Executivo admite seguro universal de saúde

O deputado Tommy Lau propôs ao Chefe do Executivo a criação de um seguro universal de saúde como forma de agilizar o acesso aos cuidados hospitalares. A ideia passa pela possibilidade de o Governo fornecer um seguro de saúde que permita à população usar os serviços hospitalares à sua escolha.

Chui Sai On considera que a opção é merecedora de reflexão por parte do Governo, assim como por parte da sociedade.

“A população tem de responder se está interessada e se também quer estar envolvida”, teorizou o Chefe do Executivo. Esta pode ser uma forma de aliviar a pressão sobre os serviços de saúde públicos, uma vez que pode implicar também a contribuição por parte da sociedade num sistema de comparticipação. Neste capítulo, Chui Sai On considera que “se o número de participantes for insuficiente isso pode levantar problemas”, nomeadamente na sustentabilidade do sistema.

Na resposta ao deputado Tommy Lau, o líder do Governo recordou que os custos da saúde têm aumentado, quase duplicaram, nos últimos anos, tanto na esfera pública, como privada. Uma realidade que, de acordo com Chui Sai On, reflecte o investimento em equipamentos com tecnologia mais moderna no diagnóstico e tratamento. Aliás, quando o Complexo de Cuidados de Saúde das Ilhas abrir ao público, estima-se que o orçamento da saúde vai duplicar para valores a rondar os 140 mil milhões de patacas.

Vales e Apps

Durante a sessão plenária de perguntas e respostas sobre as Linhas de Acção Governativa e assuntos sociais, o deputado Chan Iek Lap perguntou ao Chefe do Executivo se planeia introduzir um serviço de telemedicina. Será uma questão a equacionar pelo Governo no sentido de tornar os serviços de saúde mais ágeis em termos electrónicos. Nesse sentido, o dirigente máximo da RAEM recordou a aplicação para telemóvel que permite ao utente aceder às listas de espera dos hospitais de Macau.

Chui Sai On reforçou o aspecto preponderante da tecnologia ao serviço da saúde que passa pela continuação da aposta da digitalização dos serviços para salvaguardar a segurança dos serviços e proceder à interligação entre centros de saúde. “Hoje em dia temos seis mil residentes registados neste sistema, iremos continuar a optimizar os serviços electrónicos de saúde.

O deputado Lam Heong Sang pediu informações sobre a política dos vales de saúde, lançados em 2009. O Chefe do Executivo elencou dados estatísticos para ilustrar as potencialidades do sistema. De acordo com os números avançados, 80 por cento dos vales de saúde disponível são impressos, sendo que deste universo 90 por cento são efectivamente usados pela população para idas a consultórios médicos. Chui Sai On considera esta é uma boa medida, uma vez que permite aliviar os serviços de saúde públicos.

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários