PARTILHAR

Or Wai Sheun, presidente do Grupo Polytec, assegura que “a Polytec não vai perder no processo judicial do caso do Pearl Horizon contra o Governo”, porque simplesmente “não pode perder”. Em Pequim, onde participa na Conferência Consultiva Política do Povo Chinês, o presidente da empresa apelou aos investidores do edifício para manterem a “racionalidade” e perceberem que a Polytec é “a maior vítima do caso”.
O edifício Pearl Horizon, na Areia Preta, ficou por construir depois de ter sido prometida a sua entrega este ano e, posteriormente, em 2018. Agora, a empresa viu-se sem o terreno, que lhe foi retirado pelo Executivo por esta não ter cumprido o prazo para aproveitamento do terreno.
Or Wai Sheun diz que a Polytec tentará ganhar o processo em tribunal o “mais depressa possível”, para que possa concluir o edifício “com uma exigência rigorosa e qualidade elevada”, algo que, diz, é a melhor resposta a dar às questões dos promitentes-compradores, que pedem o dinheiro investido de volta. O responsável mostra-se confiante e diz que o “projecto só parou temporariamente”.
“A Polytec não vai perder, também nem pode perder o processo” frisou Or Wai Sheun, indicando que “a demora para aprovação do projecto [pelo Governo] é um facto absoluto” e que há “testemunhos escritos” que o provam. “Por isso, só espero um resultado positivo, para manter a harmonia social.”
Or Wai Sheun diz mesmo que a Polytec é a maior vítima no caso do Pearl Horizon e relembra que os investidores estão constantemente a sabotar eventos da empresa. “Os nossos funcionários foram feridos por eles durante manifestações”, afirmou. O presidente diz ainda que a empresa está apta a aceitar “qualquer proposta que possa melhorar o caso”, como “uma transação ou negociação com o Governo”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here