Jogo | Suspeitos de burla em prisão preventiva

Os suspeitos detidos de um caso de burla com uso de fichas de jogo falsas vão aguardar julgamento em prisão preventiva, de acordo com uma nota de imprensa do Ministério Público (MP). Os homens detidos são todos naturais do Interior e o crime envolve pelo menos 1,8 milhões de dólares de Hong Kong.

“Realizado o primeiro interrogatório judicial aos cinco arguidos, tendo em consideração o facto de os mesmos não serem residentes locais e a gravidade dos demais factos, o Juiz de Instrução Criminal, sob a promoção do Delegado do Procurador titular do respectivo inquérito, aplicou-lhes a medida de coacção de prisão preventiva, no sentido de se evitar a sua fuga de Macau, a continuação da prática de crime da mesma natureza e o perigo da perturbação da ordem pública”, foi revelado.

De acordo com os indícios, os cinco arguidos, juntamente com outros indivíduos em fuga, usaram as fichas de jogo falsas para apostar num casino de Macau, obtendo desta forma 1,8 milhões de dólares de Hong Kong.

Os cinco arguidos foram indiciados pela prática do crime de burla de valor consideravelmente elevado, podendo ser punidos com pena de prisão até 10 anos.

“Actualmente, a economia de Macau está a desenvolver-se de forma gradual e estável, mas o caso de fichas de jogo falsas causou impactos bastante negativos na ordem pública e no desenvolvimento económico de Macau, perturbando severamente em particular o funcionamento legal e ordenado do sector de jogo”, foi igualmente considerado pelo Ministério Público. O MP apelou ainda aos turistas e residentes que denunciem qualquer suspeita de fraude que decorra nos casinos de Macau.

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários