSAT) de abrir uma nova via rodoviária na zona da Avenida Coronel Mesquita, ideia que implica a demolição ou a relocalização do templo de Hong Chan Kuan. Isso mesmo foi demonstrado ontem, numa reunião plenária do Conselho, onde Cheang Kok Keong, da Associação para Protecção do Património Histórico e Cultural de Macau, disse que a ideia da DSAT põe em causa o valor histórico do conjunto que é formado com o templo de Kun Iam.
 “Este templo faz parte de um conjunto que integra o templo de Kun Iam. Por isso é um vestígio físico e um testemunho importante da história da povoação de Mong-Há”, disse, citado pela rádio. Outros conselheiros dizem que a relocalização do templo é tecnicamente difícil e muito dispendioso.
O Presidente do Instituto Cultural, Ung Vai Meng, diz não acreditar que duvida agora que a DSAT queira levar o projecto para a frente. “Eu acho que essa situação não vai acontecer. Já conversámos com a DSAT e tenho muita confiança que  isso não vai acontecer”, apontou, referindo que o templo data de 1717 e segundo o Instituto Cultural tanto o exterior como o interior do edifício possuem um “elevado valor arquitectónico e decorativo”.
O presidente do IC falou novamente da Fábrica de Panchões Iec Long, para dizer que quer que a abertura do procedimento de classificação do espaço aconteça o mais rápido possível.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here