Democracias há muitas

A questão da democracia tem muito que se lhe diga, é certo, mas é muito mais importante é o que se faz. Um exemplo que vem de dois países europeus com posturas radicalmente diferentes perante o mundo.

O primeiro é Portugal que, mal conseguiu implantar um regime democrático, teve como preocupação central acabar com as colónias, na medida em que a sua existência repugnava aos nossos dirigentes. Demos imediatamente a independência a todas chamadas províncias ultramarinas, se calhar nem sempre respeitando os “timings” correctos, mas a verdade é que fomos dignos de usar o nome de “democratas”.

Já a Inglaterra, que é suposto ser uma democracia há muito mais tempo, agarrou-se o mais possível às suas possessões ultramarinas e criou sempre problemas de modo a dizer-se que depois da sua saída (geralmente forçada) era o caos. De forma iníqua, pois os ingleses sempre acreditaram firmemente na sua superioridade em relação a “brancos” e, sobretudo, “não brancos”, quiseram sempre manter as relações coloniais com os que consideravam súbditos ( e não cidadãos, tanto que nunca outorgaram cidadania aos colonizados) da sua esclerosada rainha.

Daí também que Macau nada tenha a ver com Hong Kong e que por aqui reine há muito tempo o princípio “um país, dois sistemas” e é de tal forma bem sucedido que ninguém (ou quase) dá por ele. Há que afastarmo-nos das influências perniciosas da ex-colónia britânica se aqui queremos sobreviver como comunidade. Tal qual fazemos há cinco séculos, muito antes dos ingleses saberem que a China existia.

Subscrever
Notifique-me de
guest
1 Comentário
Mais Antigo
Mais Recente Mais Votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Avatar
Rui Manuel Martins de Sousa Torres ( Rui Filipe To
21 Nov 2019 08:19

Duas pequenas concomitâncias ao enunciado. É certo em absoluto que Macau nada tem a haver com Hong-Kong , seja qual a for a abordagem, social, histórica, demográfica, económica, cultural, religiosa, sendo certo que todos as diversas áreas da vida social se cruzam , Macau é um território com uma identidade própria, muito diversa da de Hong-Kong. Se este ponto não sugere, quer-me parecer, qualquer dificuldade, quero referir um segundo que me parece importante, no primeiro parágrafo, a relação é inversa, é dito ” ….Portugal que, mal conseguiu implantar um regime democrático, teve como preocupação central acabar com as colónias, na… Ler mais »