Grupo atraía idosos para furtos com recurso a prostitutas

O Corpo de Polícia de Segurança Pública (CPSP) anunciou ontem a detenção de quatro pessoas que se dedicavam a roubar indivíduos atraídos com a promessa de serviços de prostituição. A rede envolve duas mulher e três homens, mas uma das prostitutas conseguiu sair de Macau evitando detenção.

As investigações começaram depois de um residente com 61 anos ter apresentado queixa. Segundo a versão relatada, o homem estava na Rua Nova do Comércio, no Porto Interior, por volta das 21h, quando foi abordado por uma mulher com 29 anos. Como a recém-conhecida se queixou que estava com fome, o homem levou-a a um supermercado, onde lhe comprou vegetais e fruta.

Após a compra dos mantimentos, a jovem disse ao homem que lhe queria agradecer com serviços sexuais. Porém, antes de irem para um hotel, tinham de deixar a comida no apartamento onde estava hospedada, o que fizeram.

No hotel, o homem tirou um fio de ouro, avaliado em 20 mil patacas, que deixou no parapeito da janela, enquanto foi tomar um duche. Todavia, quando saiu do duche reparou que a mulher tinha fugido e que tinha levado o fio de ouro.

Com o recurso ao sistema Olhos no Céu, o CPSP identificou a mulher e verificou que tinha andado entre 17 e 19 de Julho em Macau, acompanhada por dois indivíduos, uma mulher com 45 anos e um homem, também com 45 anos. Segundo as imagens, os três percorrem artérias de Macau, como a Avenida Almeida Ribeiro, Rua 5 de Outubro, entre outras, e abordavam homens com idade mais avançada. As mulheres angariavam assim clientes, enquanto o homem vigiava.

Buraco na parede

Identificadas as pessoas, o CPSP realizou as detenções a 20 de Junho, num hotel da Zona Norte da cidade. Contudo, a prostituta com 29 anos, suspeita do furto ao residente de 61 anos já havia deixado Macau.

Mesmo assim, com a detenção as autoridades descobriram que o homem tinha em sua posse as chaves de dois apartamentos. No primeiro apartamento investigado, na Rua 5 de Outubro, as autoridades encontraram preservativos.

No segundo apartamento, na Praia do Manduco, foram encontrados outros dois homens com 37 e 39 anos de idade. A investigação mostrou também que a cozinha e o quarto tinham um acesso, que permitia que os homens entrassem no espaço para roubarem os clientes das prostitutas.

A investigação resultou assim na detenção de quatro pessoas. As duas prostitutas estão indiciadas pela prática do crime de furto, que é punido com uma pena que pode chegar aos três anos de prisão. Os três homens estão indiciados pelo crime de furto e ainda de lenocínio, com pena mínima de um ano de prisão e a máxima de cinco anos.

27 Jul 2021

PJ | Homem suspeito da prática de vários roubos em aviões

A Polícia Judiciária (PJ) está a investigar o caso de um homem, de 38 anos, natural do interior da China que terá cometido vários roubos em aviões. De acordo com o canal chinês da Rádio Macau, a PJ recebeu uma denúncia em Julho deste ano, que relatava o alegado roubo de sete mil dólares de Hong Kong e um cartão de crédito por parte desse suspeito num voo de Ningbo para Macau.

As autoridades descobririam mais tarde que esse cartão de crédito foi usado numa compra de 600 patacas, tendo detectado dois homens suspeitos da prática do crime. Um deles foi interceptado no passado sábado, dia 19, quando entrava no território pelo Aeroporto Internacional de Macau, mas este terá negado a prática do crime.

Contudo, a PJ encontrou na sua bagagem 41 mil dólares de Hong Kong, 1.900 renmimbis e outras moedas estrangeiras, incluindo dólares americanos e euros. As autoridades acreditam que este suspeito pode estar envolvido nos roubos cometidos em voos. O homem já foi presente ao Ministério Público, sendo suspeito do crime de furto qualificado e uso de cartões de crédito. A PJ prossegue as investigações para encontrar o restante suspeito.

22 Out 2019

PJ | Homem suspeito da prática de vários roubos em aviões

A Polícia Judiciária (PJ) está a investigar o caso de um homem, de 38 anos, natural do interior da China que terá cometido vários roubos em aviões. De acordo com o canal chinês da Rádio Macau, a PJ recebeu uma denúncia em Julho deste ano, que relatava o alegado roubo de sete mil dólares de Hong Kong e um cartão de crédito por parte desse suspeito num voo de Ningbo para Macau.
As autoridades descobririam mais tarde que esse cartão de crédito foi usado numa compra de 600 patacas, tendo detectado dois homens suspeitos da prática do crime. Um deles foi interceptado no passado sábado, dia 19, quando entrava no território pelo Aeroporto Internacional de Macau, mas este terá negado a prática do crime.
Contudo, a PJ encontrou na sua bagagem 41 mil dólares de Hong Kong, 1.900 renmimbis e outras moedas estrangeiras, incluindo dólares americanos e euros. As autoridades acreditam que este suspeito pode estar envolvido nos roubos cometidos em voos. O homem já foi presente ao Ministério Público, sendo suspeito do crime de furto qualificado e uso de cartões de crédito. A PJ prossegue as investigações para encontrar o restante suspeito.

22 Out 2019

Criminalidade | Número de roubos manteve-se estável

Dados da Polícia Judiciária (PJ) mostram que o número de roubos tem vindo a manter-se estável em relação ao ano passado. Nos primeiros dez meses deste ano registaram-se 46 casos de roubo, número semelhante a 2015. Segundo um comunicado da PJ, a maior incidência dos roubos ocorreu nos novos terrenos da Areia Preta, com 13 por cento dos casos, seguindo-se o Bairro San Kio, com 11 por cento. “Houve uma grande redução de casos nos Bairro Praia do Manduco e central da Taipa, com redução de 13 por cento 12,8 por cento respectivamente”, acrescentou a PJ.

Chau Wai Kuong, director da PJ, referiu que “a ocorrência dos casos de furto em residência resulta normalmente da insuficiência da consciência e das medidas preventivas por parte da população”. Prevê-se, por isso, que a PJ continue a “cooperar com as empresas de gestão predial e as comissões de administração de condomínios”.

“O trabalho de policiamento comunitário da PJ pode ser desenvolvido com um bom ritmo em resultado da coordenação e apoio prestados pelas associações de moradores e pelos moradores. Com a boa experiência da cooperação entre polícia e cidadãos durante longos anos, poder-se-á manter uma situação estável da segurança da sociedade”, adiantaram os responsáveis, no âmbito de uma conferência de apresentação da página no Facebook intitulada “Aulas da PJ”, além de ter sido realizado um encontro sobre segurança comunitária com os participantes do projecto “Amigos da Prevenção Criminal na Área da Habitação”.

1 Dez 2016