PJ detém duas pessoas por sequestro e morte de homem

Ohomem que foi encontrado morto sem roupa na plataforma de um edifício na ZAPE terá sido vítima de um crime de usura e ofensa à integridade física. A Polícia Judiciária (PJ) emitiu um comunicado onde indica que duas pessoas admitiram estar envolvidas no caso que envolvia o morto. Além disso, a fracção de onde o homem terá “caído” é uma pensão ilegal.
O caso remonta à semana passada, quando o corpo nu de um homem foi encontrado no pódio de um edifício do Centro Internacional. Na altura, a PJ indicou que o homem saltou de uma casa de banho de uma fração de terceiro andar.
A PJ referiu agora ao Jornal Ou Mun que, antes de morrer, o homem foi visto a jogar num casino da ZAPE depois de ter recebido 20 mil patacas de empréstimo de um grupo criminoso. O homem perdeu todo o dinheiro em poucas horas e foi, então, levado para o apartamento pelo grupo, que pediu o dinheiro aos pais da vítima, do interior da China. Estes recusaram pagar, mesmo após terem recebido um vídeo do filho onde este foi despido e violentado. O homem não conseguiu que os pais pagassem a dívida e viu, como única escolha, fugir do local. Terá sido aí que decidiu saltar da janela do apartamento, tendo acabado por morrer.
Na última sexta-feira, dois homens do interior da China, um de apelido Wong e outro de apelido Ng, admitiram ter capturado e batido no homem. Foram mandados ao Ministério Público, depois de terem fugido para o continente e regressado por medo das represálias na China. A PJ ainda deteve mais sete envolvidos. Uma mulher do Vietname está envolvida no caso, mas não se sabe ainda se terá ligação com o grupo, visto ser apenas a proprietária da fracção onde funcionava a pensão ilegal.

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários