Casinos | Analistas estimam que segmento VIP desça para um terço até 2022

O mercado de massas tem cada vez mais peso nas receitas dos casinos de Macau. Uma tendência que os analistas da Sanford C. Bernstein estimam que continue a acentuar-se nos próximos anos. Do outro lado do espectro, o segmento VIP tende a diminuir. Até 2022, a equipa de análise de mercado da Bernstein, citada pelo portal GGRAsia, prevê que as receitas anuais apuradas pelo segmento VIP baixem até 34 por cento, incluindo também os negócios não-jogo.

Um fenómeno que se sentiu recentemente, depois de no terceiro trimestre as receitas das mesas de bacará VIP terem caído 22,5 por cento, em relação ao período homólogo de 2018, de acordo com dados da Direcção de Inspecção de Coordenação de Jogos (DICJ). A proporção das receitas apuradas pelo bacará VIP em relação ao bolo inteiro de receitas de jogo também está em queda, aliás do terceiro para o segundo trimestre caiu de 47,2 para 43,9 por cento.

Num relatório divulgado ontem, os analistas da Bernstein escrevem que “a percentagem das receitas VIP tem caído consideravelmente na última década”. “Em 2011, o segmento VIP equivalia aproximadamente a 70 por cento das receitas brutas (incluindo negócios não-jogo). Em 2018, esse número desceu para 41 por cento. Estimamos que até 2022 caia para cerca de 34 por cento das receitas dos casinos de Macau”.

Mercado sólido

Por outro lado, a análise projecta que o sector do jogo continue a ser conduzido pelo crescimento a longo-prazo do mercado de massas, apesar dos desafios trazidos pelo arrefecimento da economia chinesa e dos efeitos colaterais da guerra comercial.

A melhoria nas áreas dos transportes e infra-estruturas são elencadas como importantes elementos para o crescimento do consumo “premium” chinês, ou seja, o sustento do crescimento a longo-prazo do mercado de massas.

Os dados da DICJ dão corpo à boa performance das receitas dos jogos de massa, que cresceram 17,7 por cento no terceiro trimestre deste ano, em relação ao mesmo período de 2018.

A nota dos analistas da Sanford Bernstein destaca ainda a estabilidade do segmento de massas. “Historicamente, o mercado VIP tem mostrado muito mais volatilidade do que o de massas. Daqui para a frente, com o expectável crescimento estrutural do jogo de massas e a redução do contributo VIP, esperamos que a indústria se torne menos volátil”, lê no comunicado.

7 Nov 2019

Casinos | Analistas estimam que segmento VIP desça para um terço até 2022

O mercado de massas tem cada vez mais peso nas receitas dos casinos de Macau. Uma tendência que os analistas da Sanford C. Bernstein estimam que continue a acentuar-se nos próximos anos. Do outro lado do espectro, o segmento VIP tende a diminuir. Até 2022, a equipa de análise de mercado da Bernstein, citada pelo portal GGRAsia, prevê que as receitas anuais apuradas pelo segmento VIP baixem até 34 por cento, incluindo também os negócios não-jogo.
Um fenómeno que se sentiu recentemente, depois de no terceiro trimestre as receitas das mesas de bacará VIP terem caído 22,5 por cento, em relação ao período homólogo de 2018, de acordo com dados da Direcção de Inspecção de Coordenação de Jogos (DICJ). A proporção das receitas apuradas pelo bacará VIP em relação ao bolo inteiro de receitas de jogo também está em queda, aliás do terceiro para o segundo trimestre caiu de 47,2 para 43,9 por cento.
Num relatório divulgado ontem, os analistas da Bernstein escrevem que “a percentagem das receitas VIP tem caído consideravelmente na última década”. “Em 2011, o segmento VIP equivalia aproximadamente a 70 por cento das receitas brutas (incluindo negócios não-jogo). Em 2018, esse número desceu para 41 por cento. Estimamos que até 2022 caia para cerca de 34 por cento das receitas dos casinos de Macau”.

Mercado sólido

Por outro lado, a análise projecta que o sector do jogo continue a ser conduzido pelo crescimento a longo-prazo do mercado de massas, apesar dos desafios trazidos pelo arrefecimento da economia chinesa e dos efeitos colaterais da guerra comercial.
A melhoria nas áreas dos transportes e infra-estruturas são elencadas como importantes elementos para o crescimento do consumo “premium” chinês, ou seja, o sustento do crescimento a longo-prazo do mercado de massas.
Os dados da DICJ dão corpo à boa performance das receitas dos jogos de massa, que cresceram 17,7 por cento no terceiro trimestre deste ano, em relação ao mesmo período de 2018.
A nota dos analistas da Sanford Bernstein destaca ainda a estabilidade do segmento de massas. “Historicamente, o mercado VIP tem mostrado muito mais volatilidade do que o de massas. Daqui para a frente, com o expectável crescimento estrutural do jogo de massas e a redução do contributo VIP, esperamos que a indústria se torne menos volátil”, lê no comunicado.

7 Nov 2019

Estudo | Segmento “Premium” representa 70% das receitas do jogo

A economia de Macau é sustentada por cerca de 400 mil jogadores VIP e grandes apostadores “Premium” do segmento de massas, totalizando 70 por cento das receitas da indústria do jogo. A conclusão consta de uma investigação da consultora Bernstein

 

O ganha-pão de Macau e a força motriz da prosperidade do território está na mão de um grupo de jogadores VIP e Premium do sector de massas, entre 300 mil e 400 mil apostadores, que totalizaram cerca de 70 por cento das receitas apuradas em 2018 pela indústria do jogo de Macau. A conclusão consta de um estudo da consultora Bernstein intitulado “O crescimento do jogo chinês: a breve história e um vislumbre do futuro de Macau”.

