PARTILHAR
André Pires
André Pires já prepara o regresso a Macau onde vai tripular a Kawasaki ZX10R, com que competiu ao longo da temporada. Apesar de uma preparação com limitações, o piloto ambiciona ficar classificado acima do 13.º lugar, o seu melhor registo no território

O motociclista André Pires vai estar à partida do Grande Prémio de Macau e definiu como objectivo melhorar o 13.º lugar, conquistado na edição de 2013. Apesar das condições estarem longe de ser as ideais para poder ambicionar lutar pelos lugares da frente, o português admite estar mais bem preparado do que no ano passado, por correr com a moto que utilizou ao longo da época.

“Estou confiante porque vou participar com a Kawasaki ZX10R com que estou a participar no Campeonato Nacional de Velocidade, em Portugal. Temos uma boa mota, que conheço, e com que me sinto muito bem, por isso acho que se as coisas correrem bem dá para fazer um bom lugar”, afirmou André Pires, ao HM.

“Não gosto de apontar posições porque durante a prova pode acontecer muita coisa. Mas claro que o meu objectivo é ficar acima da minha melhor participação, que foi o 13.º lugar em 2013”, acrescentou.

No entanto, a tarefa não se avizinha fácil. Não só porque a concorrência é muito forte mas também porque a preparação não foi melhor, depois de alguns problemas sentidos ao longo do ano.

“A preparação não correu tão bem quanto eu queria, porque este ano tive alguns problemas com a equipa com que corro no Nacional. Não cumpriram o prometido e tive de ser eu a pegar na equipa, o que exigiu um grande esforço”, explicou.

“As coisas têm corrido bem, apesar de tudo. Só que não treinei nem pude desenvolver a moto como gostava. Mas sinto-me mais bem preparado do que no ano passado, porque vou competir com uma mota que conheço. Isso é muito diferente de andar o ano todo com uma mota, e depois chegar a Macau e ter de competir com outra mota com que nunca andei”, justificou.

Moto de origem

Ainda assim, a Kawasaki ZX10R é uma moto muito pouco alterada face à versão original. Apesar do regulamento permitir alterações que melhoram o desempenho das motos, o piloto do Team Portugal admite que a falta de patrocínios não lhe permite investir nesse capítulo.

“A nossa mota vai basicamente de origem. Em Macau o regulamento permite fazer uma preparação melhor das motas, mas nós não temos patrocínios para isso e é um processo dispendioso. Também em Portugal o regulamento não permite alterar as motas. Vai ser difícil combater os verdadeiros ‘aviões’ que aparecem da concorrência”, anteviu.

Em relação a cuidados especiais por competir em Macau, André Pires realçou ainda a necessidade de se preparar para lidar com o clima local, e principalmente a forte humidade.

“Os cuidados necessários passam por preparar-me bem fisicamente, para me adaptar ao clima e à forte humidade que se sente”, explicou.

A 64.ª edição do Grande Prémio de Macau realiza-se entre 16 e 19 de Novembro, e, caso não haja alterações imprevistas, a prova para as motos realiza-se no dia 18.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here