PARTILHAR

As tradicionais reuniões familiares por ocasião do Ano Novo Chinês estão a fazer com que muitos solteiros em Hong Kong procurem acompanhantes para evitar as habituais perguntas sobre o seu estado civil e contornar a pressão para o casamento.
Solteiros de ambos os sexos na antiga colónia britânica estão a contratar namorados falsos para os acompanharem durante as celebrações, escreve o jornal South China Morning Post.
Anúncios na Jobdoh, uma aplicação de ‘smartphone’ que habitualmente põe em contacto trabalhadores e empregadores, estão a oferecer 250 dólares de Hong Kong por cada hora de presença.
“A resposta é melhor do que eu esperava”, disse a co-fundadora da ‘app’, Xania Wong.
Embora a perspectiva de ser pago e poder comer de graça todas as iguarias tradicionais chinesas desta quadra festiva possa parecer um sonho, a tarefa não é descrita como fácil.
“Vais receber e memorizar toda a informação sobre quem sou, como nos conhecemos e os nossos planos para o futuro, para que a minha família não me chateie”, disse uma das anunciantes à procura de um namorado falso.
“Vais agir como um verdadeiro cavalheiro, atencioso, sem palavrões e não podes fumar”, acrescenta.
O anúncio diz ainda que, idealmente, o candidato deve saber “jogar ‘mahjong’ e conseguir beber muito”.

Além disso, o número de horas de trabalho pode ser difícil de prever, por ser imprevisível o tempo que levam as reuniões familiares.
Alguns solteiros estão também a procurar acompanhantes pagos para visitar os seus familiares no interior da China.
Os interessados têm de enviar um vídeo de 30 segundos para o Jobdoh, com argumentos que atestem que são a pessoa mais indicada para o trabalho.
Os funcionários da aplicação de telemóvel vão depois analisar o vídeo e rever a classificação dada por empregadores, no caso de os candidatos a acompanhantes já terem usado o serviço de recrutamento anteriormente.
“Se conseguires apresentar-te detalhadamente e sorrir muito tens mais hipóteses de ser bem-sucedido”, afirmou Wong.
Nos últimos anos tem-se tornado uma prática popular para os cidadãos do interior da China procurarem parceiros falsos na Internet para os acompanhar nas festividades do Ano Novo Chinês.
A académica Lau Yuk-king, da Universidade Chinesa de Hong Kong, disse ao South China Morning Post que é difícil para as mulheres da antiga colónia britânica procurarem um companheiro, uma vez que continuam a querer homens com um nível de educação e salários superiores aos delas.
“O problema é que hoje é normal as mulheres estarem a sair-se melhor do que os homens”, afirmou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here