PARTILHAR

Otecto da Igreja de Santo Agostinho foi abaixo, mas o Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Alexis Tam, garantiu ontem que o incidente não é sinónimo de falhas na preservação e manutenção do património. Ainda assim, Alexis Tam referiu que o Instituto Cultural (IC) deve melhorar o seu trabalho.
“Soube da queda do tecto através dos meios de comunicação social. Posso dizer que há sempre forças maiores que não podemos controlar, como incêndios, chuvas ou inundações. Isto pode prejudicar e danificar o nosso património cultural. Já pedi ao IC para melhorar o seu trabalho, sobretudo para enviar técnicos ao Centro Histórico, para inspeccionar de forma pontual a sua situação. Admito que há espaço de melhoria no nosso trabalho e temos de controlar ao máximo a parte danificada. O IC tem de reforçar as acções de inspecção e tem todas as informações sobre o ponto de situação de cada zona do património”, disse o Secretário à margem da inauguração do Centro de Avaliação Conjunta Pediátrica, no Hospital Conde de São Januário (ver páginas 2 e 3).
“Posso dizer que não há nenhum conflito entre o desenvolvimento urbanístico e a protecção do património cultural. O Centro Histórico torna Macau um sítio peculiar. Estou ciente de qual é o nosso trabalho e sei que o IC dá grande importância à preservação do património. Somos uma cidade com um desenvolvimento do turismo, em parte devido ao nosso património, porque temos uma cultura única”, rematou Alexis Tam.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here