PARTILHAR

O s encarnados escreveram mais uma página da História do futebol de Macau. O golo solitário de Nikki Torrão foi o suficiente para tornar as águias na primeira equipa a conquistar cinco campeonatos consecutivos.
Pentacampeões. É este o novo título do Benfica de Macau desde domingo, após a vitória por 1-0 diante do Monte Carlo. No Estádio de Macau, as águias dominaram a seu bel-prazer, mas o desperdício fez com que apenas acabassem por marcar um golo, aos 30 minutos, por intermédio de Nicholas Torrão.
Em relação ao encontro em si pouco há para escrever. Os encarnados entraram muito pressionastes e o Monte Carlo, assumindo as suas limitações, concentrou-se essencialmente em defender e fazer o tempo passar com perdas de tempo.
Finalmente, aos 30 minutos, David Tetteh serve na área Carlos Leonel, o atacante remata de primeira, a meia altura, e a bola embate na barra com estrondo. O ressalto acaba por sobrar para Nikki Torrão que de cabeça, e com o guarda-redes adversário no chão após se ter feito ao lance anterior, apontou o golo da vitória.
No final os encarnados conseguiram mais um título da Liga de Elite, o quinto consecutivo, depois de já terem somado um participação meritória na Taça AFC, com quatro vitórias em seis jogos.
“Apesar da época ainda não ter acabado, foi uma temporada positiva. É o quinto título consecutivo, um feito que vai ser difícil repetir e que é o esforço da equipa e destes jogadores que são uns guerreiros”, disse Bernardo Tavares, treinador das águias, ao HM.
“Mas tenho de dar o maior ênfase ao Duarte [Alves, director técnico]. É ele o grande obreiro deste projecto, é ele o responsável pelas pessoas que têm passado pelo clube e pelas metas traçadas. Com ele o Benfica de Macau tem crescido todos os anos e este título é o ponto alto, a nível interno, de uma época muito positiva”, acrescentou o técnico.
Também o goleador da equipa, Carlos Leonel, se mostrou muito satisfeito com o feito alcançado: “É um sentimento muito bom. Não é qualquer equipa que consegue ser pentacampeã. Estamos todos muito orgulhosos e queremos dar continuidade a este crescimento do clube”, disse Carlos Leonel, ao HM.
O jogador considerou ainda que o Benfica de Macau está num patamar muito superior ao das outras equipas e que a participação na Taça AFC permite às águias adquirir uma maturação que não se encontra dentro de portas. “Foi na Taça AFC que atingimos o topo e adquirimos uma maturidade como equipa que conseguimos transpor para dentro de campo. Na Liga Elite o Benfica de Macau tem outros argumentos, é uma equipa muito mais madura, que conhece os momentos do jogo e que sabe geri-los. A AFC deu-nos esta identidade”, defendeu.

Olhos na Taça
Numa altura em que ainda faltam dois jogos para o final da Liga de Elite, as águias vão querer somar mais seis pontos. Contudo, o grande objectivo passa por conquistar a Taça de Macau, que esta época se realiza em moldes diferentes da temporada anterior. A Associação de Futebol de Macau vai realizar duas taças, uma só com equipas da Liga de Elite e outra com formações da 2.ª e 3.ª divisões.
“Ainda faltam dois jogos, mas claro que agora apontamos à Taça. O nosso objectivo só pode ser a dobradinha”, vincou Leonel Alves. O avançado admitiu também que esta vai ser a sua última, por enquanto, no Benfica de Macau.
“Estou a estudar mandarim e essa tem sido uma das minhas prioridades, a par do futebol. Em Setembro vou começar o ano lectivo em Pequim. Por isso, ainda não sei como vai ser o meu futuro, mas não vou estar em Macau”, revelou, ao HM.
Também Bernardo Tavares definiu a taça como a próxima meta, mas recorda que antes disso há dois jogos, diante da Polícia e Sporting, para serem ganhos.
“Ainda há dois jogos para fazer na Liga de Elite. Gostamos de valorizar as competições, mas vamos optar por rodar com jogadores, para dar minutos a quem tem menos. Depois é que nos vamos focar na dobradinha e na Taça”, explicou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here