PARTILHAR

ADirecção dos Serviços para as Obras Públicas e Transportes (DSSOPT) não pode fazer mais do que ajudar a responder a questões dos proprietários de fracções do edifício Pearl Horizon. O prédio está atrasado e alguns cidadãos já compraram fracções que, até agora, não estão prontas. Depois de centenas terem ido fazer queixa à DSSOPT, em conjunto com a deputada Ella Lei, o HM questionou a DSSOPT sobre o assunto: sendo este um condomínio privado, poderá o Governo fazer alguma coisa como foi pedido em sede do Executivo? Pearl Horizon
A DSSOPT garante que “teve ultimamente uma reunião com os representantes dos cidadãos que adquiriram o edifício ainda em construção localizado no estaleiro, no sentido de responder às suas questões, nomeadamente em termos de andamento da obra e ponto de situação da obra”. Ainda assim, a questão respeitante à relação de construtora e compradores, na compra e venda do aludido edifício em construção, “deve ser solicitada junto dos serviços competentes”. Estes são, ao que o HM apurou, o Conselho de Consumidores e os tribunais.
O Grupo Polytec, concessionário do terreno, prometeu uma conclusão das obras para finais deste ano e a entrega das casas em 2018, mas os proprietários têm vindo a queixar-se de que a obra tem tido poucos trabalhadores e apontam que apenas as fundações estão prontas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here