PARTILHAR

Depois de, em Janeiro último, aos autoridades chinesas terem encerrado a fronteira marítima do Porto Interior, sem aviso prévio, o Governo de Macau vem agora explicar que a mesma continuará encerrada, mesmo depois de várias reuniões entre as entidades responsáveis.
“Realizaram-se várias reuniões de trabalho entre Zhuhai e Macau de forma a obter uma solução adequada para o Posto Fronteiriço de Wanzai. O Governo da RAEM realizou ainda reuniões interdepartamentais para estudar o impacto do encerramento temporário do referido Posto Fronteiriço, bem como as respectivas soluções”, indicou o Governo, num comunicado à imprensa.
Ainda assim, explica, o posto fronteiriço continuará fechado, ainda que o Executivo garante que não vá deixar os comerciantes que apresentaram queixa de perdas nos negócios desamparados.
“Os serviços competentes da RAEM visitaram e inquiriram as pequenas e médias empresas circundantes ao Terminal Marítimo de Passageiros do Porto Interior, bem como as operadoras de serviços de navegação. Promete-se maior atenção às empresas afectadas e os serviços competentes irão acelerar, a título excepcional e de acordo com a lei, o processo de apreciação de requerimentos [das que se candidataram ao Plano de Apoio a Pequenas e Médias Empresas], no sentido de ajudá-las a superar as dificuldades temporárias”, garantiu.
Serão também, diz o Governo, criados esforços para manter negociações com os “ministérios e as comissões competentes da China interior e com o Governo da cidade de Zhuhai sobre as soluções possíveis para a situação do encerramento temporário do Posto Fronteiriço de Wanzai, no sentido de minimizar o impacto sobre as populações e as empresas dos dois lados”.
Sem portas abertas, e como alternativa, a população terá de recorrer ao Posto Fronteiriço das Portas do Cerco ou ao Posto Fronteiriço Flor de Lótus até uma nova decisão das autoridades.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here