Pequim | Universidade sob confinamento após diagnosticar um caso

As autoridades chinesas colocaram ontem uma das maiores universidades de Pequim sob confinamento, depois de diagnosticarem um caso de covid-19, ilustrando a insistência na estratégia de ‘zero casos’, apesar do crescente descontentamento popular.

Alunos e professores da Universidade de Pequim foram proibidos de sair do ‘campus’ e as aulas passaram a ser dadas via ‘online’, de acordo com um aviso emitido pela instituição. A universidade tem quase 50.000 estudantes, segundo o seu portal oficial.

A China diagnosticou cerca de 20.000 casos, entre segunda e terça-feira, dos quais 350 foram registados em Pequim que, embora represente uma pequena fracção da sua população de 21 milhões, foi suficiente para desencadear bloqueios e quarentenas localizadas, no âmbito da estratégia de ‘zero casos’ de covid-19.

As autoridades querem evitar bloqueios em toda a cidade, para tentar minimizar o impacto na actividade económica, mas sem abdicar da estratégia que visa eliminar surtos do novo coronavírus. Na Primavera passada, um bloqueio total de dois meses de Xangai, a “capital” económica da China, interrompeu as cadeias de fornecimento e o comércio, afectando a economia chinesa.

Directrizes nacionais publicadas na semana passada pediram aos governos locais que sigam uma abordagem científica e direccionada e que evitem medidas desnecessárias.

17 Nov 2022