Poemas de Li Bai

O TEMPLO DA MONTANHA

Abrigo-me no templo, no alto da montanha.
De noite, quase toco com as mãos nas estrelas.
Mas nem uma palavra atiro ao vento.
Não se perturba os habitantes do céu.

 

A CANÇÃO DE OUTONO

Como extensos rios, os cabelos brancos
Alagam o coração.
E reconheço ao espelho
Esta geada de Outono.

 

POEMA DA RAPARIGA ÚNICA

Águas do rio, espelho da lua,
A rapariga que me mostrais parece neve.
O seu vestido sobe e desce com as ondas.
Luz absoluta, que brilha e desaparece.

13 Nov 2018