CCM | Espectáculo de dança contemporânea chinesa estreia em Setembro 

A história mistura-se com a modernidade no espectáculo que sobe ao palco do Centro Cultural de Macau em Setembro. Pelas mãos da coreógrafa Yang Liping, “O Cerco” é considerado “uma obra-prima da dança moderna”

 

O Centro Cultural de Macau (CCM) tem na agenda de Setembro um espectáculo que mistura pedaços da história da China, sob a égide da “estética do amor e da guerra”, com o que de melhor se faz ao nível da dança contemporânea. Trata-se de “O Cerco”, que sobe ao palco do grande auditório do CCM a 7 de Setembro e que é da autoria da Companhia de Dança Contemporânea Yang Liping.

Os bilhetes começam a ser vendidos no domingo, sendo que este espectáculo integra a primeira edição da iniciativa “Arte Macau”. Para coreografar o espectáculo de dança, Yang Liping “inspirou-se no conto de época ‘Adeus Minha Concubina’, celebrizado pela ópera e tradição chinesas, reinventando-o numa intensa história de ambição, traição e amor eterno”. A história tem como pano de fundo o período da guerra civil Chu-Han, inspirada numa história que há muito é celebrada através da literatura, da música e do cinema. Sob milhares de tesouras de aço suspensas, ruge o clímax de um confronto bélico: a Batalha de Gaixia vai mudar o curso da história chinesa. Dois poderosos e ambiciosos senhores da guerra apostam tudo para ganhar o coração de uma bela mulher.

O jornal Financial Times considerou o espectáculo “uma beleza de cortar a respiração”. Neste trabalho de coreografia, Yang Liping uniu forças com o figurinista e cenógrafo Tim Yip, galardoado pelos BAFTA e Academia de Hollywood (O Tigre e o Dragão e Desh de Akram Khan), e com a designer Liu Beili, para criar magia visual em palco.

Ao som de instrumentos clássicos e populares, como a pipa e o jinghu, a peça conta com um elenco de performers com percursos e tradições tão diversas como a Ópera de Pequim, o hip-hop, o ballet e a dança contemporânea.

“O Cerco” teve a sua estreia na Europa, em 2016 e foi bastante aclamado nos sítios por onde passou.

Workshop a caminho

Além do espectáculo, está também agendado um workshop levado a cabo por alguns bailarinos da companhia de dança de Yang Liping, e que está “aberto aos entusiastas da dança”, para que o “público tenha um conhecimento mais aprofundado do espectáculo”.

Yang Liping é considerada uma das maiores bailarinas da China, com provas dadas também no estrangeiro. Nascida em Dali, província de Yunnan, no seio da etnia Bai, é vice-presidente da Associação de Bailarinos da China. Ganhou fama nacional quando subiu aos palcos para dançar “O Espírito do Pavão”, em 1986. a sua companhia de dança já ganhou inúmeros prémios nacionais e mundiais.

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários