Presidentes chinês e egípcio reúnem-se para reforçar laços económicos

O Presidente chinês, Xi Jinping, e o seu homólogo egípcio, Abdelfatah al Sisi, inauguraram ontem no Palácio Presidencial de Abdin, no Cairo, uma cimeira bilateral, que deverá servir para assinar vários acordos na área económica.
Xi chegou na quarta-feira ao Egipto a meio de um périplo pelo Médio Oriente, que arrancou na Arábia Saudita e terminará no Irão.
Trata-se da primeira deslocação do líder chinês à região, desde que ascendeu ao poder, em 2012, e ocorre numa altura de crescente tensão entre dois dos principais fornecedores de petróleo para a China, Arábia Saudita e Irão.
Riade anunciou no início do mês o corte de relações diplomáticas com Teerão, na sequência da tensão gerada pela execução do clérigo xiita Nimr Baqer al-Nimr, crítico do poder no reino sunita.
No Cairo, o líder chinês reforçou a sua determinação em lançar a iniciativa chinesa “Uma Faixa, uma Rota”, um gigante plano de infra-estruturas que pretende reactivar a antiga Rota da Seda entre a China e a Europa através da Ásia Central, a costa leste de África e o sudeste asiático.
Pelas contas do Governo chinês, aquele plano, que inclui a construção de uma malha ferroviária de alta velocidade entre a China e a Europa, vai abranger 65 países e 4,4 mil milhões de pessoas – cerca de 60% da humanidade.
O primeiro-ministro egípcio, Sherif Ismail, assinalou que, no âmbito daquela iniciativa, os dois países assinaram já vários acordos nos sectores da energia, habitação e transporte.
Durante a sua estadia, Xi inaugurará ainda o ano da cultura da China no Egipto e participará da celebração do 60.º aniversário das relações bilaterais entre Cairo e Pequim.

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários