DST | Japão vence 30.º concurso internacional de fogo-de-artifício

O Japão venceu o 30.º concurso internacional de fogo-de-artifício de Macau (CIFAM), tendo a China e a França ficado no segundo e terceiro lugares, respectivamente, anunciou a Direcção dos Serviços de Turismo (DST).

As últimas apresentações do concurso, que começou a 7 de Setembro, decorreram no sábado, junto à Torre de Macau, e couberam às companhias pirotécnicas do Japão e da Austrália.

Este ano, a DST convidou pela primeira vez 12 equipas para seis noites de espectáculos pirotécnicos, que decorreram em 7, 13, 21 e 28 de Setembro e a 1 e a 5 de Outubro, sob o tema “Dupla Celebração em Macau”.

As 12 equipas participantes na edição deste ano do CIFAM eram, por ordem de actuação, da Malásia, Filipinas, Portugal, Coreia do Sul, Reino Unido, Roménia, África do Sul, Canadá, França, China, Japão e Austrália.

Para este ano, o orçamento do concurso, cuja primeira edição se realizou em 1989, foi superior a 24 milhões de patacas, que contemplou a realização de actividades complementares e de uma palestra ao longo dos seis dias de espectáculo.

8 Out 2019

DST | Japão vence 30.º concurso internacional de fogo-de-artifício

O Japão venceu o 30.º concurso internacional de fogo-de-artifício de Macau (CIFAM), tendo a China e a França ficado no segundo e terceiro lugares, respectivamente, anunciou a Direcção dos Serviços de Turismo (DST).
As últimas apresentações do concurso, que começou a 7 de Setembro, decorreram no sábado, junto à Torre de Macau, e couberam às companhias pirotécnicas do Japão e da Austrália.
Este ano, a DST convidou pela primeira vez 12 equipas para seis noites de espectáculos pirotécnicos, que decorreram em 7, 13, 21 e 28 de Setembro e a 1 e a 5 de Outubro, sob o tema “Dupla Celebração em Macau”.
As 12 equipas participantes na edição deste ano do CIFAM eram, por ordem de actuação, da Malásia, Filipinas, Portugal, Coreia do Sul, Reino Unido, Roménia, África do Sul, Canadá, França, China, Japão e Austrália.
Para este ano, o orçamento do concurso, cuja primeira edição se realizou em 1989, foi superior a 24 milhões de patacas, que contemplou a realização de actividades complementares e de uma palestra ao longo dos seis dias de espectáculo.

8 Out 2019

Hong Kong | Cancelado fogo de artifício do 1.º de Outubro

As autoridades de Hong Kong cancelaram ontem o tradicional fogo de artifício que, a 1 de Outubro, assinala o Dia Nacional da China, numa altura em que os protestos pró-democracia na cidade dão mostras de não acabar.

Num comunicado, as autoridades locais referem que o espectáculo que tradicionalmente ocorre naquela data no Harbour Victoria (Porto Vitória) foi cancelado “tendo em conta os últimos desenvolvimentos e também para garantir a segurança pública”.

Várias acções de protesto estão marcadas para 1 de Outubro próximo, dia em que a China celebra o 70.º aniversário do Partido Comunista chinês, no poder.

Hong Kong tem vivenciado nos últimos meses manifestações violentas depois de grande parte dos residentes temerem que o Governo de Pequim está a pôr cobro a direitos e liberdades do território semi-autónomo, no quadro do pressuposto de “um país, dois sistemas”.

Os protestos têm dividido a cidade, tendo, terça-feira, dezenas de apoiantes de Pequim empunhado bandeiras da China e cantado o hino nacional chinês num centro comercial da cidade, ao mesmo tempo que manifestantes anti-governamentais os apupavam.

Pequim avisou já os Estados Unidos para não se envolverem nos protestos, um dia depois de um grupo de activistas, incluindo o líder estudantil Joshua Wong e a popular cantora local Demise Ho, ter apelado ao apoio de Washington aos protestos.

O grupo de activistas pediu aos congressistas e senadores norte-americanos para porem termo às exportações de equipamentos policiais utilizados pelas forças da ordem chinesas contra os manifestantes e para terem em conta os “esforços de Pequim para minar as liberdades civis”.

