Fogo-de-artifício | Portugal e Coreia do Sul pintam o céu na sexta-feira

Na próxima noite de sexta-feira, o céu de Macau vai explodir de cor com as participações das equipas de Portugal e da Coreia do Sul no Concurso Internacional de Fogo-de-Artifício de Macau. A equipa portuguesa traz a paixão lusa para o seu espectáculo, enquanto a equipa coreana aposta no K-Pop como banda sonora

 

As pessoas vão viver este fogo e sentir a paixão que queremos transmitir”. Foi a promessa deixada ontem por Nuno Freitas consultor técnico da Pirotecnia Minhota, a empresa que representa Macau na próxima sexta-feira, pelas 21h, no Concurso Internacional de Fogo-de-Artifício de Macau.

O espectáculo que a equipa portuguesa vai apresentar, intitulado “Fascínio numa noite de paixão”, procura traduzir em explosões de cor a forma apaixonada de se viver em português, representando a estética de “um povo de paixões” na 30ª edição do evento.

Um dos pontos de destaque do espectáculo da Pirotecnia Minhota é a conjugação de cores, verdes e vermelhas, para representar as bandeiras de Portugal e Macau. A aposta nesta conjugação de cores será acompanhada por duas músicas, uma delas de autoria de Pedro Abrunhosa, “Toma conta de mim”, “cuja a letra aborda um pouco da capacidade portuguesa de ultrapassar obstáculos e de chegar longe, como nós chegámos aqui a Macau”, conta o consultor pirotécnico.

Apesar de Macau ter uma forte cultura e tradição pirotécnica, a equipa portuguesa, que faz espectáculos um pouco por todo o mundo, não viu necessidade de adaptar a sua apresentação para o público local. “Temos a nossa forma de trabalhar, o nosso tipo de espectáculo acaba por ser igual em todo o mundo. Podemos adaptar, mais ou menos, ao público que temos. Aqui em Macau não o fazemos porque Macau tem uma ligação muito grande a Portugal. Inclusivamente, pretendemos trazer ainda mais o que é Portugal e o que lá fazemos”, revela Nuno Freitas.

Música e fogo

Um dos objectivos da equipa portuguesa é fazer vibrar o público, levar as pessoas a participarem, em vez de adoptarem uma postura passiva. “Trazemos aqui uma série de músicas conhecidas com o objectivo que as pessoas cantem e dancem. Ao sentir essas músicas vão também perceber melhor a sincronia, vão viver esse fogo e sentir a paixão que queremos transmitir”, conta Nuno Freitas.

Em termos de logística, apesar das aparentes dificuldades em transportar quilos de explosivos, o consultar pirotécnico português felicitou a organização do evento pelo profissionalismo. “Quando cá chegámos já tínhamos o material. Agora só temos de montar, trabalhar, e fazer o nosso melhor.”

Depois da equipa portuguesa, segue-se a coreana com um espectáculo musicado com os ritmos fortes do K-Pop.

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários