PARTILHAR

O sueco Joel Eriksson foi segundo classificado no Campeonato Europeu de Fórmula 3, mas quer corrigir o resultado em Macau, com uma vitória na corrida da categoria. Nesta que é a sua segunda participação no circuito da Guia, depois de uma desistência no ano passado, o piloto de 19 anos vai voltar defender as cores da Motopark.

“Estou muito entusiasmado com esta prova. Macau é aquela corrida que todos os pilotos querem ganhar e sinto-me muito bem preparado. Vai ser um desafio enorme, porque é a corrida mais complicada do ano. Mas não vou viajar para o outro lado do mundo para ficar no segundo lugar”, afirmou Joel Eriksson, em declarações ao seu portal oficial.

O sueco vai voltar a ter pela frente Lando Norris, piloto britânico que foi o vencedor do Campeonato Europeu de F3. Contudo, Lando vai competir em condições mais desfavoráveis, porque ficou até ontem a testar o carro de Fórmula 1 da McLaren, em São Paulo, e só está previsto que chegue a Macau na quinta-feira à tarde. O britânico vai por isso falhar a primeira sessão de testes livres.

Os outros favoritos incluem o alemão Maximilian Günther e o britânico Callum Ilott. Estes dois pilotos, em conjunto com Eriksson e Norris ,venceram 27 das 30 corridas de Fórmula 3 realizadas na Europa este ano.

“Como acontece sempre em Macau, vamos ter um plantel muito rico em talento, com muitos pilotos rápidos. Aprendi muito no ano passado e espero conseguir mostrar isso durante a corrida deste ano”, apontou Eriksson.

“Nesta pista é necessário ir ganhando confiança e velocidade de forma gradual. É uma coisa que leva tempo. Mas como esta é a minha segunda participação, acredito que vai ser um processo mais rápido”, completou sobre o assunto.

Sem margem de erro

Por outro lado, o vice-campeão europeu de F3 recordou que tal como acontece em Macau, quando as barreiras de protecção estão tão perto dos limites da pista, não há margem de erro para os pilotos.

“No ano passado tive alguns contactos com as barreiras. Por isso, estou muito consciente de que não há espaço para erros. Temos de ser muito precisos. É claro que vai ser uma prova dura, mas quero acreditar que temos uma hipótese muito realista de vencer”, acrescentou.

Mesmo assim, o piloto não deixa de acreditar nas suas capacidades porque diz ter “melhorado muito ao longo do ano, especialmente na abordagem a circuitos citadinos”.

O Grande Prémio de Macau arranca na quinta-feira, com as ruas a começarem a encerrarem por volta das três da manhã. A corrida de F3 está agendada para o domingo, às15h30, caso não haja atrasos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here