19 Set 2019

Hong Kong | Cancelado fogo de artifício do 1.º de Outubro

As autoridades de Hong Kong cancelaram ontem o tradicional fogo de artifício que, a 1 de Outubro, assinala o Dia Nacional da China, numa altura em que os protestos pró-democracia na cidade dão mostras de não acabar.
Num comunicado, as autoridades locais referem que o espectáculo que tradicionalmente ocorre naquela data no Harbour Victoria (Porto Vitória) foi cancelado “tendo em conta os últimos desenvolvimentos e também para garantir a segurança pública”.
Várias acções de protesto estão marcadas para 1 de Outubro próximo, dia em que a China celebra o 70.º aniversário do Partido Comunista chinês, no poder.
Hong Kong tem vivenciado nos últimos meses manifestações violentas depois de grande parte dos residentes temerem que o Governo de Pequim está a pôr cobro a direitos e liberdades do território semi-autónomo, no quadro do pressuposto de “um país, dois sistemas”.
Os protestos têm dividido a cidade, tendo, terça-feira, dezenas de apoiantes de Pequim empunhado bandeiras da China e cantado o hino nacional chinês num centro comercial da cidade, ao mesmo tempo que manifestantes anti-governamentais os apupavam.
Pequim avisou já os Estados Unidos para não se envolverem nos protestos, um dia depois de um grupo de activistas, incluindo o líder estudantil Joshua Wong e a popular cantora local Demise Ho, ter apelado ao apoio de Washington aos protestos.
O grupo de activistas pediu aos congressistas e senadores norte-americanos para porem termo às exportações de equipamentos policiais utilizados pelas forças da ordem chinesas contra os manifestantes e para terem em conta os “esforços de Pequim para minar as liberdades civis”.

19 Set 2019

Empresa chinesa vence concurso de fogo de artifício

A empresa chinesa Liuyang New Year Fireworks venceu a 29.ª edição do Concurso Internacional de Fogo-de-Artifício de Macau, que terminou esta segunda-feira, Dia Nacional da China.

Milhares de pessoas reuniram-se na baía em frente à Torre de Macau para assistirem ao último dia do concurso, reservado aos espectáculos da Itália e da China.

Na cerimónia de entrega de prémios, a responsável pela Direcção dos Serviços de Turismo (DST) descreveu o evento como um dos “maiores cartazes turísticos” do território, capaz de atrair turistas de todo o mundo.

“A DST irá continuar a apresentar eventos diversificados e inovadores, em cooperação com diferentes serviços governamentais, instituições, associações (…) com o objectivo de transformar Macau num centro mundial de turismo e lazer”, sublinhou Helena de Senna Fernandes.

Chama lusa

A companhia pirotécnica “Luso” voltou a representar Portugal no concurso, que contou ainda com a participação de equipas das Filipinas, Coreia do Sul, Japão, Bélgica, França, Alemanha e Áustria.

O grupo português viu a sua actuação inspirada no Fado ser adiada uma semana, devido ao tufão Manghkut, que atingiu Macau no dia 16 de setembro e obrigou as autoridades a içarem o sinal 10 de tempestade tropical, o máximo na escala de alerta. À data, em conferência de imprensa, o representante da empresa, Vítor Machado, lembrou que todo o material foi ‘made in’ Portugal.

Este ano, a “Luso” decidiu investir “numa viagem de sonoridades”, “desde os clássicos, como Amália [Rodrigues]” e António Zambujo, até ao Fado In Bossa e aos Beat Bombers Remix, passando por artistas como Rodrigo Leão e Camané, Pedro Abrunhosa, Dulce Pontes, Deolinda e, inclusive, os Gaiteiros de Lisboa, disse.

No ano passado, o concurso foi cancelado devido aos estragos provocados pelo tufão Hato, que atingiu Macau em 23 de agosto, causando dez mortos e mais de 240 feridos.

3 Out 2018

Fogo-de-artifício | “Super tufão” adia participação de concorrente português

Um “super tufão”, que deverá atingir Macau este fim-de-semana, obrigou ao adiamento da terceira etapa do Concurso Internacional de Fogo-de-Artifício que incluía a participação de um concorrente português com um espectáculo inspirado no fado

Aetapa de sábado previa a participação de dois competidores, franceses e portugueses, mas por razões de segurança, devido à passagem do “super tufão” Mangkhut, o evento foi adiado, anunciaram ontem as autoridades de Macau.

O Mangkhut, actualmente localizado na parte noroeste do Oceano Pacífico, continua a mover-se em direcção a oeste, prevendo-se um impacto significativo na costa meridional da China durante o fim-de-semana.

A organização ainda está a definir uma nova data para a realização da etapa inicialmente prevista para a noite de sábado, mas tudo depende da evolução do tufão, explicou, em conferência de imprensa, um responsável da consultora técnica do evento, a Pirotécnica Minhota, Francisco Carneiro.

O espectáculo imaginado pelo Grupo Luso Pirotecnia será “100 por cento português”, adiantou na mesma conferência de imprensa o representante da empresa, Vítor Machado, sublinhando que, além do tema e da selecção musical, também todo o material é ‘made in’ Portugal.

Vítor Machado afirmou que este era um desafio, uma vez que “a China tem uma grande tradição pirotécnica”, pelo que para a competição deste ano decidiram investir “numa viagem de sonoridades” que vai “desde os clássicos, como Amália [Rodrigues]” e António Zambujo, até ao Fado In Bossa e aos Beat Bombers Remix, passando por artistas como Rodrigo Leão e Camané, Pedro Abrunhosa, Dulce Pontes, Deolinda e, inclusive, os Gaiteiros de Lisboa.

O Grupo Luso Pirotecnia conta no currículo com importantes primeiros prémios conquistados em competições internacionais, nos Estados Unidos, República Checa, Alemanha e França. A empresa portuguesa, que soma participações neste evento desde 1999, vai competir no maior concurso de fogo-de-artifício de Macau, cujo orçamento é de 2,2 milhões de euros.

Depois do Hato

A 29.ª edição do Concurso Internacional de Fogo-de-Artifício teve início em 1 de Setembro e deverá terminar em 1 de Outubro, Dia Nacional da China, na baía em frente à Torre de Macau, uma das torres mais altas do mundo.

No concurso competem dez equipas: Filipinas, Coreia do Sul, Japão, Bélgica, França, Portugal, Alemanha, Áustria, Itália e China. A 29.ª edição estava para se realizar em 2017, mas a passagem por Macau daquele que foi o pior tufão nos últimos 53 anos obrigou ao cancelamento do evento.

“No ano passado já tinha feito a apresentação da 29.ª edição do Concurso, mas por causa do tufão Hato o concurso foi cancelado pela primeira vez”, lembrou a directora dos Serviços de Turismo de Macau, Maria Helena de Senna Fernandes, na apresentação do concurso, em Julho.

13 Set 2018

Fogo de Artifício | Equipas do Japão e da Bélgica concorrem no sábado

O26º Festival Internacional de Fogo de Artifício arrancou no passado dia 1 e continua no próximo sábado, dia 8, com a participação das equipas do Japão e da Bélgica. Para o dia 15 de Setembro está agendada a actuação da equipa portuguesa e francesa, sendo que as equipas da Alemanha e Áustria actuam no sábado seguinte, dia 24 e as equipas da China e Itália competem no dia 1 de Outubro. No largo da Torre de Macau decorrem duas actuações por noite, marcadas às 21h e 21h40, cada um com 18 minutos de duração.

De acordo com um comunicado oficial, “as cinco noites de espectáculo de fogo-de-artifício decorrem sob os temas ‘Harmonia das Cores Mágicas’, ‘A Fantasia do Fogo-de-Artifício’, ‘Sonoridades do Céu’, ‘Uma Noite Cintilante de Luar de Outono’ e ‘Celebração do Dia Nacional com Fogo-de-Artifício’”. Este ano, as dez equipas que participam no festival “possuem uma rica experiência na realização de grandes exibições pirotécnicas multimédia, algumas produziram espectáculos pirotécnicos para grandes celebrações nacionais de diferentes países, e foram premiadas em vários concursos internacionais de fogo-de-artifício, prometendo espectáculos memoráveis para os residentes e visitantes”.

De Portugal chega o Grupo Luso Pirotecnia, que venceu concursos de fogo-de-artifício no Canadá, República Checa, Estados Unidos, França e Alemanha, e que produziu o espectáculo pirotécnico do Campeonato do Mundo da FIFA de Sub-20 de 2011, em Bogotá, na Colômbia.

À margem do festival, decorre, em parceria com a União Geral das Associações dos Moradores de Macau, o arraial do fogo de artifício, “com gastronomia, espectáculos e jogos, enriquecendo a atmosfera das noites de exibições pirotécnicas”. O arraial está aberto ao público desde o dia 1 de Setembro.

3 Set 2018

Fogo-de-Artifício | Dez equipas concorrem ao concurso internacional em Setembro

Filipinas, Coreia do Sul, Japão, Bélgica, França, Portugal, Alemanha, Áustria, Itália e China vão mostrar as suas habilidades na arte da pirotecnia no 29.º Concurso Internacional de Fogo-de-Artifício de Macau (CIFAM). O evento, apresentado ontem, vai ter lugar nos dias 1, 8, 15 e 24 de Setembro e 1 de Outubro na baía em frente à Torre de Macau.

Das dez empresas participantes, quatro (oriundas da Coreia do Sul, Bélgica, França e China) vão fazer a sua estreia no CIFAM, iniciativa de cariz anual organizada pela Direcção dos Serviços de Turismo (DST). Paralelamente às cinco noites de explosões de cores nos céus vai realizar-se um Arraial (entre as 17h e as 23h), que reunirá gastronomia, espectáculos, jogos, entre outros, numa iniciativa em cooperação com a União Geral das Associações dos Moradores de Macau.

O canal chinês da TDM vai assegurar a transmissão em directo dos espectáculos pirotécnicos, enquanto o canal chinês da Rádio Macau vai transmitir em directo a música das exibições (às 21h e às 21h40). Há também vários programas de divulgação, patrocinados pela Wynn Resorts, incluindo o Concurso de Composição de Canção para o próximo 30.º Concurso Internacional de Fogo-de-Artifício de Macau, mantendo-se ainda a organização dos Concursos de Fotografia, de Desenho para Estudantes e de Design do Troféu do CIFAM.

24 Jul 2018