PARTILHAR
Associações pedem ajuda a Governo na reparação de um edifício privado. Os representantes acham que a necessidade de unanimidade dos proprietários para avançar com obras põe em causa a segurança dos moradores, num prédio que está já com fendas

Uma fenda num edifício antigo na zona de Iao Hon, além da queda de partes das paredes, tem trazido alguma preocupação aos moradores. Com claros sinais de destruição, a União Geral das Associações de Moradores de Macau (Kaifong) espera que o Governo avance com soluções o mais rápido possível, começando com a reparação da fenda, pedindo depois o dinheiro da reparação aos donos do imóvel, privado.
Segundo explica o Jornal Ou Mun o edifício em causa é o Heng Long, naquela zona. A fenda é no corredor do rés-do-chão e tem um comprimento de um metro e largura de três centímetros.
A Associação de Confraternização dos Moradores do Bairro do Antigo Hipódromo Areia Preta e Iao Hon de Macau e os Kaifong foram, na segunda-feira, visitar a zona, depois de receberem queixas dos moradores sobre a segurança do edifício. As associações perceberam que a fenda está cada vez maior, sendo que o estado de destruição do prédio já está avançado.
“A verdade é que sempre que as associações dos moradores tentam ajudar a resolver estes problemas – sempre que estão envolvidos edifícios privados – o Governo precisa de muito tempo. Os problemas de queda de cimento e a infiltração de água estão a agravar-se, reparar uma parte e não reparar a outra não resulta, isso são medidas paliativas. É preciso resolver na íntegra”, disse Cheang Lai Ha, vice-presidente da Associação dos Moradores do Bairro Iao Hon.

Risco constante

Chan Ka Leong, chefe do Conselho de Assuntos Sociais dos Kaifong, alertou ainda para a necessidade de reparação urgente do edifício ou para um reforço imediato na estrutura do prédio, pois caso contrário a situação vai piorar, assegura, colocando em risco a segurança dos moradores. É preciso, diz, que o Governo faça primeiro a obra e depois peça o dinheiro aos proprietários.
Chan Ka Leong disse ainda que é preciso alterar o regulamento que exige a unanimidade dos proprietários quanto à reconstrução dos edifícios, algo que vai permitir poupar tempo neste tipo de casos. O responsável sugere ainda que sejam atribuídos benefícios fiscais aos proprietários de prédios antigos para a reparação dos mesmos.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here