ONU diz que turismo falha nos objectivos de desenvolvimento

O líder da agência da ONU (Organização das Nações Unidas) dedicada ao turismo disse ontem em Macau que o sector do turismo precisa de mais investimentos verdes, porque está a falhar na concretização dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável para 2030. “Estamos a ficar para trás na corrida para alcançar as metas do desenvolvimento sustentável”, alertou em Macau o secretário-geral da Organização Mundial do Turismo das Nações Unidas (UNWTO, na sigla em inglês).

Na cerimónia de abertura do Fórum Global de Economia e Turismo (GTEF, na sigla em inglês), Zurab Pololikashvili defendeu a urgência de “regressar ao caminho certo”, bem como “a importância de aumentar os investimentos verdes para fazer este sector mais sustentável do que nunca”.

Os 17 Objectivos de Desenvolvimento Sustentável para 2030, acordados pelos países-membros da ONU em 2000, incluem a erradicação da pobreza e da fome, redução das desigualdades, energia limpa e acessível e a acção contra as alterações climáticas.

A presidente executiva do Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC, na sigla em inglês) foi mais longe e defendeu que “o foco da próxima década tem de ser alcançar emissões zero e proteger a biodiversidade”.

Julia Simpson lembrou que a intensidade de produção de emissões de carbono no sector já está a diminuir. “É algo positivo e importante, mas não é suficiente”, disse, sublinhando que “as viagens internacionais continuem extremamente dependentes dos combustíveis fósseis”.

A dirigente disse que aviões movidos por energias renováveis ainda vão demorar a chegar e apontou os biocombustíveis como “a única solução a curto prazo para a indústria de aviação e as viagens de turismo”. Simpson apelou a todos os países para realizarem estudos sobre a possibilidade de “multiplicar a produção de biocombustível sustentável para a aviação” nos próximos dez anos.

Em primeiro lugar

Na mesma cerimónia, o ministro da Cultura e Turismo da China, Hu Heping, sublinhou que “a protecção ambiental tem de ser uma pré-condição para o desenvolvimento” da indústria do turismo. Com o fim da política covid zero, o turismo no país “tem estado a recuperar, a criar empregos de forma transversal em vários sectores e a dar um importante apoio ao crescimento económico”, disse Hu.

O ministro defendeu que, embora o acesso ao turismo seja “um importante critério para avaliar a qualidade de vida” da população, o sector tem de também melhorar a vida da população local. “Temos de levar em consideração a capacidade ecológica, os esforços necessários para restaurar a natureza e a capacidade de desenvolver o turismo verde”, disse Hu.

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários