Japoneses MONO ao vivo em Hong Kong no dia 22 de Setembro

Os japoneses MONO têm um concerto marcado para Hong Kong no próximo dia 22 de Setembro, domingo, na sala Hidden Agenda: This Town Needs em Kwun Tong. Na sonoridade da banda de Tóquio, que não tem vocalizações, podem-se escutar influências de grupos como Sonic Youth, My Bloody Valentine e Mogway

 

Vem aí um domingo de guitarras estridentes na sala Hidden Agenda: This Town Needs. No dia 22 de Setembro, pelas 20h, a banda japonesa MONO sobe ao palco da sala de espectáculos da zona industrial de Kwun Tong em Kowloon.

Longe das fórmulas mais batidas do rock n’ rol, os MONO pintam paisagens a largas pinceladas de guitarras eléctricas nas músicas escritas, em sua maioria, pelo guitarrista Takaakira Goto.

A banda de Tóquio está neste momento em tour mundial de celebração dos 20 anos de carreira. Formados em 1999, os MONO gravaram nove discos ao longo da carreira. De entre a discografia, é impossível não mencionar os álbuns “Walking Cloud and Deep Red Sky, Flag Fluttered and the Sun Shined”, de 2004, e “Hymn to the Immortal Wind”, de 2009, que marcaram a parceria com Steve Albini, guitarrista dos Shellac e produtor que trabalhou com bandas como Nirvana, Pixies, PJ Harvey, Mogway, e por aí fora.

“Hymn to the Immortal Wind” é uma autêntica viagem composta por elementos minimalistas, noise e arranjos orquestrais complexos. O disco foi reeditado em versão remasterizada em jeito de celebração dos 20 anos de carreira da banda.

Influenciados por bandas como Sonic Youth, Mogway, My Bloody Valentine, dentro do rock progressivo dos MONO cabem ainda laivos de Ennio Morricone e Beethoven, de acordo com Goto, guitarrista e compositor do grupo. Outra das influências citadas pelo músico que marcou o período de concepção da banda foi o naipe de emoções extremadas do filme de Lars von Trier “Breaking the Waves”.

Depois do rock

Depois do primeiro disco gravado, os MONO partiram para uma longa tour mundial entre 1999 e 2003, passando por palcos na Ásia, Europa e América. Desde os primeiros tempos, a sonoridade da banda nipónica reunia óbvias influências de artistas experimentais, avant-rock e de música clássica, facto que os leva a rejeitar a categorização que lhes é feita de post-rock (onde cabem bandas como, por exemplo, Mogway, Sigur Rós, Explosions in the Sky e Godspeed You! Black Emperor).

Com carregado uso da distorção e reverb, o público que se deslocar ao Hidden Agenda: This Town Needs, em Kwun Tong, pode esperar um concerto intenso, com crescendos sónicos e momentos mais contemplativos de desaceleração.

Os MONO são constituídos por Takaakira “Taka” Goto na guitarra solo, Hideki “Yoda” Suematsu na guitarra ritmo, Tamaki Kunishi no baixo e piano e Dahm Majuri Cipolla na bateria. Todos os elementos a cargo dos instrumentos de cordas tocam ainda glockenspiel, uma espécie de metalofone semelhante ao xilofone que é tocado como se fosse um instrumento de precursão.

Antes do concerto em Kowloon, a banda japonesa toca no dia 21 de Setembro em Taipe. Depois do espectáculo em Hong Kong seguem para Banguecoque no dia 24, Kuala Lumpur no dia 26, Singapura no dia seguinte, antes de rumarem para os Estados Unidos e Canadá, onde têm uma agenda recheada durante o mês de Novembro.

Os bilhetes para o concerto da banda japonesa custam 420 HKD se forem comprados antecipadamente e 520 HKD à porta do Hidden Agenda: This Town Needs.

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários