Delfim Mendonça Choi promete voltar este ano ao Grande Prémio de Macau

Na última década o automobilismo do território tem pecado por falta de renovação, não só na ausência de novos nomes no panorama internacional, como também nas competições promovidas pelas instituições da RAEM. Contudo, Delfim Mendonça Choi contraria essa tendência, tendo-se estreado em 2017 nas corridas de carros de Turismo, para obter em 2018 resultados bastante promissores. O piloto macaense espera um dia conseguir subir ao degrau mais alto do pódio numa das corridas do Grande Prémio de Macau.

Apesar de estar atento ao que se passa além fronteiras, Delfim vai, uma vez mais, participar no Campeonato de Carros de Turismo de Macau (MTCS, na sigla inglesa) em 2019, alinhando na classe “AAMC Challenge 1950cc e Superior”. Após o surpreendente segundo lugar conquistado na pretérita temporada da competição organizada pela Associação Geral Automóvel de Macau-China (AAMC), a aposta este ano volta a recair no seu Mitsubishi Evo 7.

“Vou correr novamente no MTCS em 2019, com o mesmo carro e na mesma equipa”, disse o piloto de 27 anos ao HM. “Estou também planear fazer corridas na Malásia, Tailândia e Japão”, acrescentou Mendonça Choi, ele que deu os primeiros passos nos desportos motorizados em 2014 do outro lado das Portas do Cerco, em provas amadoras de karting e não esquece um começo atribulado.

“Em 2017, no meu primeiro ano de corridas, tive um problema no transporte do meu carro, porque este chegou na semana da corrida. Portanto, não tive hipótese de testar o meu carro na pista de Zhuhai e nunca tinha conduzido nesta pista”, relembra. “Só tive a oportunidade de testar na quinta-feira anterior ao evento e na sexta-feira era já a qualificação (que apurava os melhores concorrentes para as corridas). Apenas pude experimentar a pista nos videojogos e até correu bem, fui 13º em vinte e cinco concorrentes.”

Para além das questões inerentes a um desporto por si só dispendioso e de acreditar que “o Governo deveria conceder mais apoios aos novos pilotos locais”, Mendonça Choi reconhece que para um jovem não é fácil iniciar-se na modalidade, porque “as corridas locais mudam a regulamentação com demasiada frequência”, o que obriga os concorrentes a fazerem avultados investimentos. “Seria melhor se a AAMC não mudasse tanto as regras e ouvisse mais os pilotos locais”, alerta.

Para o piloto do território, a maior ambição na sua carreira desportiva passa por um dia “vencer uma corrida no Grande Prémio de Macau”, mas não esconde as aspirações a curto prazo de “realizar mais corridas no estrangeiro para ganhar mais experiência e melhorar enquanto piloto”.

Época memorável

Na temporada transacta, Delfim apostou num Mitsubishi Evo 7 para as duas jornadas que compõem o MTCS, mas desta vez entregou o seu carro à equipa SLM Racing Team. Esta troca de preparador deu resultados logo na ronda de abertura, ao obter um segundo e um quarto lugar na classe “AAMC Challenge 1950cc ou Superior”. No segundo confronto no Circuito Internacional de Zhuhai, mais duas subidas ao pódio, e o segundo lugar no campeonato na bagagem.

Para encerrar a temporada, na Taça FOOD4U Carros de Turismo de Macau da 65ª edição do Grande Prémio, o Mitsubishi nº17 terminou no 13º lugar da geral. Em Dezembro último, nas 10 Horas de Buriram, na Tailândia, Delfim Choi fez equipa com três outros experientes pilotos de carros de Turismo de Macau. Na companhia de Ng Kin Ven, Ip Tak Meng e Cheong Chi On, o piloto de matriz portuguesa levou um Honda FD2 ao quinto lugar da geral.

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários