Festas populares de Lisboa recordam 25 anos da transição de Macau

Celebra-se hoje o feriado municipal de Santo António em Lisboa, tendo ontem decorrido, na Avenida da Liberdade as tradicionais marchas populares com a presença de todos os bairros do concelho da capital. Destaque para o facto de, a abertura da marcha, às 21h, ter sido feita por dois “dragões” especialmente concebidos para a ocasião, a fim de celebrar os 25 anos da transferência de administração portuguesa de Macau para a China e o estabelecimento da Região Administrativa Especial de Macau.

A Dança do Dragão contou com 30 participantes convidados, numa actuação do grupo da Associação Geral Desportiva de Macau Lo Leong, que conta com o apoio do Turismo de Macau.

Os 20 grupos de marcha desceram a Avenida da Liberdade em representação dos bairros dos Olivais, Alfama, Baixa, Santa Engrácia, Carnide, Castelo, Bela-Flor, Campolide, Alcântara, Madragoa, São Vicente, Bairro da Boavista, Bairro Alto, Graça, Alto do Pina, Belém, Marvila, Penha de França, Mouraria, Lumiar e Bica, que venceu as marchas no ano passado.

O Tejo foi o tema central da Grande Marcha de Lisboa, com letra de Flávio Gil e música de João Paulo Soares, tendo sido interpretada por todas os grupos participantes (além das músicas próprias).

À semelhança de anos anteriores, descem também a avenida, no início do desfile, três marchas extraconcurso: a marcha infantil de “A Voz do Operário”, a marcha dos Mercados e a marcha da Santa Casa.

As Marchas Populares de Lisboa são este ano candidatas a integrar a lista nacional de património cultural imaterial, com o objectivo de reconhecimento histórico e também de preservação desta tradição popular.

Casar com o António

Além das habituais marchas populares, decorreu ontem a cerimónia dos Casamentos de Santo António, uma tradição com muitos anos em que 15 casais de dez freguesias de Lisboa casaram com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa.

Decorreram, assim, cinco casamentos em cerimónia civil, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, e dez religiosos na Sé de Lisboa.

As festas da cidade de Lisboa decorrem até ao final do mês, tendo lugar nas próximas semanas 15 arraiais populares em oito freguesias da cidade – Alcântara, Carnide, Estrela, Misericórdia, Olivais, Penha de França, Santa Maria Maior e São Vicente -, além daqueles que surgem espontaneamente e são organizados por populares nas suas freguesias. Nestes arraiais come-se a tradicional sardinha assada e bifana, além de se dançar ao som de música popular portuguesa. Em Macau, este modelo de festa é reproduzido no também tradicional Arraial de S. João, que começa esta semana.

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários