Tufão Hato | Subsídio para PME passa de 30 para 50 mil patacas

O Governo de Macau elevou de 30 mil para 50 mil patacas o subsídio para ajudar as Pequenas e Médias Empresas (PME) a fazer face aos estragos causados pelo tufão Hato.

“Na sequência do conhecimento aprofundado das dificuldades enfrentadas pelas micro, pequenas e médias empresas e vendilhões afectados pelo tufão, (…) oGoverno da RAEM decide que aumentará de 30 mil patacas para 50 mil patacas o limite do montante da ‘Medida de abono’ (…) a fim de aliviar a pressão financeira dos empresários afectados”, informou a Direcção de Serviços de Economia (DSE), em comunicado.

Segundo a DSE, os primeiros abonos começaram a ser entregues na noite de segunda-feira, tendo sido aprovados 334 pedidos, num total de 10,02 milhões de patacas.

As empresas que tenham apresentado o pedido de apoio – ou o tenham recebido – antes da subida do abono, não necessitam de efectuar novo registo, com a DSE a atribuir automaticamente as 20 mil patacas de diferença.

Além deste abono, o Governo criou também uma linha de crédito, sem juros, para as PME afectadas até ao montante máximo de 600 mil patacas.

Segundo a imprensa chinesa, a deputada Song Pek Kei defendeu que o apoio de 30 mil patacas não seria suficiente para a reparação das despesas de condomínio dos edifícios, tendo exigido a criação de um mecanismo de empréstimo para este tipo de reparações.

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários