10 de Junho | Programa arranca hoje com exposição de Adalberto Tenreiro 

As actividades inerentes ao programa comemorativo do 10 de Junho arrancam hoje com a inauguração da exposição “Dias de Portugal”, com desenhos do arquitecto Adalberto Tenreiro. Destaque ainda para os filmes do Indie Lisboa na Cinemateca Paixão, esta sexta-feira e sábado, bem como o espectáculo de marionetas “O Arraial”, da autoria de Elisa Vilaça

 

Em Macau o 10 de Junho, Dia de Portugal, Camões e das Comunidades Portuguesas começa a celebrar-se mais cedo e com as devidas regras de segurança devido à pandemia da covid-19. O programa deste ano, marcado por exposições, espectáculos, cinema e música, arranca hoje com a inauguração da exposição “Dias de Portugal – Desenhos de Sul a Norte”, que estará patente na chancelaria do consulado-geral de Portugal em Macau e Hong Kong até ao dia 10 de Julho.

O público poderá ver desenhos do arquitecto Adalberto Tenreiro, que reside em Macau desde 1983 e que chegou a trabalhar com Manuel Vicente. Nascido em São Tomé e Principe no ano de 1955, Adalberto Tenreiro estudou arquitectura na Escola Superior de Belas Artes de Lisboa e desenho no Ar.Co.

Destaque ainda para a 5ª Mostra de Cinema Português em Macau e que acontece esta sexta-feira e sábado na Cinemateca Paixão. Amanhã, por volta das 21h30, é exibido o filme de Tiago Guedes, intitulado “Tristeza e Alegria na Vida das Girafas”, uma adaptação de uma peça de Tiago Rodrigues, director do Teatro D. Maria II e vencedor do Prémio Pessoa em 2019.

No sábado haverá duas sessões de curtas – uma às 19h00 e outra a começar às 21h30 – onde serão apresentados alguns dos filmes que passaram pelos principais festivais de cinema internacionais. A sessão da tarde abre com a mais recente curta de Catarina Mourão, “O Mar Enrola a Areia”. Seguem-se os filmes “Em Caso de Fogo”, de Tomás Paula Marques, “Invisível Herói”, de Cristèle Alves Meira e “Past Perfect”, de Jorge Jácome. Destaque ainda para os filmes “Poder Fantasma”, de Afonso Mota, e “Raposa”, de Leonor Noivo, uma realizadora “com fortes ligações a Macau”. Será também exibido o “The Marvelous Misadventures of the Stone Lady”, de Gabriel Abrantes, uma comédia animada sobre uma escultura que foge do Museu do Louvre, cuja estreia aconteceu na Quinzena dos Realizadores de Cannes, em 2019.

Os bilhetes são grátis e podem ser levantados na sede da Casa de Portugal. Cada sessão tem lotação máxima de 27 lugares.

Marionetas na Casa Garden

No sábado, 6 de Junho, o programa prossegue com o espectáculo de marionetas de Elisa Vilaça, intitulado “O Arraial”, que acontece na Casa Garden por volta das 17h. Trata-se de uma produção da Casa de Portugal em Macau destinada aos mais novos que conta a história da “paixão de uma peixeira por um polícia”. Estes acabam por ir parar a uma festa de arraial tipicamente portuguesa, onde “um gato matreiro tenta roubar o peixe da peixeira”.

No dia 10 de Junho, quarta-feira, acontece a cerimónia do hastear da bandeira no consulado-geral de Portugal em Macau, às 9h, estando prevista também a inauguração da exposição de pintura de Madalena Fonseca. Esta mostra, com o nome “O Sono”, estará patente na Casa de Vidro do Tap Seac até ao dia 28 de Junho.

No dia 12 de Junho, a Casa Garden volta a ser palco das actividades de celebração do Dia de Portugal, ao receber o concerto da banda da Casa de Portugal em Macau. Por volta das 20h, a banda composta pelos músicos Tomás Ramos de Deus, Miguel Andrade, Ivan Pineda, Luís Bento e Paulo Pereira, vai interpretar temas que marcaram várias gerações e se tornaram intemporais.

A 13 e 14 de Junho, a Casa Garden exibe vários filmes do New York Portuguese Short Film Festival (NYPSFF), sendo a quinta vez que tal acontece em Macau.

Além de revelar algumas das curtas-metragens feitas por jovens realizadores portugueses, serão também exibidos curtas-metragens da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, que não é mais do que uma “mostra da diversidade da produção cinematográfica proveniente dos alguns países de expressão portuguesa”.

Monocromático

Fotógrafo por natureza, António Mil-homens decidiu avançar para a pintura com “Monochrome”, a exposição que estará patente na galeria da Casa Garden a partir de 18 de Junho e até ao dia 30 de Julho. Trata-se de um projecto “adiado durante décadas”, que nunca a fotografia à escrita “como forma de expressão”. “Tempos de crise tornam-se tempos de decisão. O título da mostra resulta da opção estética da não utilização da cor. Preto e branco, com toda a possível gama de cinzentos de permeio, serão característica da minha criatividade nesta área”, descreve o autor das obras.

A 24 de Junho será lançado o livro de poesia “Rio das Pérolas”, na Casa de Vidro do Tap Seac, que conta com a participação de 24 autores que falam de Macau através da poesia. A literatura ganha também destaca a 26 de Junho, com um serão literário protagonizado por “um grupo de autores e outros amantes da literatura portuguesa, que se reúnem pata dizerem textos seus ou de autores portugueses”. O cartaz encerra com este encontro, que terá lugar na Casa Garden às 18h30. Como já é habitual, a imagem oficial das comemorações do 10 de Junho ficou a cargo de Victor Marreiros, designer macaense.

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários