PARTILHAR
São estrangeiros, têm como língua comum o inglês, gostam de actividades culturais e não entendem o idioma local. Foi com esta situação em mente que surgiu a “Macau, Let´s Go”. O objectivo é dar a conhecer a “movida” da cidade

A “Macau Let´s Go” é uma iniciativa de três amigos que querem dar a conhecer ao território o que nele se faz. A ideia, para já, é constituir uma plataforma de divulgação e, assim, preencher uma lacuna na comunicação dos eventos locais. O objectivo é fazer chegar à comunidade estrangeira que vive no território os eventos que vão tendo lugar.

“A ideia da ‘Macau Let´s Go’ apareceu muito naturalmente”, conta Jacques Schurr, um dos mentores da plataforma. “Estávamos os três – eu a minha mulher Suryana Masse e um amigo comum, Michaël Borg – a falar sobre Macau e da dificuldade que sentíamos em encontrar eventos no território. Queríamos ter acesso a iniciativas de cariz cultural em que as pessoas se pudessem encontrar, e falar um pouco de arte e de cultura”, recorda o responsável.

Aliada à presença nos eventos, está o encontro destas pessoas e a possibilidade de conhecer mais gente na terra onde agora trabalham e vivem. “Para conseguir concretizar esta ideia resolvemos começar por ter esta página em que divulgamos informações sobre Macau”, diz Jacques Schurr .

A iniciativa, que começa com a criação de uma página no Facebook, está para já numa fase muito inicial. “Tentamos saber os eventos que estão a acontecer e colocamos na página, em inglês.” No entanto, faz parte dos planos para o futuro uma evolução no sentido de, um dia, poder produzir eventos, sendo que, para já, Jacques Schurr diz ainda não saber que tipo de actividades poderão ser feitas. Mas, afirma, “a ‘Macau Let´s Go’ que contribuir para a dinâmica cultural local”.

A língua que separava

A criação da “Macau Let´s Go” não se prende com a falta de divulgação dos eventos locais, mas sim com a língua em que são divulgados. “Não é que não exista divulgação suficiente no território. Mas não é à nossa maneira, e não é através de uma língua que entendamos”, explica o responsável.

“Não somos chineses, não somos portugueses. Somos de vários países. Se soubéssemos chinês, se calhar seria diferente. Esta plataforma é para pessoas como nós”, diz. “Podemos não ser muitos mas vivemos aqui, fazemos parte da população e gostamos de ver coisas”, reitera.

Para se fazer entender melhor, Jacques Schurr exemplifica: “Ainda agora, nas corridas dos barcos-dragão, tínhamos alguma informação em inglês, mas foi um pouco difícil para nós e para pessoas que conhecemos ter informação concreta acerca de quando e onde eram realizadas, porque a maior parte da informação estava em chinês”.

Para facilitar as traduções, Suryana Masse, também criadora da plataforma, já começou com aulas de chinês e a “Macau Let´s Go” conta com a ajuda da sua professora para traduzir conteúdos.

Quanto ao português, a “Macau Let´s Go” tem a colaboração de amigos. “São pessoas que trabalham connosco, que nos traduzem as coisas e, mais do que isso, nos mantêm informadas acerca do que vem em língua portuguesa. São elas que nos ajudam, por exemplo, com as notícias dos jornais e da televisão.”

Uma terra com algum movimento

Macau não tem um “vida louca”, o que para Jacques Schurr não é de estranhar. “É um território pequeno e temos de ter esse factor em consideração”, diz. Esta é uma característica que faz com que o território não tenha tantas exposições quando comparando, por exemplo, com Hong Kong. No entanto, Jacques Schurr tem constatado que as pessoas têm mostrado um interesse crescente e “há cada vez mais gente a querer mais para Macau e a querer ver coisas”, pelo que “cabe a Macau oferecer mais propostas”.

“Pessoalmente, e tendo em conta as minhas preferências, gostava de mais oferta no que respeita ao cinema e à fotografia.” Quando se fala da “Macau Let´s Go”, as portas estão abertas para a divulgação de todo o tipo de acontecimentos. “Qualquer que seja a actividade que tire as pessoas de casa é bem-vinda”, sublinha Jacques Schurr.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here