Portugal | Embaixada pede castigo para autores de fogo em loja chinesa

Um grupo de oito jovens terá incendiado um monte de caixas de papelão deixadas à frente de uma “loja de chineses” em Alvalade. A representação de Pequim em Lisboa pede ao Executivo português que tome medidas para combater a discriminação e crimes “contra grupos específicos”

 

A Embaixada da China em Portugal quer que os responsáveis por um incêndio numa loja chinesa em Alvalade sejam punidos. A mensagem foi deixada num comunicado emitido ontem, em chinês, em que é revelado que o incêndio terá ocorrido na madrugada de 7 de Março.

A notícia sobre este incidente tinha sido avançada há três dias na conta da plataforma Wechat do jornal “Puhuabao”, publicação em língua chinesa com sede em Lisboa, e o crime terá sido cometido por um grupo com cerca de oito jovens. As motivações que levaram ao incêndio não foram avançadas.

No entanto, a Embaixada da China reagiu ontem ao incidente a que atribuiu “muita importância. “O Embaixador da China em Portugal considera que este incidente tem muita importância e entrou logo em contacto com o respectivo posto da Polícia de Segurança Pública de Lisboa”, pode ler-se no comunicado.

“[Às autoridades de Lisboa] foi pedido que a este caso seja atribuído um elevado grau de importância e que a investigação seja feita rapidamente, de forma a punir os criminosos e assegurar os direitos e interesses legítimos dos cidadãos chineses em Portugal”, é acrescentado.

A representação do Governo de Pequim apelou também ao Governo de Lisboa que adopte medidas no sentido de “combater qualquer forma de discriminação e ilegalidades praticadas contra grupos específicos”.

Na mesma mensagem, é ainda pedido aos cidadãos chineses que seja vítimas de crimes que relatem imediatamente os casos à polícia local.

Caixotes a arder

A notícia do incêndio tinha sido avançada pelo jornal “Puhuabao”, mas apenas através da conta Wechat. No portal da publicação não houve qualquer referência ao caso.

No entanto, segundo o relato da publicação o proprietário de uma loja de Alvalade tinha deixado várias caixas de papel à frente da entrada, para que durante a noite fossem levadas pelos serviços de recolha de lixo.

No entanto, um grupo com cerca de oito jovens que passou naquela zona e acabou por incendiar os caixotes. O fogo a causou danos à montra da loja, que foram definidos pela publicação como de “pequena dimensão”, mas foi o suficiente para gerar o alerta nos residentes. Terão sido as pessoas que habitam naquela zona que acabaram por chamar os bombeiros ao local.

Ainda de acordo com o relato da publicação, o grupo de jovens responsáveis pelo incêndio permaneceram no local enquanto os bombeiros apagavam as chamas e o crime terá sido igualmente captado pelas imagens de videovigilância.

Jani Zhao queixa-se de xenofobia

A actriz Jani Zhao, namorada do realizador Ivo Ferreira, relatou que foi vítima de xenofobia na linha de Cascais, quando almoçava numa esplanada ao ar livre. Em causa terá estado um piada sobre o coronavírus contada por um pai de família, que embaraçou todos os presentes. “Quando estava a arrumar as coisas para me ir embora, aproximou-se uma família (os pais e uma rapariga já crescida agarrada à sua prancha de surf). Enquanto esperavam que saísse, o pai achou por bem mandar uma piada (pareceu-me que não foi com a intenção de a ouvir) relacionada com o coronavírus. Fiquei petrificada”, relatou a actriz nas redes sociais.

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários