Reservas cambiais da China recuam 0,5% em Julho

As reservas cambiais da China, as maiores do mundo, caíram 0,5 por cento, em Julho, para 3,104 biliões de dólares, o valor mais baixo em seis anos, segundo dados oficiais ontem publicados.

A queda, de 15.537 milhões de dólares, em relação ao valor de Junho, deveu-se ao facto de as principais moedas caírem, em relação ao dólar norte-americano, devido às incertezas nos mercados financeiros internacionais, explicou a porta-voz e economista-chefe da Administração Estatal de Divisas, Wang Chunying.

Wang destacou questões “geopolíticas”, incluindo alterações no comércio global – uma referência à guerra comercial entre Pequim e Washington -, a política monetária do banco central chinês ou as perspectivas de ‘brexit’ (saída do Reino Unido da União Europeia).

A porta-voz salientou, no entanto, que as reservas chinesas somaram 310 biliões de dólares este ano, um acréscimo de 1 por cento.

Wang salientou que, num futuro próximo, a situação política e económica internacional continuará a ser “complicada e grave”, devido ao maior proteccionismo e populismo, bem como à volatilidade dos mercados financeiros e à pressão negativa sobre o crescimento em todo o mundo.

Os governos da China e dos Estados Unidos impuseram já taxas alfandegárias sobre centenas de milhares de milhões de bens importados um do outro, numa guerra comercial que espoletou desde o Verão passado.

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários