PARTILHAR

O académico da área de Administração Pública e Governamental, Eilo Yu, considera que os serviços públicos dependem em demasia de adjudicações para os seus serviços, investigações e estudos, sendo assim, muitas vezes, ignorada a capacidade de análise dos funcionários públicos na elaboração de políticas. Ao Jornal Exmoo, o professor da Universidade de Macau (UM) apontou que, seja pelo último relatório de Auditoria ou através do caso de corrupção em que está envolvido o ex-procurador do Ministério Público, Ho Chio Meng, é possível verificar que existe um problema claro relativamente às adjudicações de serviços no Governo.
Eilo Yu considera ser importante levar a cabo investigações e estudos na Função Pública, mas diz ser anormal um número “tão grande” destes. Existem, aponta, problemas de dependência, assumindo mesmo “competências insuficientes da própria equipa do Governo”, porque, se os funcionários têm de adjudicar tudo, então ou não sabem como fazer, ou não há confiança neles.
“O Governo não valoriza a capacidade interna de análise e de elaboração de políticas. Tem falta de um regime que permita os funcionários públicos aumentar as suas capacidades. Como não sabem como fazer, a maneira mais rápida é depender de instituições exteriores, mas as instituições podem não compreender as necessidades e o resultado poderá não satisfazer a população”, argumentou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here