Hotel Fortuna | DSAL diz estar a acompanhar situação dos trabalhadores 

A Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais diz ter promovido o diálogo entre a direcção do Hotel Fortuna e os seus empregados, para que haja uma reorganização do trabalho sem despedimentos. Governo diz ainda estar a acompanhar o alegado despedimento ilegal de 20 funcionários

 

Concertar para não despedir. É esta a posição da Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais (DSAL) no caso do alegado despedimento ilegal de 20 funcionários do Hotel Fortuna. Sobre este ponto, a DSAL diz ter “entrado em contacto com as partes dos empregadores e dos trabalhadores e dado o acompanhamento”, sendo que “o caso enquadra-se principalmente com a questão de organização dos trabalhos devido à suspensão temporária do funcionamento dos estabelecimentos comerciais”.

Em relação aos funcionários que não estarão sujeitos ao despedimento, a DSAL assegura ter promovido um diálogo entre patronato e trabalhadores. “Após a concertação, empregadores e trabalhadores ficaram esclarecidos que, se não existe despedimento, os empregadores vão assegurar, nos termos da lei, os direitos e interesses laborais destes trabalhadores não residentes (TNR) e entrar em diálogo com os trabalhadores sobre a organização dos trabalhos durante o período em que os estabelecimentos comerciais estão fechados”, lê-se.

O jornal Macau Daily Times noticiou na semana passada que a direcção do Hotel Fortuna pediu a 20 TNR para assinarem uma declaração em chinês onde tomavam conhecimento do seu despedimento, fazendo-os acreditar que seriam dispensados de trabalhar apenas durante dois meses. Alguns funcionários já trabalhavam na empresa há 12 anos.

Este caso surgiu depois de o Governo ter decretado o encerramento temporário de todos os espaços hoteleiros e nocturnos no território, a fim de travar o surto do coronavírus. Até à data, não há registo de novos casos de infecção.

Documentos perigosos

Os funcionários despedidos, são oriundos do Vietname, Filipinas e Indonésia, e trabalhavam nos espaços Fortuna Night Club e Supreme Sauna, localizados no interior do Hotel Fortuna, no ZAPE.

De acordo com a mesma fonte, o Hotel Fortuna terá alegadamente dito aos trabalhadores que estariam dispensados de trabalhar durante dois meses devido ao encerramento anunciado pelo Governo de duas semanas e que para o efeito teriam de assinar uma declaração onde constava essa indicação.

Segundo um representante dos trabalhadores da instituição, que pediu para não ser identificado, nove dos funcionários já assinaram a declaração, enquanto outros 20 foram instruídos para fazer o mesmo. Os trabalhadores tentaram de imediato obter ajuda junto da DSAL. No entanto, o atendimento ao público levado a cabo pela DSAL continua encerrado até ao dia 16 devido ao surto do coronavírus.

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários