Ponte HKZM | Mais 914 licenças de circulação para Macau

O Governo lançou ontem um concurso para atribuir mais 914 licenças para a circulação de veículos ligeiros na Ponte Hong Kong – Macau – Zhuhai.

Macau teve direito, numa primeira fase, a 600 quotas, das quais 594 foram renovadas em Agosto, indicou à Lusa fonte da Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego (DSAT). Assim, a confirmar-se a atribuição de todas as quotas em concurso, que termina no próximo dia 23, Macau passará a contar com 1.514, disseram os mesmos serviços.

A DSAT acrescentou que, entre as novas quotas, 558 estão reservadas a entidades individuais e 356 a entidades comerciais. Cada quota custa mil patacas e é válida por três anos.

Os residentes de Macau que pretendam obter uma quota particular devem trabalhar em Hong Kong ou ser proprietários de uma empresa ou de bens imóveis na região vizinha, referiu a DSAT.

Já para obter a quota de entidade comercial, “os candidatos devem ser proprietários de sociedade registada em Macau e Hong Kong ou sociedade registada em Macau com ligação a uma sociedade em Hong Kong”.

Em Agosto, o movimento de automóveis na ponte foi de 37.546 veículos, de acordo com a Direcção dos Serviços e Estatísticas.

4 Out 2019

Ponte HKZM | Mais 914 licenças de circulação para Macau

O Governo lançou ontem um concurso para atribuir mais 914 licenças para a circulação de veículos ligeiros na Ponte Hong Kong – Macau – Zhuhai.
Macau teve direito, numa primeira fase, a 600 quotas, das quais 594 foram renovadas em Agosto, indicou à Lusa fonte da Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego (DSAT). Assim, a confirmar-se a atribuição de todas as quotas em concurso, que termina no próximo dia 23, Macau passará a contar com 1.514, disseram os mesmos serviços.
A DSAT acrescentou que, entre as novas quotas, 558 estão reservadas a entidades individuais e 356 a entidades comerciais. Cada quota custa mil patacas e é válida por três anos.
Os residentes de Macau que pretendam obter uma quota particular devem trabalhar em Hong Kong ou ser proprietários de uma empresa ou de bens imóveis na região vizinha, referiu a DSAT.
Já para obter a quota de entidade comercial, “os candidatos devem ser proprietários de sociedade registada em Macau e Hong Kong ou sociedade registada em Macau com ligação a uma sociedade em Hong Kong”.
Em Agosto, o movimento de automóveis na ponte foi de 37.546 veículos, de acordo com a Direcção dos Serviços e Estatísticas.

4 Out 2019

Ponte HKZM | Túnel subaquático vai facilitar acesso a Shenzen 

O director-executivo da administração da Ponte de Hong Kong-Zhuhai-Macau, Wei Dong Qing, disse esperar que o Governo de Hong Kong consiga inaugurar, até final do próximo ano, o novo túnel subaquático entre a zona de Tuen Mun, em Hong Kong, e a de Chek Lap Kok, do outro lado da fronteira. Dessa forma, as pessoas podem ter acesso directo à baia de Shenzen, o que vai permitir que os visitantes de Shenzen possam entrar em Zhuhai e Macau por essa via, escreveu o Jornal do Cidadão na sua edição de ontem.

No relatório de Desenvolvimento da Grande Baía (2018-2019) divulgado pela Universidade de Ciências e Tecnologia de Macau, é revelado que o número de carros registados em Hong Kong, Macau e Zhuhai é de 1,4 milhões, sendo que na parte ocidental do Delta do Rio das Pérolas há uma maior capacidade para facilitar o acesso de veículos de Hong Kong ao continente.

Apesar da província de Guangdong ter aceite a proposta, o Governo de Hong Kong rejeitou-a devido ao facto da ligação entre Tuen Mun e Chek Lap Kok ainda não estar pronta, algo que poderia causar um excesso de tráfego na zona de Lantau. Portanto, a construção do novo túnel subaquático entre Tuen Mun e Chek Lap Kok pode melhorar os acessos viários, pelo que Hong Kong pode reconsiderar a proposta.

20 Set 2019

Ponte HKZM | Túnel subaquático vai facilitar acesso a Shenzen 

O director-executivo da administração da Ponte de Hong Kong-Zhuhai-Macau, Wei Dong Qing, disse esperar que o Governo de Hong Kong consiga inaugurar, até final do próximo ano, o novo túnel subaquático entre a zona de Tuen Mun, em Hong Kong, e a de Chek Lap Kok, do outro lado da fronteira. Dessa forma, as pessoas podem ter acesso directo à baia de Shenzen, o que vai permitir que os visitantes de Shenzen possam entrar em Zhuhai e Macau por essa via, escreveu o Jornal do Cidadão na sua edição de ontem.
No relatório de Desenvolvimento da Grande Baía (2018-2019) divulgado pela Universidade de Ciências e Tecnologia de Macau, é revelado que o número de carros registados em Hong Kong, Macau e Zhuhai é de 1,4 milhões, sendo que na parte ocidental do Delta do Rio das Pérolas há uma maior capacidade para facilitar o acesso de veículos de Hong Kong ao continente.
Apesar da província de Guangdong ter aceite a proposta, o Governo de Hong Kong rejeitou-a devido ao facto da ligação entre Tuen Mun e Chek Lap Kok ainda não estar pronta, algo que poderia causar um excesso de tráfego na zona de Lantau. Portanto, a construção do novo túnel subaquático entre Tuen Mun e Chek Lap Kok pode melhorar os acessos viários, pelo que Hong Kong pode reconsiderar a proposta.

20 Set 2019

Restaram 50 quotas de circulação para entidades comerciais na Ponte HKZM

A Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego (DSAT) aceita, até ao próximo dia 15, candidaturas para 50 quotas de circulação para a Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau destinadas a empresas. O anúncio, publicado ontem em Boletim Oficial, diz respeito a 50 quotas que ficaram por atribuir de um total de 300 reservadas a entidades comerciais autorizadas pelo Chefe do Executivo.

As quotas, com a validade de um ano, destinam-se à circulação de automóveis ligeiros de passageiros de serviço particular, permitindo múltiplas viagens para Hong Kong através da maior travessia sobre o mar do mundo.

Ligações a Hong Kong

Os requisitos mantêm-se: As empresas têm de estar registadas na RAEM e possuir mais de metade das acções numa filial em Hong Kong. As empresas podem indicar, no máximo, três trabalhadores como condutores, desde que residentes permanentes da RAEM e titulares da carta de condução para automóveis ligeiros de passageiros da RAEM.

À semelhança do que sucedeu anteriormente, as quotas de circulação remanescentes vão ser atribuídas mediante sorteio informático, estando a divulgação da lista de resultados prevista para o próximo dia 18. Cada quota de circulação tem um custo de 30 mil patacas.

Macau anunciou, em Junho, a atribuição, mediante sorteio, de 600 quotas (300 para empresas e 300 para particulares), com a validade de um ano, para automóveis ligeiros que pretendam circular na Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau.

De acordo com estimativas oficiais, o volume diário de tráfego deve atingir os 29.100 veículos em 2030 e 42.000 em 2037, enquanto o volume diário de passageiros pode vir a rondar os 126.000 e os 175.000, respectivamente. A Ponte do Delta entrou em funcionamento em 24 de Outubro.

3 Jan 2019

Ponte “psicológica” une Macau e Hong Kong à China comunista mas uso é “pouco”

Por João Pimenta, da agência Lusa

Prestes a atravessar a mega ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau (HKZM), a maior travessia marítima do mundo, o funcionário público aposentado Zhang Lei não tem dúvidas: o Partido Comunista Chinês é “grandioso” e a China é “number one”.

“Hong Kong e Macau já estão unidos à pátria; a seguir é Taiwan”, descreve Zhang, de 60 anos, à agência Lusa, junto à entrada para o posto fronteiriço em Zhuhai, cidade da China continental que faz fronteira com Macau.

Hong Kong e Macau foram integrados na República Popular da China em 1997 e em 1999, respectivamente, com o estatuto de regiões administrativas especiais, sob a fórmula “Um País, Dois Sistemas”, que garante que as políticas socialistas em vigor no resto da China não se aplicam nos territórios, que gozam de “um alto grau de autonomia”, à excepção da Defesa e das Relações Externas, que são da competência exclusiva do governo central chinês.

Taiwan funciona como uma entidade política soberana, desde que, em 1949, o antigo governo nacionalista chinês se refugiou na ilha, após a derrota na guerra civil frente aos comunistas. No entanto, Pequim considera Taiwan parte do seu território e ameaça usar a força caso Taipé declare independência.

Inaugurada em 22 de Outubro, a ponte HKZM é um marco do projecto de integração regional da Grande Baía, que visa criar uma metrópole mundial a partir dos territórios de Hong Kong, Macau e nove localidades da província chinesa de Guangdong (Cantão, Shenzhen, Zhuhai, Foshan, Huizhou, Dongguan, Zhongshan, Jiangmen e Zhaoqing).

Além de visar a integração económica, a infra-estrutura tem um simbolismo político, como ilustram os comentários de Zhang Lei, que viajou milhares de quilómetros, desde o nordeste da China, para atravessar a ponte.

“Tem um efeito psicológico: une os três lugares”, resume aos jornalistas Wei Dongqing, um dos responsáveis pelo projecto, que liga as antigas colónias portuguesa e britânica ao continente chinês. “Estamos confiantes no futuro: um mercado unido, um povo unido”, explica. “É esse o sonho”.

Wu Ting, fundadora da escola de negócios Jiabin, diz à agência Lusa que, apesar do retorno de Macau e Hong Kong à China, faltava ainda uma ligação terrestre entre as partes.

“A nível político precisávamos desta ligação”, aponta. “Por outro lado, tem um significado social: une o povo cantonês, que fala o mesmo dialeto e partilha da mesma cultura e laços sanguíneos”, acrescenta.

Trata-se da maior ponte do mundo sobre o mar, com uma estrutura principal de 29,6 quilómetros – uma secção em ponte de 22,9 quilómetros e um túnel subaquático de 6,7 quilómetros – , numa extensão total de 55 quilómetros.

A construção começou em 2011 e previa-se a abertura para 2016, mas vários problemas, como acidentes de trabalho, uma investigação de corrupção, obstáculos técnicos e derrapagens orçamentais obrigaram a um adiamento da inauguração.

Segundo dados do ministério chinês dos Transportes, no primeiro mês desde a abertura, a ponte serviu 1,79 milhão de passageiros.

“O volume de trânsito foi baixo (…) aquém das expectativas”, admite Yu Lie, vice-director da autoridade para a ponte, que culpa o sistema de quotas. Macau, por exemplo, tem direito a apenas 600 quotas para veículos locais circularem entre a cidade e Hong Kong através da nova ponte.

“Após um período inicial, terá de ser feita uma avaliação, e há a possibilidade de aumentar o número de quotas”, explica Yu. “Mas devido à actual política ‘Um País, Dois Sistemas’, e diferentes regras de trânsito, este é um processo preliminar. É preciso esperar que o projecto da Grande Baía esteja implementado”, explica.

“A longo prazo, existe a possibilidade de todos os carros de Macau e Hong Kong poderem usar a ponte”, prevê.

3 Dez 2018

Ponte HKZM | Carrie Lam vai discutir com Macau e Zhuhai fluxo de turistas

A Chefe do Executivo de Hong Kong, Carrie Lam, afirmou ontem que vai tentar falar com os governos de Macau e de Zhuhai face ao crescente descontentamento dos residentes de Tung Chung, Lantau, com o elevado fluxo aos fins-de-semana de turistas da China que chegam através da Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau.

Segundo o portal Hong Kong Free Press, Carrie Lam afirmou que a situação melhorou desde a aplicação da nova regra, pela empresa que presta o serviço de ‘shuttle bus’, destinada a excursões, dado que agora os turistas têm de se registar com uma antecedência de 24 horas.

29 Nov 2018

Táxis | Mais dois locais com taxa adicional de 5 patacas

Uma Ordem Executiva, publicada ontem em Boletim Oficial, autoriza a cobrança de uma taxa adicional de cinco patacas para a prestação de serviço de táxis no Posto Fronteiriço do COTAI e na Ilha Artificial da Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau, a partir de 8 de Dezembro.

Actualmente é cobrada uma taxa adicional de cinco patacas, sempre que a entrada no táxi aconteça na praça de táxis do Aeroporto Internacional de Macau, do Terminal Marítimo de Passageiros da Taipa, no novo ‘campus’ da Universidade de Macau na Ilha da Montanha.

Assim, com a entrada em funcionamento da Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau e a procura do serviço de táxis no Posto Fronteiriço de COTAI, o Chefe do Executivo autoriza a cobrança da mesma taxa adicional pela prestação do serviço nesses dois locais.

27 Nov 2018