A pesquisa destaca a importância crescente de grandes apostadores, em particular dos apostadores “Premium” do segmento de massas, um fragmento do mercado que demonstra, de acordo com a Bernstein, tendência para crescer a longo-prazo e demonstra grande propensão para viajar.

Os números adiantados pelo estudo revelam que os apostadores “Premium” contribuíram com 212 mil milhões de patacas para as receitas da indústria do jogo no ano passado, apesar de representarem apenas 1 por cento dos 35,8 milhões de turistas que visitaram Macau em 2018.

De acordo com os dados oficiais divulgados pela Direcção de Inspecção e Coordenação de Jogos (DICJ), as receitas geradas pelo jogo VIP em 2018 cresceram 9,3 por cento, para 166,097 mil milhões de patacas, contribuindo para mais de metade do total arrecadado pelos casinos de Macau. Importa salientar que estes valores não incluem os jogadores “Premium” do sector de massas, que a consultora acrescenta no estudo.

A tendência de crescimento é algo que salta à vista nos valores divulgados pela DICJ. No ano passado as receitas angariadas nas salas de grandes apostas registaram um aumento de 15,424 mil milhões de patacas, em relação a 2017, cujo valor das grandes apostas tinha sido de 150,673 mil milhões de patacas.

Ganha pão do Norte

“É evidente que os consumidores “Premium” são fundamentais para o crescimento a longo-prazo de Macau. São mais abastados, gastam mais e regressam com maior frequência. Além disso, é um segmento demográfico que está a aumentar”, refere o estudo assinado pelos analistas Vitaly Umansky e Eunice Lee.

Outra das conclusões retiradas do estudo da Bernstein aponta que no ano passado estes 400 mil grandes apostadores visitaram Macau, em média, quatro vezes.

No que diz respeito à proveniência deste nicho de mercado, a Bernstein traça um cenário de expansão territorial. “É provável que as maiores oportunidades de crescimento se foquem numa pequena extensão geográfica. Enquanto esperamos que Guangdong continue a ser a província que mais contribui, projectamos que Shandong, Jiangsu, Zhejiang, Xangai, Hunan e Henan consigam crescer significativamente. Estas regiões vão ser de uma importância vital para o futuro crescimento do segmento das apostas ‘Premium’”.

10 Set 2019

Estudo | Segmento “Premium” representa 70% das receitas do jogo

A economia de Macau é sustentada por cerca de 400 mil jogadores VIP e grandes apostadores “Premium” do segmento de massas, totalizando 70 por cento das receitas da indústria do jogo. A conclusão consta de uma investigação da consultora Bernstein

 
O ganha-pão de Macau e a força motriz da prosperidade do território está na mão de um grupo de jogadores VIP e Premium do sector de massas, entre 300 mil e 400 mil apostadores, que totalizaram cerca de 70 por cento das receitas apuradas em 2018 pela indústria do jogo de Macau. A conclusão consta de um estudo da consultora Bernstein intitulado “O crescimento do jogo chinês: a breve história e um vislumbre do futuro de Macau”.
A pesquisa destaca a importância crescente de grandes apostadores, em particular dos apostadores “Premium” do segmento de massas, um fragmento do mercado que demonstra, de acordo com a Bernstein, tendência para crescer a longo-prazo e demonstra grande propensão para viajar.
Os números adiantados pelo estudo revelam que os apostadores “Premium” contribuíram com 212 mil milhões de patacas para as receitas da indústria do jogo no ano passado, apesar de representarem apenas 1 por cento dos 35,8 milhões de turistas que visitaram Macau em 2018.
De acordo com os dados oficiais divulgados pela Direcção de Inspecção e Coordenação de Jogos (DICJ), as receitas geradas pelo jogo VIP em 2018 cresceram 9,3 por cento, para 166,097 mil milhões de patacas, contribuindo para mais de metade do total arrecadado pelos casinos de Macau. Importa salientar que estes valores não incluem os jogadores “Premium” do sector de massas, que a consultora acrescenta no estudo.
A tendência de crescimento é algo que salta à vista nos valores divulgados pela DICJ. No ano passado as receitas angariadas nas salas de grandes apostas registaram um aumento de 15,424 mil milhões de patacas, em relação a 2017, cujo valor das grandes apostas tinha sido de 150,673 mil milhões de patacas.

Ganha pão do Norte

“É evidente que os consumidores “Premium” são fundamentais para o crescimento a longo-prazo de Macau. São mais abastados, gastam mais e regressam com maior frequência. Além disso, é um segmento demográfico que está a aumentar”, refere o estudo assinado pelos analistas Vitaly Umansky e Eunice Lee.
Outra das conclusões retiradas do estudo da Bernstein aponta que no ano passado estes 400 mil grandes apostadores visitaram Macau, em média, quatro vezes.
No que diz respeito à proveniência deste nicho de mercado, a Bernstein traça um cenário de expansão territorial. “É provável que as maiores oportunidades de crescimento se foquem numa pequena extensão geográfica. Enquanto esperamos que Guangdong continue a ser a província que mais contribui, projectamos que Shandong, Jiangsu, Zhejiang, Xangai, Hunan e Henan consigam crescer significativamente. Estas regiões vão ser de uma importância vital para o futuro crescimento do segmento das apostas ‘Premium’”.

10 Set 2019