Música | Sónar 2020 traz de regresso o britânico Stormzy a Hong Kong

O rapper britânico Stormzy é o primeiro grande nome do Sónar Hong Kong de 2020. O festival está marcado o dia 28 de Março, sábado, no local do costume: o Parque Científico de Hong Kong, em Sha Tin nos Novos Territórios. Os bilhetes já se encontram à venda

 

O primeiro grande nome do cartaz do Sónar Hong Kong 2020 é Stormzy, o rapper britânico que tomou de assalto a cena musical londrina, saindo da obscuridade do underground do grime, para a notoriedade que o levou a ser cabeça de cartaz no mítico festival Glastonbury do ano passado.

Mais uma vez, o Sónar Hong Kong, que vai para a quarta edição, realiza-se a 28 de Março, no Parque Científico de Hong Kong, em Sha Tin nos Novos Territórios. Durante o dia inteiro, entre o meio-dia e as 3 da manhã, o recinto será invadido pela habitual mistura de música inovadora, criatividade e tecnologia em diversas áreas.

Os bilhetes já estão à venda. Quem comprar o ingresso antecipadamente tem de desembolsar 980 HKD.
Em relação à primeira estrela do cartaz, Stormzy, importa referir que é uma estrela em ascensão e um dos rappers mais promissores do panorama musical britânico. Apelidado como um rei do grime, um estilo de música electrónica nascido do breakbeat e jungle, normalmente acompanhado por vocalizações de hip hop, Stormzy ascendeu a uma posição que o tornou num dos artistas de topo da sua geração. Aliás, chegou mesmo a ser capa da revista Time parte de uma edição dedicada aos líderes que vão moldar o mundo.

O regresso do beat

Depois de uma performance que deixou saudades no Clockenflap 2017, Stormzy regressa já artista conceituado e com vários prémios na bagagem. O britânico tem um disco novo, “Heavy is the Head”, o segundo disco depois de “Gang Signs & Prayer”. O novo registo, que acabou de ser lançado na semana passada, tem recebido boas críticas e angariado milhões de visualizações no Youtube.

O britânico, desde o início da carreira, não se escuda ao activismo político. Há dois anos e meio, em entrevista ao The Guardian, confessou apoiar Jeremy Corbyn e o Partido Trabalhista, que sofreu uma pesada derrota nas eleições. Aliás, o músico foi activo no apoio nesta última campanha trabalhista e descreveu Boris Johnson como “um homem sinistro”.

17 Dez 2019

Música | Sónar 2020 traz de regresso o britânico Stormzy a Hong Kong

O rapper britânico Stormzy é o primeiro grande nome do Sónar Hong Kong de 2020. O festival está marcado o dia 28 de Março, sábado, no local do costume: o Parque Científico de Hong Kong, em Sha Tin nos Novos Territórios. Os bilhetes já se encontram à venda

 
O primeiro grande nome do cartaz do Sónar Hong Kong 2020 é Stormzy, o rapper britânico que tomou de assalto a cena musical londrina, saindo da obscuridade do underground do grime, para a notoriedade que o levou a ser cabeça de cartaz no mítico festival Glastonbury do ano passado.
Mais uma vez, o Sónar Hong Kong, que vai para a quarta edição, realiza-se a 28 de Março, no Parque Científico de Hong Kong, em Sha Tin nos Novos Territórios. Durante o dia inteiro, entre o meio-dia e as 3 da manhã, o recinto será invadido pela habitual mistura de música inovadora, criatividade e tecnologia em diversas áreas.
Os bilhetes já estão à venda. Quem comprar o ingresso antecipadamente tem de desembolsar 980 HKD.
Em relação à primeira estrela do cartaz, Stormzy, importa referir que é uma estrela em ascensão e um dos rappers mais promissores do panorama musical britânico. Apelidado como um rei do grime, um estilo de música electrónica nascido do breakbeat e jungle, normalmente acompanhado por vocalizações de hip hop, Stormzy ascendeu a uma posição que o tornou num dos artistas de topo da sua geração. Aliás, chegou mesmo a ser capa da revista Time parte de uma edição dedicada aos líderes que vão moldar o mundo.

O regresso do beat

Depois de uma performance que deixou saudades no Clockenflap 2017, Stormzy regressa já artista conceituado e com vários prémios na bagagem. O britânico tem um disco novo, “Heavy is the Head”, o segundo disco depois de “Gang Signs & Prayer”. O novo registo, que acabou de ser lançado na semana passada, tem recebido boas críticas e angariado milhões de visualizações no Youtube.
O britânico, desde o início da carreira, não se escuda ao activismo político. Há dois anos e meio, em entrevista ao The Guardian, confessou apoiar Jeremy Corbyn e o Partido Trabalhista, que sofreu uma pesada derrota nas eleições. Aliás, o músico foi activo no apoio nesta última campanha trabalhista e descreveu Boris Johnson como “um homem sinistro”.

17 Dez 2019

Música | Bonobo e John Talabot na terceira edição do Sónar Hong Kong

O alinhamento do Sónar Hong Kong 2019 traz 35 actuações aos cinco palcos espalhados pelo Hong Kong Science Park, nos Novos Territórios. A terceira edição do festival está marcada para 13 de Abril e tem como principais nomes Bonobo, John Talabot e Thundercat

 

A festa está marcada para dia 13 de Abril no Hong Kong Science Park, nos Novos Territórios. A terceira edição do Sónar Hong Kong 2019 já tem cartaz completo, com 35 actos musicais distribuídos por cinco palcos ao longo de 15 horas (das 12h às 3h).

Um dos destaques do cartaz deste ano é Bonobo, nome de palco de Simon Green, o músico britânico baseado em Los Angeles que trouxe o trip hop para o século XXI. Os ambientes tranquilos da sonoridade de Bonobo são um cozinhado que mistura o tradicional downtempo narcótico do estilo musical que nasceu em Bristol, com bandas como Massive Attack e Portishead, com fragmentos de jazz e música do mundo.

Normalmente, a música de Bonobo ganha em vida em palco com uma banda. Porém, a performance do britânico no Sónar será em formato DJ set.

Bonobo tem seis discos lançados pela editora de culto Ninja Tunes que agrega um conjunto de DJs e projectos como The Cinematic Orchestra, Amon Tobim e Funki Porcini.

Recentemente, o britânico lançou “Ibrik”, um single repleto de tropicalismo, linha de baixo poderosa e batida contagiosa. O último registo longo da carreira de Bonobo, “Migration”, lançado em 2017, foi nomeado para melhor disco de dança e electrónica na 60ª edição dos Grammys.

Batidas fortes

Vindo de Barcelona, a cidade natal do Sónar, e em estreia absoluta em Hong Kong chega-nos John Talabot, o DJ que rebenta pistas de dança com a sua peculiar visão do que deve ser o house. Apesar de só ter um álbum no currículo, o espanhol não tem parado de lançar singles, remisturado outros artistas e multiplicado em colaborações várias, onde se destaca a participação em 2012 na digressão dos The xx.

Caberá a Talabot encerrar o festival com um DJ set marcado para a 1 da manhã no SonarClub. Será muito difícil ficar parado ou som da electrónica progressiva do espanhol que combina elementos de deep house e synth-pop.

Outro dos nomes incontornáveis do cartaz deste ano é Thundercat, um veterano que atravessa géneros musicais com toda a naturalidade. O norte-americano começou a carreira como baixista dos históricos Suicidal Tendencies, lançou quatro discos a solo e colaborou com artistas como Kendrick Lamar, Kamasi Washington, Erykah Badu e Flying Lotus. Thundercat é mais uma das estreias absolutas em Hong Kong.

Com uma sonoridade tão ecléctica que se torna difícil de definir, Thundercat situa-se algures entre o funk dos anos 1970, R&B, soul, jazz e electrónica. O concerto está marcado para as 20h no palco do anfiteatro SonarVillage, e promete ser um dos concertos do ano.

Outros palcos

A seguir a Thundercat, o palco do SonarVillage recebe MØ, a dinamarquesa que conquistou o público de Hong Kong durante o Clockenflap 2017.

Frequentemente comparada e artistas como Grimes e Twin Shadow, MØ regressa à região vizinha com dois discos na bagagem e uma fama crescente no Spotify e YouTube graças ao viciante electropop que caracteriza a sua sonoridade.

O cartaz do festival tem ainda mais de três dezenas de artistas. A saber: Alexmalism, AlunaGeorge, Anja Schneider, Art Department, Benjamin Damage, CLON x NWRMNTC, Club Kowloon, DJ Mengzy, Fergus Heathcote, Finsent C, Gaika, Ghostly Park, Hong Qile, Hyph11E, Ivan Sit, JayMe, Marco Yu, Mean Gurls Club, Meuko! Meuko! featuring NAXS Corp., Mileece, Miss Yellow, Nerve x pink;money, Object Blue, Rewind, Ryan Hemsworth ft. Yurufuwa Gang, Sam Giles, Scintii, Sonia Calico, Visaal, Yiannis, Youry, Zuckermann

Como é tradição, nem só de música se faz o Sónar Hong Kong. Como tal, os festivaleiros vão poder repartir a atenção por um programa dedicado à criatividade tecnológica, performances audiovisuais, palestras sobre Realidade Virtual, Inteligência Artificial e tudo o resto que anuncia o futuro. Os bilhetes já se encontram à venda e custam entre 580 e 780 dólares de Hong Kong.

18 Fev 2019